quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Apenas uma voz que soa


No domingo passado, Deus me deu a oportunidade de estar na congregação wesleyana do Landi, ligada à IMW de Venda Nova e dirigida pelo Pastor Luiz Guilherme. Senti grande prazer ao ver as melhorias realizadas no templo, desde a última vez em que lá estive; e também por sentir o clima de satisfação existente nos membros desta congregação. O culto foi marcado por graça especial do Senhor, com louvor e adoração na justa medida. Temos pouco mais de cento e setenta congregações, como esta, na IMW 2ª Região; que - por sua vez - estão vinculadas a quase duzentas igrejas. E como me faz bem sentir quando estas igrejas estão sendo presididas e cuidadas por um pastor que traz em suas entranhas o sentimento de Cristo por suas ovelhas. Sei que o galardão é grande para o pastor fiel, a Deus e ao rebanho.
 
Enquanto eu meditava na importância de estendermos a obra até onde Deus nos permitir chegar, como fruto do esforço evangelístico e missionário da IMW; fiquei a pensar no trabalho de um verdadeiro pastor de almas... Um pastor que vela por seu rebanho, procurando apascentar com amor, mesmo as ovelhas mais difíceis. Infelizmente, em nossos dias, percebe-se crescer um conceito de "profissionalismo clerical" entre aqueles que se dizem chamados por Deus; até ao ponto de sumir do coração de alguns pastores, aquele sentimento de renúncia e doação; semelhante ao sentimento de Jesus, ao dar a Sua vida pelas ovelhas. Ainda bem que existem vidas comprometidas com a grandeza e a nobreza do chamado para o ministério; não se negando a alimentar e socorrer aqueles que estão sob sua aba pastoral.
 
É necessário que eu diga: Não sou e nem me sinto juiz de pastores... Nem juiz de quem quer que seja (Nem a mim mesmo me julgo). Sou apenas uma voz - dentre as muita que soam - procurando advertir os desavisados. Só lamento que, naquele dia, muitos finalmente descobrirão que de nada valeu ostentarem títulos cristãos - mesmo bíblico - pois o juízo de Deus é justo, inevitável; e será rigoroso sobre aqueles que usaram indevidamente o ministério e tomaram o Seu santo nome em vão. Entretanto, tenho sido abençoado com a existência de inúmeros pastores e obreiros consagrados; cuja vida abnegada é dedicada ao cumprimento integral do propósito do Deus vivo que os chamou para o ministério. Estes não precisam temer o dia do acerto de contas; pois o Senhor conhece os que são realmente Seus.
 
Penso que nós, pastores, devemos meditar neste texto:
 
"PERMANEÇA o amor fraternal. Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos. Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo. Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará. Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei. E assim com confiança ousemos dizer: O SENHOR é o meu ajudador, e não temerei O que me possa fazer o homem. Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente."
(Hebreus 13.1-8)
 
Ele pode nos levar a repensar nossa conduta pastoral.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário