quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ainda não foi desta vez


Ainda não foi desta vez... Que o nosso Brasil - tendo chance real de eleger uma governante comprometida com a Bíblia, a fé cristã e a família - conseguiu eleger um governante que possa ir além do populismo e das bandeiras sociais (obrigação de qualquer governante minimamente responsável). Infelizmente, mesmo para muitos líderes cristãos, pão (bolsa família) e circo (copa e olimpíada) ainda são mais importantes do que os valores da democracia e da própria moral cristã. Na verdade, até entendo estas preferências nada originais; pois vejo se reeditar na história de nossos dias, a cumplicidade que existiu entre o imperador César, o Senado romano e o povo ávido por diversão; que martirizou tantos cristãos, tachados de "homofóbicos" e inimigos do estado.
 
Todavia, ainda resta o plano "b"... Que é a oportunidade de eleger um governante que demonstra afinidade com a liberdade de expressão e respeito pelo estado de direito e democrático; sem deixar de erguer as bandeiras sociais tão necessárias em um Brasil rico, mas transbordante de pobreza e de miséria (parece que a janela para este "brasil", está fechada no castelo de alguns magistrados, parlamentares e governantes). Devo dizer que não sou admirador do Aécio Neves; porém... Sou admirador dos ares da liberdade de expressão, que circulam em um país onde a democracia plena acolhe tendências políticas diversas; mesmo as que lhe são hostis. E tenho viva esperança de que Aécio irá honrar e fortalecer os princípios democráticos consagrados na Constituição.
 
Sinto prazer em refletir sobre este texto da Bíblia: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.35-39). Pois sei que ele pode repor nos trilhos, qualquer cristão que esteja em processo de desvio.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário