quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Um ponto no infinito

Foto: Algumas vezes, tenho me referido aos obstáculos que temos de transpor, para podermos permanecer no lugar de oração; especialmente quando os dias são cinzentos e os perigos previsíveis. No entanto - mesmo sob forte oposição do mal - não podemos desistir de orar; ou mesmo transferir para outra hora a oração urgente que precisamos elevar ao Deus eterno. Hoje de manhã, comigo foi assim; todavia, me estendi na presença do Pai eterno e fui ouvido. Aleluia! Mas... Quando digo que Deus me ouviu; não estou dizendo que Ele atendeu a todos os meus pedidos. Até porque, se Deus atendesse a tudo aquilo que, em nossa precipitação, Lhe pedimos; poderíamos sofrer penas dolorosas, pois nem sempre sabemos orar como convém.

Contudo, o mais importante foi poder expor perante Ele a minha adoração... Então, falei sobre os sons do universo, que convergem para o Seu louvor. Assim, o ato da tempestade assustadora - com o ribombar dos trovões intercalando com o intenso brilho dos relâmpagos, regando a terra com o som da chuva - é um canto de louvor ao Criador; assim como o som do vento no bambuzal e o som do regato entre as pedras. Louvado seja o Senhor, por tão grandioso culto de adoração oferecido pela natureza que Ele mesmo criou! Como não chorar de prazer e temor, ante a glória de Deus refletida na criação? Enfim... O fato de me sentir um ponto no infinito não me impede de me sentir o mais feliz dos homens, por poder render graças a Deus!
 
Algumas vezes, tenho me referido aos obstáculos que temos de transpor, para podermos permanecer no lugar de oração; especialmente quando os dias são cinzentos e os perigos previsíveis. No entanto - mesmo sob forte oposição do mal - não podemos desistir de orar; ou mesmo transferir para outra hora a oração urgente que precisamos elevar ao Deus eterno. Hoje de manhã, comigo foi assim; todavia, me estendi na presença do Pai eterno e fui ouvido. Aleluia! Mas... Quando digo que Deus me ouviu; não estou querendo dizer que Ele atendeu a todos os meus pedidos. Até porque, se Deus atendesse a tudo aquilo que, em nossa precipitação, Lhe pedimos; correríamos o risco de sofrer penas dolorosas, pois nem sempre sabemos orar como convém.
 
Contudo, o mais importante foi poder expor perante Ele a minha adoração... Então, falei sobre os sons do universo, que convergem para o Seu louvor. Assim, o ato da tempestade assustadora - com o ribombar de seus trovões intercalando com o intenso brilho dos relâmpagos, regando a terra com o som da chuva - é um canto de louvor ao Criador; assim como o som do vento perpassando o bambuzal e o som do regato entre as pedras. Louvado seja o Senhor, por tão grandioso culto de adoração oferecido pela natureza que Ele mesmo criou! Como não chorar de prazer e temor, ante a glória de Deus refletida em Sua criação? Enfim... O fato de me sentir um ponto no infinito não me impede de me sentir o mais feliz dos homens, por poder render graças a Deus!
 
Aleluia!
 
"1 LOUVAI ao SENHOR. Louvai ao SENHOR desde os céus, louvai-o nas alturas. 2 Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos. 3 Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes. 4 Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus. 5 Louvem o nome do SENHOR, pois mandou, e logo foram criados. 6 E os confirmou eternamente para sempre, e lhes deu um decreto que não ultrapassarão. 7 Louvai ao SENHOR desde a terra: vós, baleias, e todos os abismos; 8 Fogo e saraiva, neve e vapores, e vento tempestuoso que executa a sua palavra; 9 Montes e todos os outeiros, árvores frutíferas e todos os cedros; 10 As feras e todos os gados, répteis e aves voadoras; 11 Reis da terra e todos os povos, príncipes e todos os juízes da terra; 12 Moços e moças, velhos e crianças. 13 Louvem o nome do SENHOR, pois só o seu nome é exaltado; a sua glória está sobre a terra e o céu. 14 Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, um povo que lhe é chegado. Louvai ao SENHOR."
(Salmo 148)
 
Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário