domingo, 21 de setembro de 2014

Alternância de poderes

Foto: Estamos a alguns dias das eleições; quando os brasileiros, em sua grande maioria, irão até às cabines de votação deixar o seu voto. Eu acredito na democracia representativa; portanto, irei votar. Eu acredito na alternância; portanto, votarei pela mudança. Ao longo de minha vida, aprendi que as pessoas não conseguem ocultar por muito tempo a sua verdadeira natureza; e o governo que temos já demonstrou a sua; o suficiente para que eu perceba que o único projeto que ainda lhe dá alguma credibilidade é o "bolsa família" com o objetivo de chegar ao "fome zero" (não sei se a bolsa chegou às famílias realmente necessitadas, nem se a fome chegou ao marco zero alardeado). Mas... Percebo que precisamos respirar novos ares.

Quando me refiro a novos ares, estou querendo dizer que precisamos de políticas públicas definidas e gerenciadas... Tanto na saúde; que se traduzam em hospitais equipados de profissionais, instrumentos e medicamentos eficientes, para atender as camadas mais humildes; em escolas bem construídas e equipadas, com um corpo docente bem remunerado e qualificado para o cumprimento de sua missão de educar; em segurança pública preparada para lidar com os altos índices de violência, que sempre atinge os mais humildes (é só identificar as maiores vítimas da violência urbana); e no combate à corrupção, em que os condenados sejam exemplarmente punidos, inclusive com a devolução do bem roubado.

Se este governo conseguiu liderar um mutirão que preparou o Brasil para uma esplendorosa Copa, com gastos exagerados e parcos resultados; certamente que teria tido condição de alavancar um mutirão de saúde, educação e segurança pública do mais alto nível, se quisesse de fato fazer isto. Sendo assim, como creio na política de alternância de poderes; nada mais lógico e justo do que - cheio de esperança capaz de vencer o medo - eu optar por votar em um novo governo, no afã de sustentar o meu sonho de ver o Brasil alcançar os patamares a muito perseguidos - conquistados por outras nações deste tão sofrido mundo em que vivemos - e chegar ao nível que governos, até aqui, têm apenas prometido e rapidamente esquecido.

Estamos a alguns dias das eleições; quando os brasileiros, em sua grande maioria, irão até às cabines de votação deixar o seu voto. Eu acredito na democracia representativa; portanto, irei votar. Eu acredito na alternância; portanto, votarei pela mudança. Ao longo de minha vida, aprendi que as pessoas não conseguem ocultar por muito tempo a sua verdadeira natureza; e o governo atual já exibiu a sua; o bastante para que eu veja que o único projeto que ainda lhe dá alguma credibilidade é o "bolsa família" com o objetivo de chegar ao "fome zero" (não sei se a bolsa chegou às famílias realmente necessitadas, nem se a fome chegou ao marco zero alardeado). Mas... Creio que precisamos muito respirar novos ares.
 
Quando me refiro a novos ares, estou querendo dizer que precisamos de políticas públicas definidas e gerenciadas... Tanto na saúde; que se traduzam em hospitais equipados de profissionais, instrumentos e medicamentos eficientes, para atender as camadas mais humildes; em escolas bem construídas e equipadas, com um corpo docente bem remunerado e qualificado para o cumprimento de sua missão de educar; em segurança pública preparada para lidar com os altos índices de violência, que sempre atinge os mais humildes (é só identificar as maiores vítimas da violência urbana); e no combate à corrupção, em que os condenados sejam exemplarmente punidos, inclusive com a devolução do bem roubado do povo.
 
Se este governo conseguiu liderar um mutirão que preparou o Brasil para uma esplendorosa Copa, com gastos exagerados e parcos resultados; certamente que teria tido condição de alavancar um mutirão de saúde, educação e segurança pública do mais alto nível, se quisesse de fato fazer isto. Sendo assim, como creio na política de alternância de poderes; nada mais lógico e justo do que - cheio de esperança capaz de vencer o medo - eu optar por votar em um novo governo, no afã de sustentar o meu sonho de ver o Brasil alcançar os patamares a muito perseguidos - conquistados por outras nações deste tão sofrido mundo em que vivemos - e chegar ao nível que governos, até aqui, têm apenas prometido e rapidamente esquecido.
 
Esta oração de Davi é contextual com nossos dias:
 
"SALVA-NOS, SENHOR, porque faltam os homens bons; porque são poucos os fiéis entre os filhos dos homens. Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado. O SENHOR cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente. Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é SENHOR sobre nós? Pela opressão dos pobres, pelo gemido dos necessitados me levantarei agora, diz o SENHOR; porei a salvo aquele para quem eles assopram. As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes. Tu os guardarás, SENHOR; desta geração os livrarás para sempre. Os ímpios andam por toda parte, quando os mais vis dos filhos dos homens são exaltados."
(Salmo 12.1-8)
 
Que o Senhor nos ajude a eleger governantes íntegros!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário