quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Deus não me obriga a orar

Foto: Hoje de manhã, em meu momento de oração ao Pai; senti o meu coração se encher de prazer por estar perante a face do Deus eterno. Então, com o meu coração pleno de gratidão, cantei este cântico: "Ó que prazer é descansar na força dos Teus braços; é Te escutar em tudo que eu faço; é perceber que estás comigo aqui. Ó que prazer é ser um templo do Espírito Santo; é Te adorar com salmos e com canto, ouvir Tua voz provar do Teu poder! Ó que prazer é descobrir que andas ao meu lado; sentir Tua mão por toda a caminhada, mostrando sempre a direção do céu. Ó que prazer é descobrir que andas ao meu lado; sentir Tua mão por toda a caminhada, mostrando sempre a direção do céu." Foi um momento de grande felicidade!

Um dos maiores tesouros que carrego comigo, desde os meus primeiros passos no evangelho; é o sentimento de dependência de Deus que tem norteado minha vida e ministério ao longo do tempo. Não sei qual o nível de impacto exercido sobre minha vida, família e ministério pelo fato de eu me apegar a Deus em oração. No entanto, sei muito bem como minha vida certamente seria - com repercussão sobre minha família e ministério - caso minha vida de oração não fosse levada a sério. E o melhor em tudo isto é que, até mesmo minha vida de oração, só tem sido atuante e perseverante devido ao cuidado do Senhor para comigo. Sei que Deus não me obriga a orar; todavia, não é de hoje, Sua voz sempre me conclama à oração.

Hoje de manhã, em meu momento de oração ao Pai - logo no início da minha prostração - senti o meu coração se encher de prazer por poder estar perante a face do Deus eterno. Então, com o meu coração pleno de gratidão, senti inspiração para cantar este cântico: "Ó que prazer é descansar na força dos Teus braços; é Te escutar em tudo que eu faço; é perceber que estás comigo aqui. Ó que prazer é ser um templo do Espírito Santo; é Te adorar com salmos e com canto, ouvir Tua voz provar do Teu poder! Ó que prazer é descobrir que andas ao meu lado; sentir Tua mão por toda a caminhada, mostrando sempre a direção do céu. Ó que prazer é descobrir que andas ao meu lado; sentir Tua mão por toda a caminhada, mostrando sempre a direção do céu." Nem precisaria dizer que foi um momento de grande felicidade!
 
Um dos maiores tesouros que carrego comigo, desde os meus primeiros passos no evangelho; é o sentimento de dependência de Deus que tem norteado minha vida e ministério ao longo do tempo. Nunca consegui avaliar qual o nível de impacto exercido sobre minha vida, família e ministério resultante do fato de eu me apegar a Deus em oração. No entanto, sei muito bem como minha vida certamente seria - com repercussão sobre minha família e ministério - caso minha vida de oração não fosse levada a sério. E o melhor em tudo isto é que, até mesmo minha vida de oração, eu só consigo ser atuante e perseverante devido ao cuidado do Senhor para comigo e à voz do Espírito Santo soando em meu íntimo. Sei que Deus jamais nos obriga a orar; todavia, não é de hoje, Sua voz sempre me conclama à oração.
 
Quanta beleza e confiança este salmo inspira! "OUVE, ó Deus, o meu clamor; atende à minha oração. Desde o fim da terra clamarei a ti, quando o meu coração estiver desmaiado; leva-me para a rocha que é mais alta do que eu. Pois tens sido um refúgio para mim, e uma torre forte contra o inimigo. Habitarei no teu tabernáculo para sempre; abrigar-me-ei no esconderijo das tuas asas. (Selá.) Pois tu, ó Deus, ouviste os meus votos; deste-me a herança dos que temem o teu nome. Prolongarás os dias do rei; e os seus anos serão como muitas gerações. Ele permanecerá diante de Deus para sempre; prepara-lhe misericórdia e verdade que o preservem. Assim cantarei louvores ao teu nome perpetuamente, para pagar os meus votos de dia em dia." (Salmo 61.1-8). Louvo a Deus por ter tão edificante base para sustentar minha esperança!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário