quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Como ondas de maldade

Foto: Hoje, enquanto eu orava, pedi ao Senhor que me guarde e guarde o seu povo de sentimentos pagãos, perversos e profanos. Fiz questão de formalizar este pedido, por tudo aquilo que tenho visto e ouvido, sobre o crescimento do paganismo no mundo; afetando até mesmo culturas religiosas conservadoras, outrora blindadas em suas convicções. E coisas piores ainda estão por vir, contaminando pessoas sinceras, mas exageradamente ingênuas; pois o paganismo tem procurado se disfarçar de cristão (como muitos fazem hoje em dia), para cumprir com maior eficácia e abrangência sua missão satânica de roubar, matar e destruir. Precisamos nos apegar ao Deus eterno, orando sempre; e não devemos ter dúvida quanto à fonte de toda esta onda de opressão, pois tem origem nas entranhas do próprio inferno.

Quanto aos sentimentos perversos e profanos; eles se manifestam em todos os lugares e nos mais diversos tipos de pessoas. São como ondas de maldade que correm por toda parte, como um caudal maligno que não pode ser contido por declarações ingênuas ou por um conjunto de ações meramente humanas. Na verdade, paganismo, perversidade e profanação são espíritos que procuram se infiltrar em vidas, para torná-las agentes do mal. Então, em sua forma humana, invertem e corrompem valores morais, distorcem e profanam valores espirituais e brutalizam, torturam e exterminam pessoas de bem, até mesmo crianças. E não basta nos munirmos de códigos morais e espirituais, para resistirmos a toda esta maldade; precisamos nos encher do Espírito e nos revestir de toda a armadura de Deus!

Hoje, enquanto eu orava, pedi ao Senhor que me guarde e guarde o seu povo de sentimentos pagãos, perversos e profanos. Fiz questão de formalizar este pedido, por tudo aquilo que tenho visto e ouvido, sobre o crescimento do paganismo no mundo; afetando até mesmo culturas religiosas conservadoras, outrora blindadas em suas convicções. E coisas piores ainda estão por vir, contaminando pessoas sinceras, mas exageradamente ingênuas; pois o paganismo tem procurado se disfarçar de cristão (como muitos fazem hoje em dia), para cumprir com maior eficácia e abrangência sua missão satânica de roubar, matar e destruir. Precisamos nos apegar ao Deus eterno, orando sempre; e não devemos ter dúvida quanto à fonte de toda esta onda de opressão, pois tem origem nas entranhas do próprio inferno.
 
Quanto aos sentimentos perversos e profanos; eles se manifestam em todos os lugares e nos mais diversos tipos de pessoas. São como ondas de maldade que correm por toda parte, como um caudal maligno que não pode ser contido por declarações ingênuas ou por um conjunto de ações meramente humanas. Na verdade, paganismo, perversidade e profanação são espíritos que procuram se infiltrar em vidas, para torná-las agentes do mal. Então, em sua forma humana, invertem e corrompem valores morais, distorcem e profanam valores espirituais e brutalizam, torturam e exterminam pessoas de bem, até mesmo crianças. E não basta nos munirmos de códigos morais e espirituais, para resistirmos a toda esta maldade; precisamos nos encher do Espírito e nos revestir de toda a armadura de Deus!
 
Quem tem olhos de ver, já deve ter notado que a Bíblia está repleta de sinais de alerta:
 
"MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;" (I Timóteo 4.1-2). "SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te."
(II Timóteo 3.1-5)
 
E é bom que se diga que estes sinais foram postos para aviso nosso.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário