quinta-feira, 8 de maio de 2014

O povo de Deus tem futuro

Foto: Alguns podem até não acreditar; mas eu declaro com todas as letras, que, viajar não está entre os meus maiores prazeres. No entanto, esta tem sido uma das coisas que mais tenho feito nos últimos anos. Entretanto, consigo ter duas satisfações, sempre que viajo: A primeira delas - quando chego ao destino - é abraçar irmãos e amigos que estão sempre a nossa espera. É verdade... Esta parte da viagem, faz a viagem valer a pena. A segunda satisfação tem tudo a ver com o regresso; pois, o prazer de chegar em casa compensa qualquer distância que eu tenha que percorrer. Sei que, num dia que não sei precisar quando, terei a oportunidade de fazer a última viagem - apenas com direito a ida - e, ao final dela, finalmente chegarei ao Lar que tenho almejado ao longo de minha vida de filho do Deus vivo, servo de Cristo, embaixador do Céu e herdeiro da eterna herança.

Mas enquanto não este dia não chega; lá vou eu, entre uma viagem e outra; procurando me recompor os intervalos, aproveitando para refletir sobre a curta existência humana, sobre o leque de escolhas disponíveis aos humanos, sobre o rumo em que este mundo vai. Não sei se outros sentem o que eu sinto: Uma sensação de perigo no ar. Ouço falar de leis hostis à Igreja de Jesus e do sofrimento imposto aos filhos de Deus, em diversos países da terra. Em alguns lugares, o modo como os crentes em Jesus são massacrados, causa repulsa até mesmo em pessoas não cristãs. E em meu país - outrora conhecido pela índole pacífica de seus cidadãos, de raças e origens diversas - vi crescer, nos últimos anos, intolerância e animosidade provocada em grande parte por aqueles que detém o poder de acalmar os ânimos e promover a paz entre os cidadãos deste país.

Mas este ainda não é o mal maior... Pois, aquilo que sinto se aproximar, causará dor e sofrimento ainda maior. Ainda bem que a fé foi plantada por Deus no coração humano; e ela, reordenada pela Palavra eterna, pode conduzir os homens a Jesus que nos salva do presente século mau. Sempre que meu espírito se angustia e se assusta com aquilo que está por vir; sou lembrado pelo Espírito Santo que o povo de Deus tem futuro. Então, sinto conforto em saber que sofrimento humano é fator temporário; e que a bem-aventurança eterna nos fará esquecer completamente as tormentas desta vida. Eu sempre soube que Deus não poupou Seu próprio Filho de sofrimento atroz; e não ignoro que cristãos como eu, ao longo da história, sofreram martírio por causa da fé. Porém, aquilo que o futuro nos reserva compensa qualquer dor que venhamos a sofrer neste mundo.

Alguns podem até não acreditar; mas eu declaro com todas as letras, que, viajar não está entre os meus maiores prazeres. No entanto, esta tem sido uma das coisas que mais tenho feito nos últimos anos. Entretanto, consigo ter duas satisfações, sempre que viajo: A primeira delas - quando chego ao destino - é abraçar irmãos e amigos que estão sempre a nossa espera. É verdade... Esta parte da viagem, faz a viagem valer a pena. A segunda satisfação tem tudo a ver com o regresso; pois, o prazer de chegar em casa compensa qualquer distância que eu tenha que percorrer. Sei que, num dia que não sei precisar quando, terei a oportunidade de fazer a última viagem - apenas com direito a ida - e, ao final dela, finalmente chegarei ao Lar que tenho almejado ao longo de minha vida de filho do Deus vivo, servo de Cristo, embaixador do Céu e herdeiro da eterna herança.
 
Mas enquanto não este dia não chega; lá vou eu, entre uma viagem e outra; procurando me recompor os intervalos, aproveitando para refletir sobre a curta existência humana, sobre o leque de escolhas disponíveis aos humanos, sobre o rumo em que este mundo vai. Não sei se outros sentem o que eu sinto: Uma sensação de perigo no ar. Ouço falar de leis hostis à Igreja de Jesus e do sofrimento imposto aos filhos de Deus, em diversos países da terra. Em alguns lugares, o modo como os crentes em Jesus são massacrados, causa repulsa até mesmo em pessoas não cristãs. E em meu país - outrora conhecido pela índole pacífica de seus cidadãos, de raças e origens diversas - vi crescer, nos últimos anos, intolerância e animosidade provocada em grande parte por aqueles que detém o poder de acalmar os ânimos e promover a paz entre os cidadãos deste país.
 
Mas este ainda não é o mal maior... Pois, aquilo que sinto se aproximar, causará dor e sofrimento ainda maior. Ainda bem que a fé foi plantada por Deus no coração humano; e ela, reordenada pela Palavra eterna, pode conduzir os homens a Jesus que nos salva do presente século mau. Sempre que meu espírito se angustia e se assusta com aquilo que está por vir; sou lembrado pelo Espírito Santo que o povo de Deus tem futuro. Então, sinto conforto em saber que sofrimento humano é fator temporário; e que a bem-aventurança eterna nos fará esquecer completamente as tormentas desta vida. Eu sempre soube que Deus não poupou Seu próprio Filho de sofrimento atroz; e não ignoro que cristãos como eu, ao longo da história, sofreram martírio por causa da fé. Porém, aquilo que o futuro nos reserva compensa qualquer dor que venhamos a sofrer neste mundo.
 
Este texto é uma clara advertência aos que querem servir a Deus segundo o modelo ideal: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2.5-11). E nele fica claro que o modo seguro de sermos aprovados em nosso trabalho é servindo a Deus com o sentimento de Cristo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário