sexta-feira, 9 de maio de 2014

Jamais estarei só


No dia anterior, fui lembrado que se existe algo que não posso dispensar - enquanto aqui viver - é o meu lugar de oração. E tive que madrugar para o ocupar; pois, dentro de uma ou duas horas, Maria Célia e eu viajaríamos para Belo Horizonte - cidade onde residimos - de onde administramos a obra que nos foi entregue pelo Senhor, como missão a ser cumprida por um tempo determinado por Ele. Na verdade, ao me curvar, senti tanta paz enquanto orava; que não dá para entender plenamente ou explicar em detalhe. Sei o quanto é bom estar na presença do Deus eterno em oração; mas, compreender até onde vão os limites e a dimensão deste bem é praticamente impossível. Todavia, esta compreensão é dispensável; pois, enquanto aqui vivermos, o que importa mesmo é saber que a vida está em nós e a nossa volta; e que nosso Deus sempre se faz presente na vida daqueles que O buscam.
 
Enquanto eu orava, o Senhor me levou a pensar nos maiores perigos que enfrentamos. Muitas vezes, somos levados a pensar que nossos inimigos estão em algum lugar lá fora, a espreita. É como na história de Dom Quixote de la Mancha: Muitos devem conhecer sua saga, em busca de dragões imaginários (penso que nunca os tenha encontrado; a não ser sob a forma de moinhos de vento, que combatia com bravura, pensando tratar-se dos famigerados dragões). No entanto, aprendi que os nossos maiores inimigos estão alojados em algum compartimento secreto, dentro de cada um de nós. Assim, o medo que nos assombra; a solidão que nos angustia; a ansiedade que nos inquieta; a mágoa que nos fere; o rancor que nos consome... Enfim, estes e outros inimigos afins são os nossos maiores adversários; pois, podem nos destruir por dentro, sem que nós percebamos. Só em Jesus temos paz!
 
Como me edifica e me encoraja esta promessa de Jesus: "Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai; Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes, e crestes que saí de Deus. Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai. Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. Agora conhecemos que sabes tudo, e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.26-33). Sei que jamais estarei só, pois, o Pai sempre estará comigo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário