segunda-feira, 26 de maio de 2014

Colcha de retalhos


Na manhã deste dia, após dedicar o tempo necessário no lugar de oração; estive a pensar em minha vida de servo de Deus... Meus pensamentos percorreram longas distâncias. Enquanto eu refletia, comecei a me lembrar de incontáveis amigos e irmãos que agreguei à minha vida. Lembrei-me de minha passagem - como pastor - por Campos, Macaé, Petrópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Mantena, Uberaba, Vila Nivi, Cabo Frio, Porto Velho, Ouro Preto d'Oeste, Aveiro, Gafanha da Nazaré, Estarreja, Salreu, Águeda, Lisboa (estas seis ultimas cidades, em Portugal). Em todos esses lugares onde servi como pastor, deixei ovelhas; muitas das quais ainda recordo o nome. Procurei ser pastor amoroso e atento às suas necessidades; pois não saberia exercer o ministério pastoral de outro modo (aprendi isto com Jesus, o Supremo Pastor de nossas almas).
 
Enquanto eu pensava sobre este assunto, fiquei a imaginar que nossa vida é como uma colcha de retalhos; que vai sendo composta com o passar do tempo. Retalhos coloridos que podem torná-la uma bela obra de arte, para a glória do Senhor. No entanto, existe o risco de transformarmos nossa vida em um emaranhado de retalhos, sem forma e sem cor; caso não busquemos cumprir o propósito de Deus para o qual fomos criados. Penso que, por mais desbotada e sem sentido que seja a vida de alguém; ela pode adquirir forma, cor e beleza, caso esteja pronta a buscar e praticar a vontade de Deus. Deve ser muito triste, alguém se reportar ao passado e perceber que sua vida navegou como um barco sem rumo no oceano da vida. No entanto, existe esperança de um novo tempo; pois a Palavra sinaliza com um novo começo para aqueles que abraçam Jesus.
 
Este é um testemunho a ser imitado pelos que pretendem servir a Deus:
 
"Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada. Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho. Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais. E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele."
(1 Coríntios 9.16-23)
 
Bem-aventurados são aqueles que seguem os bons exemplos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário