sexta-feira, 11 de abril de 2014

Via crucis


Hoje de manhã, senti forte necessidade de me humilhar e prostrar aos pés do Senhor. Enquanto eu começava a orar, defini em meu espírito que dois motivos deveriam se sobrepor aos demais: Adoração e intercessão! Realmente, senti irresistível desejo de adorar e exaltar o Deus eterno, pensando em Seu grande e eterno poder e em Suas grandes e maravilhosas obras. Logo em seguida, me derramei em oração, em favor de minha pequena casa; pois, cresce em mim a convicção de que casa alguma pode permanecer de pé, caso não tenha sobre si a proteção do Deus bendito e eterno.
 
Enquanto eu intercedia, fiquei a pensar em Seu grande amor por todos nós. Nesse momento eu me dei conta de que é impossível cultivarmos relacionamentos afetivos e duradouros, sem que sejamos repassados pelo grande amor de Deus. Por maior que seja uma vera amizade, ela estará sempre ao sabor dos ventos contrários; sem ter meios próprios de defesa contra juízo crítico equivocado ou rede de intriga que se instale contra ela. Aliás, o próprio relacionamento familiar não consegue resistir por muito tempo ao vai&vem das tempestades da vida; pois, neste mundo, só o amor de Deus constrói!
 
Então, fui tomado por sentimento de gratidão a Deus. Pensei no amor de Deus por nós, ao enviar Seu Santo Filho Jesus para nos salvar à custa de sacrifício inexplicável. Pensei em Jesus reduzido à condição humana; humilhando-se em todo o sentido; e sujeitando-se aos homens, em genuína atitude serviçal. E como se não bastasse tamanha prova de amor; Jesus percorreu o caminho da tortura que antecedeu o selvagem julgamento de que foi vítima; para, em seguida, percorrer a "via crucis"; até o Calvário de dor, sangue e morte; onde, para nos redimir, deu Sua vida em sacrifício por todos nós.
 
Esta passagem bíblica descreve com exatidão a natureza e o sentimento de Cristo:
 
"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai."
(Filipenses 2.5-11).
 
Nela, vemos que Ele - sendo Senhor - se fez servo de todos, para o bem de todos nós.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário