quarta-feira, 23 de abril de 2014

Real sentido do chamado

 
Na noite de domingo passado, enquanto eu me preparava para o repouso após um dia de atividade intensa; fiquei a pensar no resultado do trabalho do Pastor Renato Jabor Campos, na IMW de Barra; e no trabalho do Pastor João Carlos, na IMW do Dornelas - ambas as igrejas na cidade de Muriaé. São igrejas novas, ambas emancipadas nos últimos cinco anos, após uma curta trajetória como congregação. Percebi em meu espírito um sentimento de satisfação; por ver homens simples - mas de admirável dedicação - colherem frutos multiplicados por um chamado valorizado por sua visão e compromisso com o Senhor; e santificados pela aprovação do Deus que os chamou para Sua obra. Digo isso, porque - no domingo - preguei pela manhã no culto matutino da igreja de Barra; e no encerramento da festa de aniversário de quatro anos de emancipação da igreja do Dornelas. Não dá para descrever a essência do agir de Deus que nos cobriu enquanto pregávamos.
 
Então, na manhã de segunda-feira, ao orar ao Senhor - em preparação para o Encontro de Mulheres Wesleyanas da zona da mata mineira - pedi a Deus que me ajudasse a entender e praticar o Seu propósito para o meu ministério. Então, fui confrontado com o fato de que - em muitas ocasiões - no afã de servirmos a Deus, começamos um processo de nos servir a nós mesmos, sem nos apercebermos disso. E assim, passamos a ver homens e mulheres, cristãos confessos, exigindo direitos e proveitos em troca daquilo que dizem fazer para o Senhor... Lamentável! E, algo ainda pior: Não percebem que seu trabalho vai perdendo qualidade, até tornar-se instável e infrutífero; pelo simples fato de que o seu coração não está posto sobre o rebanho do Senhor; e sim, naquilo que o rebanho do Senhor pode lhe oferecer em troca dos "serviços" prestados. Então, fico a me perguntar: Como será o acerto de contas no final de tudo; uma vez que Deus será rigoroso na cobrança?
 
Por experiência própria, digo: Obreiros que servem a Deus em tempo integral, devem procurar ler e reler muitas vezes este texto; procurando encontrar o real sentido do chamado para o ministério e o preço a ser pago por quem cuida de vidas pelas quais Jesus morreu: "Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória." (1 Pedro 5.1-4). Digo isso, porque, com o passar do tempo; corremos o risco de servir à igreja muito mais pelo ganho material, do que pelo objetivo da missão de amar e cuidar de vidas, em nome do Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário