terça-feira, 29 de abril de 2014

Questões relativas


Seja bendito o Teu Nome eternamente, querido Pai celestial! Como é bom poder estar em Tua presença nesta manhã; especialmente para dizer que Tu és a minha paz, meu refúgio e minha segurança, meu Bem maior, pois, todos os bens que possuo foram gerados em Ti. Te adoro meu Pai! Sinto enorme conforto em saber que minha vida e família estão guardadas em Tuas mãos, meu Senhor. Portanto, não devo alimentar preocupação quanto à nossa segurança; aprendi que "Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela." (Salmo 127.1). Então, pergunto à mim mesmo: Por que me assustar com aquilo que só me atingirá se Deus permitir? Assim, sigo confiante e seguro. Aleluia!
 
Enquanto eu oro, sou levado a pensar que devo me preocupar preferencialmente em conhecer e fazer a vontade do Senhor. Se devo parar ou prosseguir é o Senhor quem deve decidir. Moisés sabia quando parar ou prosseguir, mediante a posição da nuvem. Portanto, a direção para parar ou prosseguir está em cima, não em baixo. Talvez seja por isso que muitos cristãos se embaraçam quando avançam e se embaraçam quando estacionam. É que a questão não está em parar ou prosseguir; pois estas são questões relativas. Na verdade, aquilo que deve definir nossas ações neste mundo (casamento, ministério, amizades, começo e fim, etc.) é a vontade de Deus. E assim, amado Pai, estou seguro de que não a o menor risco em obedecer Tua voz. Eu Te adoro!
 
Não é de hoje, tenho adotado este texto como um dos reguladores do meu ministério: "E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (Atos 20.22-24). Desde que entendi a relevância e a responsabilidade do ministério, achei por bem pensar e agir deste modo, pois - em meio a tudo aquilo que pensamos, falamos ou fazemos - o que conta mesmo é o cumprimento de todo o conselho de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário