quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Sob oração constante


Sou grato a Deus por ter chegado ao entendimento, de que existem varias prioridades na vida de um cristão verdadeiro. Algumas delas são tão importantes, que, algumas vezes, nem sabemos exatamente como definir o seu grau de prioridade. No entanto, sou convencido de que a oração é a mais importante ocupação de um crente e o mais importante ministério de uma igreja. Não acredito em vitória sem efeitos colaterais desagradáveis, na vida e no ministério de um crente que deixa de gastar tempo em oração. Assim, como vencer um adversário que, além de hostil, é dissimulado; capaz de enganar um servo de Deus desprovido de discernimento espiritual?
 
Em minha missão pastoral, tenho percebido que não basta estarmos imbuídos de boa fé e dedicação extremada à nossa igreja ou mesmo à nossa família. Sabemos que Satã é insistente e convincente em seu modo de agir; visando roubar, matar e destruir a honra e a santidade de um lar cristão; especialmente um lar que não esteja sob oração constante de seus integrantes. Sei que a oração perseverante de um dos membros de uma família ou de uma igreja, pode atenuar e até mesmo anular problemas criados por outros membros. Todavia, o esforço é muito grande, quando apenas um se dedica a interceder; ainda que suas orações não fiquem sem resposta do Deus vivo.
 
Neste texto, Jesus lamenta que os Seus discípulos não tenham orado consigo: "Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca." (Mateus 26.38-41). Um grupo em oração, no lar ou na igreja, é capaz de conter o mal e o fracasso!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário