domingo, 9 de fevereiro de 2014

Rumo à eternidade


Nesta manha, querido Pai; venho em Tua presença buscar descanso sob Tua sombra. Como sinto alegria em saber que Tu és eterno! Anterior à eternidade e posterior à ela. De fato, não existe lugar mais seguro do que estar ao alcance de Tua mão. Como sinto alegria em saber que o Teu perdão é bem maior do que o pecado da humanidade enganada; e que o Teu amor suplanta o ódio no coração humano ferido. Sei que és doador: Deste à Abraão Isaque, filho da promessa; e, a Isaque deste Israel, filho da sucessão; e deste Jesus a todos nós, pecadores outrora sem chance e dominados por loucura. Como é bom estar em Tua santa presença, desfrutando teu amor, amado Pai!
 
É verdade, Pai; sinto conforto e segurança em Te servir; até porque, sei que o caminho da perseverança termina na porta da esperança; onde o peregrino cansado se refresca e dessedenta no rio da vida que por ali segue, em seu curso rumo à eternidade. Já faz tempo, sei do zelo que tens para com aqueles que recebes como filhos e que escolhes para honroso fim. É sempre bom saber que não há quem possa conter a palavra rhema que está no coração de um filho que se entrega como servo, disposto a se curvar e se humilhar; sempre pronto a rever seu conceito e conduta. E que, por ele, estás disposto a abrir o mar e o céu; absolvendo sua culpa e guiando seus passos.
 
Não há pecador arrependido que não sinta a força deste texto:
 
"E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós."
(1 João 1.5-10)
 
E isto provém do amor e da graça de Deus em favor dos homens.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário