domingo, 16 de fevereiro de 2014

Liberdade que enlouquece

 
É angustiante saber que u'a maré de engano percorre a terra e que os homens nem se apercebem disso. Não é difícil notar que bons homens e mulheres vão sendo por ela tocados, tendo seu caráter distorcido e sua vida pervertida... E, que, nem mesmo crianças e velhos são poupados; sendo estas suas mais sofridas vítimas. Cresce o números de lares desfeitos ante sua passagem; e, órfãos de pais vivos proliferam em toda parte, vendo os seus mortos caminharem por aí, como se vivos fossem. E as vítimas da violência contra a família - perpetrada muitas vezes por seus próprios integrantes - não para de crescer em todos os países deste mundo cruel.
 
Mais angustiante é perceber que muitos cristãos - de olhos embaçados - se apresentam insensíveis ao caos que se avizinha; como se fosse normal o fluxo desta maré que a todos contamina. Alguns crentes, com entusiasmo na face e brilho nos olhos, afoitamente comemoram os novos tempos; como se a liberdade que enlouquece os homens fosse um dom do céu à terra; dando-lhe procuração para fazer o que quiser, sem qualquer consequência. Assim, enquanto a licenciosidade cresce; cresce com ela a insanidade que tira do ser humano (até mesmo de muitos cristãos sem rumo) o discernimento para perceber que os dias são maus e que o fim se abrevia.
 
Todavia, contemplo brilho crescente na linha do horizonte... E com ele, esperança para o ser indefeso. Então, como na visão de Daniel, o profeta de Deus, o Reino invisível e invencível - de pedrinha que parece ser - se transformará em uma grande rocha que encherá a terra; para a qual os cansados e aflitos correrão e na qual serão abrigados e protegidos. Assim, haverá segurança para as vítimas de tamanha desordem e maldade; pois, do alto desta imbatível Rocha, o céu poderá ser visto e tocado. E ali, cessada a voz dos maus e o rumor do inferno, os salvos por Jesus irão entoar o cântico dos remidos, ao som da harpa sagrada, em louvor ao Deus eterno.
 
Louvo a Deus pela Rocha eterna que sustenta a Igreja, conforme disse Jesus:
 
"Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;" (Mateus 16.15-18). Eu me sinto fortalecido por este testemunho de Davi: "Vive o SENHOR, e bendito seja o meu rochedo; e exaltado seja Deus, a rocha da minha salvação." (II Samuel 22.47).
 
Que conforto sente aquele que crê na Palavra de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário