terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Alvo do amor de Deus


Como é bom estar na presença do Senhor, em plena madrugada - ainda distante do amanhecer - desfrutando do carinho dos irmãos, Lina Araújo & Helly, em cuja casa jantamos e estamos pernoitando. Enquanto oro em sua bela e aconchegante sala, libero palavras de gratidão ao Pai. Gratidão pelo livramento experimentado ao longo de minha vida de crente, nas diversas ocasiões em que senti os dardos inflamados passarem tão perto; alguns se chocando com o escudo da fé que sempre carrego comigo. Louvei a Deus pela explosão da vida no útero materno; pela explosão dos sonhos na mente romântica; e pela explosão do amor no coração sensível... Enfim, não há como ficar inerte diante do Deus eterno que está sempre enviando sinais de paz e de boa vontade para com os homens sem esperança.
 
No lugar de oração, minhas lágrimas expressam o que sinto diante do Pai, enquanto oro em Sua doce presença. Ao me lembrar do mal que o pecado causa na vida, meu consolo é conhecer o fato que o pecado provocou: Que foi a morte de Cristo na cruz, em favor do pecador sem chance. Então, meu espírito sentiu especial alegria por saber que - por mais estrago que cause - o pecado jamais conseguirá apagar inteiramente os traços da origem divina do homem. Assim, mesmo que o mais abjeto dos seres tenha contra si o fato que abandonou sua vocação para adorar e brilhar; ao mesmo tempo, tem a seu favor o fato de que - tendo sua origem em Deus que tudo criou - é alvo do Seu amor; até ao ponto de ter enviado Seu Filho Unigênito para salvar o pecador e lhe dar esperança e certeza de um futuro melhor.
 
O nascimento de Cristo é a mais importante manifestação do amor de Deus em favor do ser humano:
 
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus."
(João 3.16-21)
 
Portanto, quem a rejeita a Cristo não tem direito à vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário