quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Preciso me cuidar


Estou pensando na necessidade que tenho, de cuidar de minha própria vida. Preciso selecionar os alimentos que como; evitar sal, açúcar e gordura; fazer exercícios físicos; enfim... Cuidar da saúde. O problema é que, as vezes, nos sentimos tão comprometidos em tentar cuidar da vida alheia, que... Esquecemos os cuidados que precisamos ter com a nossa própria vida. Quantas vezes optamos por cuidar dos outros, segundo o nosso próprio ponto de vista; como se o nosso modo de ver a vida e as pessoas, fosse o calibre fiel para determinar uma vida correta. Assim, quanto mais tentamos monitorar a vida do próximo; mais vamos esquecendo a nossa própria vida. Isso não é bom!
 
Entretanto, isso não significa que eu deva ignorar o meu próximo, cuidando apenas de mim mesmo; correndo o risco de me tornar egoísta. Até porque, vivendo em comunidade; temos deveres e responsabilidades uns com os outros, que impõem atenção e serviço a quem necessitar. Não devo, em tempo algum, me omitir de fazer o bem ao meu próximo; estando comigo a chance e os meios para fazê-lo. Todavia, preciso tentar compreender até onde vai o limite dos deveres sociais; para não violar privacidade de ninguém - monitorando e policiando a vida de alguém - como se fosse dele tutor. Pois este estilo de vida pode separar amigos, ampliar conflitos familiares e tornar a vida insuportável.
 
Todavia, existem melhores modos de cuidarmos de nós mesmos, sem esquecer das pessoas; modos discretos, modestos. Um deles, estarmos sempre prontos a interceder: Pelos familiares, pelos amigos, por nós mesmos... Até pelos inimigos, se os temos. Sou convencido que a oração pode ser o melhor dos meios, para ajudarmos tanto a nós quanto aos outros. Outro modo, é ter sempre uma palavra agradável, equilibrada e oportuna - nunca em forma de ordem - em forma de parecer ou conselho. E que utilizemos textos bíblicos apropriados; para corrigir ou motivar, se necessário for. Nunca nos esquecendo que nossa prioridade é cuidar de nossa própria vida; pois este é o dever de todos nós.
 
Devemos procurar discernir este texto em todo o seu real sentido e dimensão:
 
"E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração. Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados. Sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmurações, Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém."
(1 Pedro 4.7-11).
 
Vou utilizar como exemplo; o termo "cobrir" - nele é utilizado - cuja idéia é: Não ficar apontando o dedo, comentando ou divulgando pecado alheio; mas, procurar sentir em si mesmo a dor do pecador; procurando ajudá-lo em sua recuperação e a preservar o que ainda resta de sua honra e credibilidade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário