segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Pranto interior


Hoje pela manhã, ao me prostrar perante o Senhor no lugar costumeiro; meu espírito emudeceu e minha alma se abateu. Foi como se o tempo parasse. Tentei falar e não consegui (eu sabia que podia falar, se quisesse; mas... Optei pelo silêncio, como se fosse o meu melhor modo de estar diante do Senhor naquele instante). Senti angústia na alma e apenas chorei... Não choro convulso, mas, pranto interior; em que apenas as lágrimas denunciavam sua presença em meu íntimo. Após algum tempo eu me dei conta de que, na verdade, o meu espírito não emudeceu; ele simplesmente se aquietou, recolhido em seu canto preferido. Então, finalmente, percebi que o momento era para Deus falar e eu ouvir. Senti paz em meio a angústia que me acompanhou, porque sabia que tudo estava bem; pois Deus comigo estava.
 
Em silêncio, aprendi que bem e mal caminham em linhas paralelas; e que o único modo de escapar ao Mal que me assedia é me refugiar no Bem que me assegura. Ouvi mais uma vez que o mundo dos homens não tem futuro; nem o planeta em que habitam; e que o tempo se abrevia. Todavia, isso não me afligiu; pois, senti paz por saber que existe um Deus no céu que rege o universo; cujo domínio se estende muito além de qualquer ponto visível. Então, fui movido por sentimento de gratidão; adorei e exaltei ao Deus eterno, Criador do céu e da terra; que se manifestou em carne, através do Seu Filho eterno; o qual se fez semelhante aos homens, para mostrar-lhes que existe um reino eterno com lugares preparados para aqueles que a Ele se entregarem com fé, esperança e amor. Glória a Deus!
 
Nesta oração, o Senhor Jesus diz tudo o que eu preciso saber sobre minha condição neste mundo:
 
"Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo."
(João 17.14-18)
 
Portanto, sei que o mundo não é meu lar; o céu é meu lar!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário