segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Olha com misericórdia Senhor


Meu Deus; é sempre difícil estar em um ambiente onde não somos bem-vindos; daí o motivo de qualquer cristão que tenha um mínimo de prazer na Palavra e na presença do Senhor, se sentir deslocado neste mundo. Como nos sentirmos confortáveis em um mundo que nos olha ora com indiferença, ora com intolerância? Penso que um dos fatores que nos dão sentido quanto a necessidade de nossa permanência temporária neste mundo é o sentimento de missão a ser cumprida; outro fator é o fato de Jesus estar sempre a interceder por nós; e também pela presença do Espírito Santo em nós, que está sempre a nos ensinar e direcionar. E, mesmo assim, é comum vermos crentes enlouquecerem ao ponto de Te deixar; preferindo o mundo e seus prazeres venenosos. Penso ter sido por isto que Jesus, ao nos ensinar a orar, incluiu na oração do "Pai nosso" o "livrai-nos do mal".
 
Pai de amor; sinto grande conforto ao Te buscar, por sentir que sou amado com uma intensidade que não pode ser medida. Te adoro e exalto; pois sei que reges o universo com poder e graça; podendo conhecer tudo aquilo que se pensa e que se diz, em qualquer lugar onde uma mente inteligente seja capaz de formular opiniões, teorias e conceitos: pois não existem limites para os Teus atributos. E quero trazer nesta busca três importantes pedidos: Primeiro, eu oro em favor da segurança de minha família; pois sei que em Tuas mãos e sob o Teu olhar, eles estão seguros. Quero também orar em favor da viagem que farei hoje; e por minha presença em Brasília neste fim de semana, para a reabertura do trabalho wesleyano na cidade goiana de Padre Bernardo. E, orar em especial por um pastor, cuja família e ministério se encontram em grande risco de fracassar. Olha com Misericórdia, Senhor!
 
Este é um bom texto para lermos e meditarmos, após esta oração:
 
"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8.31-39)
 
Procuremos tirar o máximo proveito dele.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário