terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O amor é o dom supremo


MUITO OBRIGADO SENHOR!!!

Hoje é o último dia do ano de 2013... Precisei me estender diante do Pai, procurando trazer à minha lembrança alguns valores e favores alcançados em Sua santa presença ao longo deste ano que se vai. Agradeci a Deus por me ter guardado em meios às tentações que sofri, enquanto percorri os 365 dias que ficaram para trás. Senti prazer enquanto orava; por saber que Deus agiu em minha defesa, em defesa de minha família e em defesa do meu trabalho. Verdade! Nunca me neguei a buscá-Lo e Ele nunca se negou a socorrer-me!
 
Sei que não fui perfeito naquilo que fiz; mas também sei que meus erros não me levaram ao fracasso; pois, sempre que errei ou que magoei alguém - mesmo com justa causa - me rendi contrito aos pés do Senhor, humilhado e arrependido; levanto comigo a firme decisão de procurar não repetir os mesmos erros; buscando, com este ato de contrição, não permitir que palavras e atitudes impróprias viessem a me aprisionar em um padrão crônico de conduta. E sempre saí de Sua presença, certo de ter sido ouvido e atendido.
 
Também agradeci a Deus, por ter me ensinado a facilitar o acesso dos familiares e amigos à minha pessoa. De modo que, ainda ouço o suspiro de minha esposa quando me abraça e vejo romantismo em seus olhos quando passeamos juntos; sou contagiado pelo prazer que meus filhos demonstram, quando em minha companhia; prazer que vejo também em minhas noras e genro, sempre que nos reunimos em algum lugar; e... Ápice da emoção: Ouvir confidências dos meus netos, quando me consultam sobre seus sonhos e conflitos.
 
SEMPRE TE AMAREI SENHOR!!!
 
Amar a Deus é o maior e mais importante mandamento: "E os fariseus, ouvindo que ele fizera emudecer os saduceus, reuniram-se no mesmo lugar. E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mateus 22.34-40). De tal modo, que, apenas o amor ao próximo a ele se assemelha. Portanto, o amor é mesmo o dom supremo!

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Jesus nosso Salvador

 

Nesta manhã, após o meu momento de oração; procurei ouvir de Deus uma palavra que me ajudasse a entender um pouco mais o real alcance da graça salvadora. Enquanto refletia sobre este tão importante assunto, ouvi em meu íntimo que a graça não pode salvar sem a fé; e, que a fé não pode salvar sem Jesus; e, que Jesus não pode salvar sem que haja arrependimento e confissão por parte daquele que deseja ser salvo. Então, mediante a unção do Santo Espírito que nos traz conhecimento; consegui entender um pouco melhor o modo processo por meio do qual a salvação se manifesta; e, ver confirmado em meu coração que, no processo redentor gerado no amor de Deus e manifesto na cruz do Calvário; em uma ponta está a graça do Salvador e na outra, a confissão do pecador.
 
Enquanto o meu espírito procurava assimilar esta revelação tão especial; comecei a pensar na relação entre graça, fé, obra e santificação; e concluí que a graça não dispensa a fé, mediante a qual ela se estabelece; e, que a fé não dispensa as obras, pelas quais os homens glorificarão ao Pai que está no céu; e, que as obras não dispensam a santificação; pela qual veremos a Deus; e, que nenhum destes recursos - juntos ou separados - podem dispensar a Jesus, nosso Salvador! Pois, apenas nEle nós temos a Vida eterna que somente Ele pode dar. Na verdade, Jesus Cristo é o Fundamento e a Cobertura de nossa casa espiritual, sendo Ele o Autor e Consumador da fé. E até mesmo a paz que desfrutamos - bendito selo da justificação pela fé - provém do Senhor Jesus, o Príncipe da Paz!
 
Este é um poderoso testemunho dado no alvorecer da Igreja: "Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel, Visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo, e do modo como foi curado, Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." (Atos 4.8-12). O qual será vigente em todo o tempo da graça!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 29 de dezembro de 2013

Sentimentos guardados


Acredito que uma das mais importantes decisões que tenho tomado em minha vida; é a de buscar a face do Pai diariamente. E hoje pela manhã não foi diferente; pois, ao estender-me no lugar de oração, me dediquei a adorar e fui logo tomado por pranto e quebrantamento. Então, pedi ao Senhor perdão pelos meus pecados e senti o Seu perdão percorrer minha vida por inteiro. Também, agradeci a Ele pelos benefícios que me tem feito e Sua presença me confortou. Finalmente, intercedi por minha família e sei que me atendeu. Definitivamente, orar ao Pai é a melhor medida preventiva que um crente pode tomar na vida! Ah... Também pedi a Deus que me guardasse dos meus próprios sentimentos desprovidos de discernimento; pois, enquanto eu orava ao Senhor, pude então perceber que esta é uma súplica que precisa ser feita com transparência e frequência.
 
Declarei ao Pai que não sou o melhor juiz para definir os meus sentimentos e motivações. Chorei enquanto suplicava; pois vi que pior traição não é a cometida por amigos; e, sim, aquela que é imposta por nossos próprios sentimentos. Pois, embora a traição de um amigo nos cause grande dor; é a traição dos nossos sentimentos que nos inflige maiores danos. Pedi também a Deus, que não me deixe doar bons sentimentos a pessoas de má fé, nem maus sentimentos a pessoas de boa índole. E pedi que me faça entender que a escolha de um amigo, não deve ser por seu sorriso estampado no rosto; ou pelos presentes que me oferece e pelas coisas agradáveis que diz a meu respeito... E sim, por sua capacidade em ser franco comigo; advertindo-me quando cometo erros e dizendo-me as coisas que preciso ouvir. Pois existem verdades sobre mim que só um amigo de verdade pode dizer.
 
Tenho percebido que - por mais força de vontade que tenhamos - os nossos sentimentos só poderão ser plenamente guardados pelo Senhor: "Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos. Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o SENHOR. Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." (Filipenses 4.4-8). E os sentimentos são guardados por Deus, quando envoltos em Sua paz!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 28 de dezembro de 2013

Enquanto eu Te adoro


Passadas as celebrações do natal; venho em Tua presença, querido Pai. Sei que não oro como devia, nem sou um perfeito adorador; mas, ao menos, consigo orar e adorar à Ti em uma medida que me dá conforto, segurança e paz. Sei também que não sou o melhor dos filhos ou o melhor dos servos. No entanto, hoje o Teu Espírito me fez saber que não é o fato de nos autoproclamarmos Teus filhos e Teus servos que nos dá este "status"; pois, Teu filho é aquele a quem adotas e Teu servo aquele a quem nomeias. E nessa condição, são livres para exercer o direito de filho e de servo como mais lhes aprouver; sendo inevitável o acerto de contas conTigo, ao final de tudo. Obrigado, Senhor; por poder entender estas coisas!
 
Enquanto eu Te adoro; sou advertido por minha consciência que meu nível de adoração podia ser bem melhor; então, sinto lamento por aqueles que não conseguem se curvar e adorar a Ti, nem mesmo em um nível básico como o meu. E este meu sentimento se deve ao fato do Teu Espírito também ter me feito ver que adoração é atitude inerente à própria existência; e que todo ser que respira - racional ou não - deve ao Senhor este tributo. Que pena, muitos não se darem conta disso; antes, pelo contrário, gastam tempo tentando descobrir, nas Escrituras, algum ponto que confirme suas vás convicções; e, ainda pior, existem aqueles que tentam a todo custo provar Tua inexistência. Obrigado, Senhor; pela fé que uma vez me foi dada!
 
Para entendermos a importância da adoração é só atentarmos para estas palavras de Jesus:
 
"Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade."
(João 4.19-24).
 
Creio que elas dizem mais sobre adoração; do que tudo aquilo que já escreveram sobre ela.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Princípios para o lar


No sábado passado, na cidade de Alegre/ES; antes que a luz do sol se espalhasse no quarto do hotel onde Maria Célia emes eu nos encontrávamos; Estive algum tempo em oração; em seguida, comecei a pensar naquilo que mundo tanto aguarda nestes dias; e me vi pensando no horizonte sombrio que esta à nossa frente e nas realidades futuras que o verdadeiro crente aguarda; realidades cada dia mais próximas. Eu me refiro à iminente vinda do Rei dos reis e Senhor dos senhores. Me angustia saber que, infelizmente, a grande maioria dos homens será dolorosamente surpreendida. Ainda bem que, em meio a tanta gente desapercebida quanto a verdade há tanto tempo anunciada; existem aqueles que aguardam a segunda vinda do Messias, com fé perseverante e santa determinação. Ora vem Senhor Jesus!
 
Pensei também no momento das "bodas de prata" do Pastor Júlio Feliciano e Marinete, celebradas na véspera. Foi uma bela festa, ainda que regada à abundante chuva (a mesma chuva que fustigou o meu querido Estado do Espírito Santo). Pensei no modo como Deus me usou; para ministrar sobre a edificação de um lar segundo Deus. Diante do grande número de casais que lotavam o lugar; deixei bem claro que um lar só pode ser realmente edificado; se as partes integrantes do mesmo aplicarem três princípios fundamentais: 1) O princípio do temor de Deus vivido no lar (Salmo 128); 2) O princípio do respeito ao que a Bíblia diz sobre o relacionamento marido&esposa (Efésios 5.22-33); 3) O princípio de construir um lar fundamentado da Palavra de Deus (Mateus 7.24-27). Senti que Deus falou conosco.
 
Este salmo foi a base da mensagem que preguei:
 
"SE o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono. Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono. Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta."
(Salmo 127).
 
Louvo a Deus pela eficácia de Sua eterna Palavra!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Recompensa futura


Nesta madrugada, meus olhos se abriram; então, caminhei sem a menor dificuldade para o lugar de oração. Agradeci a Deus, pelo modo como o Espírito me tocou e me conduziu à Sua presença. Mesmo com mal estar físico, me senti forte o bastante para percorrer o caminho que me levou ao lugar de oração. Senti paz e prazer enquanto orava; como se o céu estivesse ao alcance do meu toque. Sei muito bem que nem sempre é assim; e que, algumas vezes, é necessário fazermos grande esforço para superar as barreiras que tentam nos impedir de buscar a face do Pai!
 
Enquanto eu orava, meu espírito se voltou para a expressão de Davi: "Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nisto confiaria." (Salmos 27.3). Como me senti fortalecido ao ser invadido por este texto da Palavra! Pensei nas inúmeras vezes em que nos sentimos encurralados; sob ataque de forças capazes de nos trazer grande perda e nos fazer grande mal. Então, louvei a Deus por me sentir tão protegido; guardado sob a palma da mão do Deus eterno, que me deu salvação e peleja minhas guerras!
 
Ainda em oração, fui levado também a pensar na expressão de Paulo: "Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente;" (II Coríntios 4.17). Gente! Fui invadido por uma tão grande paz, que não tenho como traduzir! Ainda tentando entender o "por que" de nossa tribulação ser leve e breve; o meu espírito se apercebeu que o apóstolo estava comparando o tempo de duração de uma provação com a bem-aventurança reservada no futuro, aos que vencerem. Ou seja: a recompensa futura compensa as dores do presente.
 
Esta é uma das muitas promessas feitas por Deus, aos que permanecerem fiéis:
 
"Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
(Apocalipse 3.10-13).
 
Vale ou não vale à pena perseverar na Palavra?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Natal em família

 

Nesta manhã, enquanto eu orava ao Pai; fiquei a pensar no culto de natal que promovemos aqui em casa - pouco antes da meia-noite - com parte da família que conseguiu estar conosco. Foi uma bênção termos o Pastor Murilo Araújo e família (irmão de Maria Célia); e Soraia e sua filha Melissa (irmã e sobrinha de minhas noras). O meu filho Pastor Calegari iniciou o culto com oração; em seguida, cantamos algumas canções alusivas ao natal; acompanhadas ao som do violão executado com habilidade por meu filho Elizeu. Algumas orações foram feitas e o clássico texto de Isaías 9 foi lido por mim. Minha Daniela iniciou um momento de oração. Minha esposa Maria Célia Calegari - não cabendo em si de tanto contentamento - transmitia prazer alegria em todo o tempo!

Dentre as orações feitas, comoveu-me ver meu neto Arthur (8 anos) orar agradecendo por Jesus ter derramado o Seu sangue puro para nos lavar dos nossos pecados; e a oração de minha neta Alexandra (12 anos) agradecendo a Deus pela bênção de estarmos juntos, em família; e também minha netinha Bia (4 anos) agradecendo ao Senhor Jesus, pelas coisas boas que nos dá e pela comida que iríamos comer. Ao final, unimos nossas mãos e intercedemos pelos vítimas das fortes chuvas que alagam os Estados do Espírito Santo e Minas Gerais. Oramos também por todos os familiares ausentes em momento tão especial... Especialmente por nosso querido filho Ezequiel, que está trabalhando no sul do Brasil. Então, o ambiente foi pleno de alegria, inundado de amor e comunhão!
 
Este texto tem tudo a ver com o nascimento de Jesus:
 
"MAS a terra, que foi angustiada, não será entenebrecida; envileceu nos primeiros tempos, a terra de Zebulom, e a terra de Naftali; mas nos últimos tempos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, na Galiléia das nações. O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz. Tu multiplicaste a nação, a alegria lhe aumentaste; todos se alegrarão perante ti, como se alegram na ceifa, e como exultam quando se repartem os despojos. Porque tu quebraste o jugo da sua carga, e o bordão do seu ombro, e a vara do seu opressor, como no dia dos midianitas. Porque todo calçado que levava o guerreiro no tumulto da batalha, e todo o manto revolvido em sangue, serão queimados, servindo de combustível ao fogo. Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto."
(Isaías 9.1-7).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Luz radiante

Foto: Nesta véspera de Natal, enquanto penso nas celebrações em família que ocorrerão em milhões de lares; não posso deixar de pensar no significado desta data para os cristãos. Sei que existem aqueles que discutem se foi neste ou em outro dia... Mas, não vejo relevância nesse detalhe; pois, entendo que a importância do nascimento, morte e ressurreição de Jesus está no fato em si; não no dia em que tais fatos ocorreram. Jesus nasceu para nos trazer salvação! Portanto, este é o fato que deve ser divulgado; e não as nossas dúvidas ou certezas quanto ao suposto verdadeiro dia em que isto aconteceu.

E quero expressar aqui o meu desejo; de que este seja um Natal feliz e abençoado para todos os meus amigos e irmãos; e também aos que recusam minha sincera amizade, por se julgarem injustiçados ou desfavorecidos por este pequeno servo de Deus. Que ao anoitecer deste dia, o brilho da Estrela de Belém possa percorrer sua casa e família, sem deixar ninguém fora do alcance desta Luz esplendorosa; que ainda percorre os céus, levando mensagem de esperança e de paz a todos os seres humanos; e salvação e graça a todo aquele que tem fé em Jesus; pois este é o Nome desta Luz radiante!
 
Nesta véspera de Natal, enquanto penso nas celebrações em família que ocorrerão em milhões de lares; não posso deixar de pensar no significado desta data para os cristãos. Sei que existem aqueles que discutem se foi neste ou em outro dia... Mas, não vejo relevância nesse detalhe; pois, entendo que a importância do nascimento, morte e ressurreição de Jesus está no fato em si; não no dia em que tais fatos ocorreram. Jesus nasceu para nos trazer salvação! Portanto, este é o fato que deve ser divulgado; e não as nossas dúvidas ou certezas quanto ao suposto verdadeiro dia em que isto aconteceu.

E quero expressar aqui o meu desejo; de que este seja um Natal feliz e abençoado para todos os meus amigos e irmãos; e também aos que recusam minha sincera amizade, por se julgarem injustiçados ou desfavorecidos por este pequeno servo de Deus. Que ao anoitecer deste dia, o brilho da Estrela de Belém possa percorrer sua casa e família, sem deixar ninguém fora do alcance desta Luz esplendorosa; que ainda percorre os céus, levando mensagem de esperança e de paz a todos os seres humanos; e salvação e graça a todo aquele que tem fé em Jesus; pois este é o Nome desta Luz radiante!
 
Quando Jesus veio, esta foi a mensagem enviada por Deus a todos nós:
 
"Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho. E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens."
(Lucas 2.8-14).
 
Antes de Jesus voltar, esta é a mensagem que devemos levar ao mundo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari e Maria Célia

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Quietude e paz interior


Hoje é um daqueles dias, em que me levanto para orar um tanto sem vontade... Mas, graças a Deus, já faz muito tempo que deixei de levar em conta os meus sentimentos; especialmente quando o assunto é oração e opção por valores morais e espirituais. Então, fiz o que a Palavra de Deus me ensina: Levei "cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;" (2 Cor. 10.5). Sei que este tipo de confronto - que ocorre nos bastidores de uma vida - não é algo simples de combater; e, muito mais difícil de perceber. Contudo, a Palavra de Deus em nosso interior tem efeito semelhante ao de uma tomografia: Ela percorre a estrutura da razão e da emoção; denunciando pontos frágeis que podem nos debilitar espiritualmente.
 
Assim, munido deste recurso sobrenatural; me levantei disposto a chegar até o lugar de oração, nem que fosse me arrastando. E fui! Então, em ali chegando, me rendi aos pés do Senhor; e percebi que - afinal de contas - não fora tão difícil quanto parecera. Clamei, intercedi, citei tantos nomes, me humilhei... E fui recompensado com uma quietude e paz interior que faz este bom combate e a perseverança dele resultante valer a pena. Obrigado, Senhor; pois em pleno clima festivo que antecede o Natal e a virada de mais um ano, me fazes entender que a oração não pode ser contornada ou diminuída. Até porque, não sabemos o que o futuro nos reserva; nem como serão as coisas no novo ano que está pra a nascer.
 
Este é um dos textos da Bíblia que nos faz ver que ela é o melhor aferidor da conduta humana:
 
"ALÉM disto, eu, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde, mas ausente, ousado para convosco; Rogo-vos, pois, que, quando estiver presente, não me veja obrigado a usar com confiança da ousadia que espero ter com alguns, que nos julgam, como se andássemos segundo a carne. Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;"
(2 Coríntios 10.1-5)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 22 de dezembro de 2013

Arrependimento


Pai de amor; sinto grande necessidade de me estender no lugar de oração, em um cantinho que considero um dos meus favoritos. E trago diante do Senhor, a alma vergada sob grande arrependimento; sim! Arrependimento por não ter tomado minha decisão por Cristo um pouco mais cedo. Pois é... Dos 67 anos que trago sobre mim, passei os primeiros 18 anos sem Te conhecer como Senhor e Salvador. Humm... quantas coisas perdi ou deixei de ganhar; por ter esperado tanto tempo para me decidir. Ainda bem que a fatura dos meus atos anteriores foi zerada quando Jesus me salvou! E, que, uma vida iniciada com Jesus, mesmo com algum atraso; é suficiente para garantir - se perseverança houver - o melhor dos futuros.
 
Acredito que não haja um cristão autêntico que, diariamente, não se sinta marcado por arrependimento; ou de atitudes cometidas ou de atitudes omitidas; pois, neste vale de lágrimas e opressão, também chamado mundo; caminhamos entre os acertos e desacertos produzidos por nossas palavras e ações. Esta é uma máxima que Tua própria Palavra denuncia; quando nos ensina que não há homem que não peque; e, também, quando põe em nossos lábios os termos da oração modelo - a famosa oração ao "Pai nosso" - na qual nos ensinas que, devemos incluir sempre o "perdoa as nossas dívidas", entre as demais partes da prece; chegando ao "livra-nos do mal" sem deixar de passar pelo "não nos deixe cair em tentação".
 
Sei que nesta quadra final do ano em curso - na qual uma trégua é temporariamente firmada - as pessoas sensíveis se tornam bem mais sensíveis; e os insensíveis se tornam um pouco mais confusos e frustrados. No entanto, em apenas alguns dias as luzes do Natal, que nos deslumbram; e, o espocar dos fogos da virada de mais um ano, que nos ensurdecem serão apagados e silenciados; totalmente esquecidos com o passar dos dias. Ainda bem que temos do Senhor a promessa de viver sempre conTigo; no lugar onde o Sol jamais se põe. Então, teremos, para sempre, nossos olhos e ouvidos contemplados e iluminados por Tua eterna luz e pelo som do céu, com sua incessante sinfonia de adoração ao Deus eterno!
 
Acredito ser este, um dos mais importantes textos das Escrituras do Antigo Testamento:
 
"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Do aumento deste principado e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o firmar e o fortificar com juízo e com justiça, desde agora e para sempre; o zelo do SENHOR dos Exércitos fará isto."
(Isaías 9.6-7).
 
E nem é preciso estar escrito JESUS; pois, tanto a Lei como os profetas, apontam diretamente para a Pessoa de Jesus Cristo - Único Caminho e Porta para a bem-aventurança eterna!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Perdoar e ser perdoado


Nesta manhã, Maria Célia Calegari & eu estamos de partida do querido Estado do Espírito Santo; tendo cumprido esta abençoada agenda: No sábado, estivemos na IMW de Guaçuí, onde participamos do 4º aniversário do Desperta Débora (estabelecido por Célia em 2009) que hoje conta com 100 Déboras na cidade. No domingo, participamos do 2º aniversário da Frente Missionária da Praia da Costa, em Vila Velha, onde pregamos a convite do seu titular, Pastor Abdruschin Schaeffer Rocha. E ontem, a convite do Pastor Gedson Alves Corrêa, estivemos na IMW de Santo André, em Vitória; onde Maria Célia empossou a nova liderança do Desperta Débora que ela ali estabeleceu em 2009; enquanto eu me reunia, em caráter informal e agradável, com o Presbitério desta querida igreja.
 
Não tenho palavras para expressar o quanto sou grato a Deus - tanto pela família que tenho, como pela IMW da 2ª Região que tenho a honra de presidir. Tenho visto a mão de Deus agir com graça em nosso favor; e me sinto sem palavras para exprimir toda a gratidão que sinto! Hoje, enquanto eu orava, refletia sobre o perdão. E louvei ao Senhor - tanto pelo IMPERATIVO do perdão que precisamos liberar sobre aqueles que de algum modo nos ferem e perseguem, como pelo ENSINO do perdão que ele nos ministra na prática; nos perdoando todos os dias, mesmo sendo nós pecadores por natureza. Esta é a mais pura verdade: Se não fosse o perdão de Deus, trazido pelo oceano do Seu amor até à nossa praia; não teríamos a menor chance de desfrutar da Vida eterna em Sua presença.
 
É sempre bom saber que Deus nos perdoa: "DAS profundezas a ti clamo, ó SENHOR. Senhor, escuta a minha voz; sejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas. Se tu, SENHOR, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido." (Salmo 130:1-4). O Seu perdão é sempre maior que o nosso pecado! Também somos intimados a perdoar aquele que nos ofende e maltrata: "Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós, Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo." (Efésios 4.31-32). Então, perdoar ao ofensor não é um ato baseado em sentimento; e sim um ato da própria vontade submissa à ordenança de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Misto de Alegria e temor

 
Querido Pai; me prostro aos Teus santos pés nesta manhã, com os joelhos dobrados e com o coração rasgado. Aprendi que nem sempre, joelhos dobrados em Tua presença significam verdadeira prostração e contrição; pois, aquilo que define nossa aceitação diante de Ti é a real intenção do coração; pois tudo conheces, ó Deus eterno. Enquanto eu oro, me dou conta de dois sentimentos que alternam presença em meu coração: sentimento de impotência para o cumprimento integral da missão à mim confiada; e, sentimento de imperfeição ante a santidade e majestade do Deus que me fez ser filho antes de me ter como servo. Obrigado, Salvador eterno! Jamais poderei pagar ou mesmo corresponder à tanto amor e graça, revelados em Cristo Jesus - nosso único Salvador - soberano e eterno Senhor de todos nós!
 
Enquanto eu me curvo; Sinto um misto de alegria e temor; por saber que estás comigo e me ouves, em momentos como este. Trago comigo - em fervente oração - a minha querida família; que jamais deixo de fora, quando entro em Tua presença. E trago amigos e irmãos que precisam ser lembrados nesta hora. Trago também os Ministérios: "Desperta Débora", "Retiro do Coração Abrasado", "GCEU", "RESPIRE", "CEFORTE", "ESCOMIW" (entre outros) devido a sua importância para esta Igreja. E trago o próximo Concílio Geral da IMW; pois sei que, a um homem eleito para ocupar a sagrada missão de compor o CG - tanto um Secretário Geral como um Bispo - não basta apenas ter projetos e qualificações; mas ser um homem separado pelo Senhor para o Momento e a Missão. Pois Tua obra precisa de homens segundo o Teu coração!
 
Preciso procurar manter sempre diante dos olhos este texto da Bíblia: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2.5-11). Na verdade, ele apresenta o maior exemplo de quebrantamento e humildade que já existiu. É tudo que eu preciso imitar!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Viagem à eternidade


A dias atrás, passei cerca de dez horas em um ônibus - em viagem de Belo Horizonte à Guarapari, chegando na manhã do dia seguinte, ao encontro de Maria Célia; para viajarmos até Guaçuí. enquanto fazia este cansativo percurso, ao som de murmúrios e queixumes; tentei imaginar aquele ônibus como uma espécie de mostruário da própria humanidade. Cheguei a pensar no que o Talmude diz sobre o valor do ser humano; ao afirmar que aquele que conseguir salvar uma vida, estará salvando a humanidade inteira. Vi que esta declaração está de acordo com os ensinos da Bíblia, sobre o valor da alma humana. E, ao ver que um vasto leque de pessoas - com suas opiniões, seus conflitos, seus medos - estava concentrado naquele ônibus; senti como se a humanidade inteira ali estivesse.
 
Ali, percebi uma vez mais, que, o simples fato de conhecermos a Bíblia e adotarmos seus ensinos; já é uma riqueza de valor incomparável! E, para exemplificar, cito este texto: "Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas." (Mateus 7.12). Este princípio bíblico, assim como tantos outros; traz um modelo de relacionamento diferente daquilo que costumamos ver no dia-a-dia; mesmo entre muitos cristãos dedicados. Enquanto o mundo gira; muitas pessoas vivem como se tudo devesse girar em torno de si mesmas; e a palavra para explicar este tipo de conduta é "egoísmo". Enquanto procuro refletir; vejo lares se fragmentando e pessoas se odiando... E encontro nesta palavra uma das explicações para o mal existente no mundo.
 
Enquanto isso... O ônibus da angústia e do medo em que a humanidade viaja, segue - tentando ocultar os males que transporta - rumo a um destino que se afigura trágico. Seu condutor fez opção pelo caminho largo; levando consigo um misto de gente com seus medos e conflitos; sem imaginar que, por pior que seja o o mundo e o trajeto; o destino final será ainda pior. No entanto... Existe um transporte alternativo, com luzes inundando o seu interior. Ele segue pelo caminho estreito que conduz à Vida. Enquanto no primeiro carro, seu condutor tem o rosto envolto em penumbra; mal deixando entrever seus traços de maldade (conhecido como anjo das trevas); no segundo transporte, seu condutor é "Amigo do Noivo" - luz em pessoa - e tem um nome que diz tudo: Espírito Santo.
 
Este texto resume o que a mensagem que postei pretende passar: "Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem." (Mateus 7. 13-14). Portanto, não existe caminho alternativo para a salvação, pois: "Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14.5-6). Assim, não existe a menor dúvida quanto ao fato de que a Palavra de Deus deixa bem claro que Jesus é o único caminho que conduz à Vida Eterna; sendo ele mesmo Deus criador e Autor da Vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Verdade profética ignorada




Nesta madrugada, enquanto eu orava ao Pai; duas perguntas ocuparam a minha mente - ambas relacionadas entre si: 1) "Estará a maioria dos crentes gerados nestes dias nebulosos; preparada para lidar com aquilo que está por vir?". 2) "Estará a maioria desses crentes; embalados por propostas de um mundo favorável aos seus sonhos; ciente daquilo que está por vir, ainda nesta geração?". Confesso que me assustei ao contemplar o quadro estampado ante os meus olhos; Os Eventos reservados para este tempo, são inadiáveis e inevitáveis. Então, louvei a Deus por me manter em sintonia com uma verdade profética ignorada por muitos; todavia, tão real como o ar que respiro.


Se alguém quiser entender melhor o meu sentimento em relação a tudo isso, pense nos efeitos de uma tromba d'água ou de um terremoto - chegando repentinamente e surpreendendo uma comunidade inteira; pense no misto de surpresa e desespero estampado no rosto das pessoas; muitas delas a pensar que o mundo está acabando; mesmo sabendo que tragédias assim é algo comum no mundo... E, por mais avisados e prevenidos que estejamos em relação a tragédias iminentes; somos sempre pegos de surpresa quando elas chegam. E os dias reservados para esta geração, serão muito mais assustadores do que tudo aquilo que estamos acostumados a ver neste mundo.
 
Sinto que devo manter os meus olhos neste texto:
 
"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz."
(2 Pedro 3.9-14).
 
Recomendo também cuidadosa leitura dos capítulos 24 e 25 do Evangelho de Mateus.
 
Cordialmente
Bispo Calegari

domingo, 15 de dezembro de 2013

Preferência em família


Na última qunta-feira, Deus me deu a graça de participar do culto na Igreja Metodista Wesleyana em Milionários_ BH/MG. O Pastor Lino e sua esposa Júnia fizeram a gentileza de me buscar em casa e me levar, em meio a forte chuva que caia sobre BH. Deus me deu uma palavra à igreja, sobre a necessidade de uma vida de oração incessante; de regozijo; de gratidão; enfim, de constante busca do bem, conservando acesa a chama do Espírito em nosso interior. A palavra, sob unção de Deus, me trouxe grande alegria e conforto. Sei que alguém pode estar pensando: "Bispo, me diga algo que eu não saiba". No entanto, quero aqui afirmar que o maior problema dos crentes, não é ignorar preceitos importantes para uma vida melhor; e sim, o de não procurar cumprir aqueles que ele já está cansado de saber.
 
Enquanto pensava no culto, fui levado a pensar na perigosa relação entre Isaque, Rebeca, Esaú e Jacó
- uma família com graves problemas de preferências em seu relacionamento; que acabaram por infelicitar a todos os envolvidos: Isaque demonstrava preferência por Esaú; e Rebeca não escondia sua preferência por Jacó. E pude perceber que o ideal é quando os pais podem amar os seus filhos de igual modo; sem visível preferência por um ou por outro. Mas, sei o quanto isso é difícil. Porém, se ao menos conseguirmos afagar um filho, sem ignorar o outro; ou, ajudar um filho, exibindo semblante alegre, sem ajudar um outro filho com semblante ou tom de censura. Podemos até não resolver os problemas dos nossos vizinhos; mas, não contribuiremos para criar problemas em nossa própria família.
 
Hoje achei por bem comentar a mensagem com dois textos. Este, relacionado à parte inicial da mensagem: "Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal." (1 Tes. 5.16-22). Este outro, relacionado à parte final da mensagem: "Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas. Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo." Col. 3.18-21). Se conseguirmos praticá-los, seremos e faremos pessoas felizes; e conseguiremos cumprir com leveza o propósito de Deus para a nossa vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 14 de dezembro de 2013

O Sol nasceu pra todos

 

Enquanto me prostrei nesta madrugada, senti o peso daqueles que se desviam do caminho do Senhor. Não vai muito distante o tempo em que o próprio desviado reconhecia o seu estado e buscava auxílio para se reerguer. Bem diferente do tempo presente, no qual o foco da grande maioria das pregações que se ouvem não é mais vida com Deus; e sim, vida abençoada por Deus. O adjetivo "abençoado" e "abençoada" é aplicado indistintamente, sem que se tenha uma ideia clara sobre a essência deste termo. Até porque, vida abençoada é expressão que vai muito além dos benefícios terrenos que alguém consiga usufruir neste mundo passageiro.
 
Antes de prosseguir, preciso afirmar que creio nesta declaração de Jesus: "Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos." (Mateus 5.45). Esta palavra dita pelo próprio Deus demonstra que mesmos os perversos e injustos desfrutam de benefícios gerados pelo Senhor. Não ignoro o conceito elementar de que "o sol nasceu pra todos". No entanto, existe a possibilidade de alguém viver intercalando vida cristã formal com vida profana informal. Quero dizer com isso, que: É possível alguém passar boa parte de sua vida conjugando bênção com maldição; sem sequer pensar no final ruim que o espera.
 
Então, louvei outra vez ao Senhor; pois, sei do abismo de onde me tirou, por meio de Jesus; me dando o direito de andar em Sua presença. Não ignoro as aflições que sofrem aqueles que querem viver com verdade e seriedade, o evangelho da graça legado pelo próprio Jesus e pelos homens que nomeou seus apóstolos. Todavia, percebo que a vida é de curta duração; e que, por mais prazer que alguém possa ter, em seu envolvimento com este mundo, nada compensa a perdição eterna. Prefiro pensar que o melhor mesmo é trazer no corpo as marcas do padecer de Cristo, nesta vida temporária; e desfrutar no futuro a bem-aventurança eterna.

Penso ser urgente meditar neste texto:
 
"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas! Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom."
(Mateus 6.19-24).
 
Creio que, em momento algum da História da Igreja, ele foi tão relevante como em nossos dias!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Buscando loucas diversões


Hoje eu despertei com uma insistente pergunta em minha mente: "Por que eu penso e vivo, como se esta fosse a geração do fim?" Enquanto eu "matutava" sobre esta questão; procurei rebuscar em meu interior as razões que alimentam esta convicção. E, vejam o que encontrei: Somos uma geração desafiada, por vozes internas e externas, a pregar o Evangelho - em todo tempo, em todo lugar e por todos possíveis - como se esta fosse a mais urgente tarefa destes últimos dias. Somos uma geração cercada de meios de diversão e lazer, como nunca se viu em toda a história humana; como se Deus tivesse criado os humanos apenas para viverem em mundo de fantasia e diversão.
 
Ah... E somos também a geração que mais escândalos produziu em sua curta história. Geração marcada por conduta libidinosa, sempre em busca de novas formas de prazer sexual; em que nem mesmo as crianças são poupadas, contanto que homens e mulheres tenham os seus minutinhos de prazer sexual. Geração ao mesmo tempo vítima e vilã de elevados índices de corrupção em todos os níveis. Geração que tenta silenciar a dor do seu pecado - do mesmo modo que o alcoólico procura aplacar os sintomas de sua ressaca - pecando um pouco mais. É verdade! Geração que procura aplacar o sentimento de desconforto por seus pecados, buscando loucas diversões.
 
Todavia, aquilo que mais me convence de que estamos perto do fim; é o desvio de rumo de muitos cristãos, que vivem como se do mundo fossem; ou, como se nunca tivessem conhecido a Jesus e Sua Palavra. Cristãos que ao mal chamam de bem e ao bem chamam de mal. Crentes para os quais o adultério já não é mais o único fator capaz de quebrar os laços do matrimônio. Multidões frenéticas que vão substituindo os cultos a Deus; por um tipo de show, em que seus artistas são aclamados como se deuses fossem... Sem ao menos tentar entender o "por que" de suas canções de louvor exaltarem de modo sutil o homem, como se ele fosse o centro do universo.
 
Devemos refletir sobre o contexto desta advertência: "E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus. Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar." (Mateus 24.29-35). O ideal é meditarmos nos capítulos 24 a 26 de Mateus. O fim vem!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Adoração e gratidão


Não há um dia em que eu ore; em que meu coração não se volte para adoração e gratidão! Algumas vezes, chego a pensar que estes dois sentimentos devem ser demonstrados logo no início de cada oração feita - como um carro chefe - conduzindo os demais motivos da oração pelo caminho vertical que conduz à presença do Pai. Nesta madrugada, enquanto eu orava, me reportava ao culto de ontem na IMW de Vila Isa/Governador Valadares. Louvei a Deus pelo Pastor Washington e pelo brilhante ministério que vem exercendo ali; nutrindo e conduzindo com zelo e dedicação o rebanho do Senhor entregue aos seus cuidados pastorais.
 
Então, após conduzir minha querida família aos pés do Senhor; procurei interceder pela 2ª Região, sob meus cuidados pastorais; pois conheço muito bem os ardis de Satã e os diversos meios que utiliza para tentar atingir e afligir aqueles que temem ao Senhor e perseveram em Seus caminhos. Sei que esta região tem suas exceções (crentes que ainda não entenderam que fé cristã não é uma bandeira semelhante às erguidas por torcidas de futebol, incitando à confusão); todavia, em sua maioria, os obreiros e crentes da 2ª Região procuram conhecer melhor ao Senhor. E isso tem sido demonstrado nos eventos regionais promovidos pelos diversos departamentos.
 
E hoje, na sala do Pastor Sidenilson Alvino Pereira - onde estendi o meu lugar de oração - adorei e agradeci ao Deus eterno; por me ter tirado do império das trevas e me transportado para o reino do Filho do Seu amor. Ali, mais uma vez, agradeci por me ter dado nova vida e nova identidade. E declarei que considero meus títulos e conhecimentos - mesmo os mais nobres - sem proveito algum para aquilo que pretendo, nesta e na outra vida. Ainda bem que tenho o Espírito Santo em mim; me guiando e me motivando a pautar minha vida na revelação da Palavra, trazida por Aquele que conhece todas as coisas, mesmo as profundezas do próprio Deus.

Creio que o meu sentimento é muito bem expresso por este texto bíblico:
 
"Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."
(Filipenses 3.7-14).
 
Pretendo viver de modo coerente à ele.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Duas palavras


Enquanto eu buscava a Deus, meu espírito se deteve em duas palavras: Religiosidade e espiritualidade. Parecem afins; no entanto, quão diferentes são em seu real significado. Enquanto que a primeira leva as pessoas a adotar e formatar ao seu gosto e convicção, um tipo de culto e de sistema doutrinário, chegando a criar um deus que se encaixe em seu conceito; a segunda, promove um choque interior que nos coloca acima das discussões que reduzem a Palavra e a Obra de Deus aos limites do nosso próprio entendimento. Sei que há momentos em que ambas as experiências parecem ser a mesma coisa. No entanto, suas diferenças são bem maiores que suas semelhanças. Na verdade, a diferença entre elas está na essência e conteúdo das mesmas. Foi isso que levou muitos fariseus e doutores da lei a rejeitar a graça; pois o formato e significado que deram à Lei; bem como o seu apego a conceitos deturpados, os levaram a se tornar cada vez mais religiosos e menos espirituais. Enfim, tentar definir lei e graça à nosso modo - algo próprio da religiosidade - pode nos levar a negar o fim da Lei ou tentar mudar o sentido da Graça.
 
E ainda hoje, vemos pessoas agirem assim; bem mais religiosas do que espirituais. E, em decorrência disso, vemos conflitos religiosos ocorrendo em várias partes do mundo; deixando em sua esteira um número de mortos e feridos que não para de crescer; pois, enquanto que a religiosidade nos leva à loucura de brigar e até matar em prol dos conceitos que adotamos e da causa que defendemos; a espiritualidade, por sua vez, transfere o campo de luta para dentro de nós mesmos; onde residem as paixões carnais. Então passamos nos preocupar com o nosso pecado e não com o pecado do nosso irmão. E passamos a ver o Deus eterno acima dos conceitos que procuram defini-lo; ou da causa que julgamos ser Dele. Foi este sentimento que levou Jesus a acalmar os impetuosos discípulos, que queriam a todo custo silenciar alguém que expulsava demônios em Seu nome; dizendo-lhes: "Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim. Porque quem não é contra nós, é por nós." (Marcos 9.39-40).
 
Creio ser de grande importância meditarmos nos termos deste texto: "E suscitou-se entre eles uma discussão sobre qual deles seria o maior. Mas Jesus, vendo o pensamento de seus corações, tomou um menino, pô-lo junto a si, E disse-lhes: Qualquer que receber este menino em meu nome, recebe-me a mim; e qualquer que me receber a mim, recebe o que me enviou; porque aquele que entre vós todos for o menor, esse mesmo é grande. Quem não é contra nós é por nós. E, respondendo João, disse: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava os demônios, e lho proibimos, porque não te segue conosco. E Jesus lhes disse: Não o proibais, porque quem não é contra nós é por nós." (Lucas 9.46-50). Digo isto; pois percebo que, por falta desta visão, alguns vivem a tentar crescer por fora, investindo tempo e dinheiro em seu homem exterior; enquanto o seu homem interior definha e diminui de tamanho a cada dia.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari