sábado, 30 de novembro de 2013

A verdade sobre a Verdade


Pai, que privilégio eu tenho; de poder estar prostrado no lugar de oração. E, por mais que eu frequente este lugar - não tantas vezes como eu devia - sempre me surpreendo ao me aproximar dele! Algumas vezes, é como seu eu subisse um alto monte para nele estar; outras vezes, como seu eu mergulhasse em um mar revolto ou caminhasse em um deserto, para encontrá-lo. No entanto, percebo que o lugar está sempre perto - uma espécie de "perto/longe". Mas, não importa! Por mais difícil que seja minha chegada, sinto que o tempo para quando nele me encontro; e que tudo muda quando dele saio. Estando ali, me dou conta de que tudo aquilo que levo ou que pretendo, se reduz a uma Presença. Enfim, percebo que Tua presença é que dá sentido ao lugar de oração! Nele, ante Tua face, tudo deixa de ter a importância que parece ter; pois, apenas Tua presença e Tua voz, ali, são importantes.
 
Enquanto eu me curvo diante do Senhor, me dou conta de que toda a discussão em torno da Verdade perde o sentido, quando a Verdade está diante de mim. Não uma definição ou conceito sobre ela; mas, a Verdade que - mesmo sendo Deus - se revela em forma humana. O mais humano dos homens; o único Deus entre os deuses. Então, sou lembrado que Pilatos - a perguntar sobre a verdade - nem imaginava que estava diante dela, em pessoa; perante a qual estará um dia, para ser finalmente julgado. Verdade que homem algum pode definir - por mais santo que seja - pois a única definição aceita é a que provém do Céu; conforme foi revelada a Pedro o discípulo tornado apóstolo. Portanto, não me preocupo em demasia sobre o que os homens - mesmo os que se julgam Teus - dizem sobre a verdade ou sobre a fé. Pois, minha preocupação maior é estar em Tua presença e fazer Tua vontade.
 
Na presença de Deus, tenho aprendido que o único modo de nos inteirarmos da revelação da Palavra é nos deixando encher do Espírito Santo. Penso que o testemunho de Paulo, expresso nestes dois textos, deve ser levado em alta conta por todos nós pregadores: "Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus, antes falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus." (II Coríntios 2.17). "Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade." (II Coríntios 4.2). Somente cheios do Espírito, teremos condição de pregar a verdade sobre a Verdade. Se vivermos na presença de Deus, nossa pregação será bem mais sagrada e muito menos confusa.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Preciso me preservar


A dias atrás, Célia e eu nos levantamos mais cedo do que o habitual, devido às viagens que faríamos, levando em conta quatro roteiros: Confraternização de Obreiros do Distrito de Cataguases; aniversário da IMW de São Marcos, em Serra; Encontro com o Distrito de Vitória no aniversário da IMW de Jardim Colorado, em Vila Velha; e, inauguração da 2ª IMW de Guarapari. No entanto; precisei antes passar pelo lugar de oração e ali me deter por algum tempo, diante do meu Rei e Senhor. Afinal, este precisa ser o real ponto de partida para as diversas atividades ao longo de um dia cheio de surpresas. Enquanto eu orava, fui levado a refletir sobre algo que todos nós sabemos; mas, que, nem sempre levamos em consideração. E assim, mais uma vez, fui edificado e enriquecido enquanto buscava a graça e unção do Deus eterno sobre minha vida.
 
Ouvi em meu íntimo, que preciso ter cuidado com as portas de entrada de minha vida interior. Então, pedi ao Senhor que me ajude a manter limpas e bem direcionadas as janelas de minha alma - os meus olhos - para que a visão através delas não se prenda a imagens que não me edifiquem; enquanto observo pessoas, cores e formas que se apresentam ao longo do caminho. Pedi também que seja guardada a porta da rua - os meus lábios - para que não saiam pensamentos não depurados de impureza; ou, palavras de agressão e ofensa à vida e à honra de quem quer que seja. E, que guarde os meus ouvidos - porta dos fundos - para que por ele não entre informações profanas e assuntos levianos (mesmo vindo de amigos) que teimam em querer se infiltrar em meu íntimo. Preciso me preservar; pois sou servo de Deus e agente da verdade sagrada.
 
Dentre os componentes indispensáveis no dia-a-dia de qualquer cristão; Oração e vigilância os dois mais importantes para quem procura viver em santidade. O Senhor Jesus, em diversas ocasiões, nos exortou a vigiar e orar: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Marcos 14.38). Em nossos dias, vai se tornando cada vez mais frequente a queda e o desvio de muitos crentes. Creio que um dos fatores que mais deve contribuir para o declínio moral entre cristãos é seja a falta de ensino sobre a santidade bíblica. Realmente, não podemos nos descuidar; pois, não é preciso mais que um minuto de descuido para desfazer valores adquiridos ao longo de uma vida de luta e de sacrifício. Portanto, precisamos fortalecer o nosso espírito com a oração e a Palavra de Deus. Vigiemos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Alianças que tenho


Hoje de manhã, buscando a face do meu Senhor; procurei expor diante do Pai, preocupações e medos que são comuns a todos os humanos; mesmo os mais próximos de Deus. Orei por minha querida família; pois sempre vi a família como parte integrante da vida de alguém, sendo extensão de sua própria vida. Orei também pelo meu trabalho; pois, sou convencido de que ele também é parte integrante da minha razão de ser (sempre ouvi dizer que o trabalho enobrece o homem... Mas, para ser sincero, devido ao meu modo de ver esta relação, vou além desta definição). E, busquei de Deus direção para uma questão que sempre me incomoda - o perdão que se deve dar a quem nos trai - não ao ponto de me tirar o sono ou de me angustiar; mas, me causa desconforto.
 
Tenho sentido em meu íntimo, que é bem mais fácil amar os inimigos do que perdoar os amigos. E isso, porque um inimigo nunca nos trai; ele simplesmente nos odeia e despreza. Já um amigo pode trair nossa confiança e nos magoar profundamente. E a traição se dá quando uma aliança é quebrada. Por exemplo: Um amante não se incomoda em dividir a cama com o cônjuge de sua amante. E isso, porque eles não têm uma aliança; e sim, uma cumplicidade pontual, baseada em prazer proibido por Deus. Já o cônjuge tem uma aliança sagrada que exige exclusividade; e, quando esta aliança é profanada e a traição se materializa; é como se o mundo desabasse sobre a cabeça do traído (na verdade, o mundo desaba muito mais sobre a cabeça do traidor, do que sobre o traído).
 
Então, me voltei para as alianças que tenho: Aliança com o Senhor Jesus; aliança com minha esposa e com meus filhos; aliança com os meus companheiros de liderança; aliança com os meus liderados; enfim... Aliança com os meus amigos. Aprendi que uma aliança nos impõe franqueza e transparência com os nossos amigos. Aprendi também que uma aliança não nos obriga a abrir mão de princípios - éticos, morais ou espirituais - para favorecer um amigo em falta; e, que ela nos obriga a dizer-lhe a verdade, mesmo dolorosa, sempre que isso for necessário. Pude, então, perceber que nunca é fácil ser amigo ou ter amigos; pois, a amizade admite divergência. Ela só não admite traição. Assim, Pai, peço que me ajuda a perdoar os amigos, quando por eles me sentir traído.

Sempre sou edificado e enriquecido quando volto minha atenção e pensamento para as Escrituras. Na Palavra de Deus eu encontro a fonte inigualável de alegria e de conhecimento. Como este texto me faz bem: "Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda." João 15.15-16). Pois nele aprendo que - mesmo sendo eu o menor e mais frágil dos servos - Jesus me tem como amigo! Que Deus me ajude a honrar eternamente esta gloriosa amizade!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Itinerância do chamado


Nestes dias, sem que eu me desse conta; comecei a pensar nos momentos de descontração e de comunhão que Maria Célia e eu desfrutamos no último sábado; participando da confraternização dos obreiros do Distrito de Cataguases; onde passamos uma boa parte do dia juntos, em um belo sítio próximo a Muriaé. A tônica entre os pastores, aspirantes e sonhadores com ministério era uma só: Grandeza do chamado e expansão da Igreja. E, como resultado, novos trabalhos estão sendo abertos e novos municípios estão sendo alcançados. Impressiona o nível de desprendimento daquele grupo! Talvez, devido a isso, quando precisamos de um obreiro para terras distantes; o lugar onde nunca se ouve um "não" seja a zona da mata mineira - forjaria de homens e mulheres desprendidos para a Grande Comissão - da qual saíram todos aqueles que se encontram no Estado do Pará e dois no Tocantins.
 
Enquanto isso, na contramão do "Ide"; percebemos a indisposição de obreiros que estão sendo forjados em alguns núcleos wesleyanos, em se desprenderem de sua zona de conforto em prol do clamor dos aflitos; apresentando suas razões (família, trabalho, estudos) para não atender ao imperativo deste chamado: "Ide por todo o mundo...". Não sei se tenho razão; mas, a mim me parece que isso tem tudo a ver com o tipo de mentoreamento recebido por parte daqueles que exerceram ou ainda exercem liderança sobre os tais. Ainda bem que temos também bons mentores, se contrapondo a esta tendência de apego aos valores que seriam bons; se não se tivessem transformado em prisão de bons obreiros. E me pergunto: Qual será a desculpa dada por aqueles que assim pensam e agem, no Dia do "acerto de contas", em sua tentativa de querer justificar o injustificável? O desfecho, só Deus sabe!
 
Sempre me senti atraído por alguns textos bíblicos que dispensam comentários. E este é um deles: "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus. E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém." (Marcos 16.15-20). É comum vermos jovens e adultos postularem o Ministério Pastoral; todavia, estaremos nós disponíveis às implicações da itinerância do chamado?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Louvor e santidade


Sempre que busco a face do Senhor (como fiz nesta madrugada) procuro ser objetivo em minha prece. Hoje procurei levar comigo os meus pontos fracos, sem detalhar; pois são tantos, que existia o risco de deixar alguns de fora. Chorei muito diante do Senhor; mas, fui confortado ao ouvir que minha força é aprimorada nas fraquezas. Então, chorei mais ainda... Por aprender que até mesmo a minha pequenez tem utilidade ao propósito de Deus. Falei sobre minhas lutas e provações; e, ouvi no íntimo que as melhores armas que preciso ter nesta guerra não são as que procuro escolher por minha própria conta; e sim, aquela arma que vai sendo esculpida enquanto estou orando; arma própria para aquele tipo de combate. Então, aprendi que a melhor arma de guerra é a forjada no lugar de oração; cujas brasas que lhe dão calor e forma, são acesas por minhas orações.
 
Chorei ainda mais, ao ouvir, de novo, que Deus me ama além do mérito; e, que, preciso estar em atitude de louvor e de santidade em Sua presença - não para que Ele me ame mais - mas, para que eu me sinta melhor; e me torne capaz de auscultar Sua voz e de sentir o Seu calor, quando Ele fala e se aproxima. Assim, pude entender que - em meu "guarda-roupas espiritual" - preciso ter duas peças insuperáveis: A vestidura de louvor e a vestidura de santidade. E, ficou muito claro para mim que ambas se completam! De tal modo, que: Veste de louvor sem veste de santidade é imprópria; e, veste de santidade sem louvor é insossa. Quando eu louvo sem santidade, posso até agradar a mim mesmo e aos que me rodeiam; assim como, quando sou um santo despido de louvor, me torno frio e indiferente. Mas, quando estou com ambas, consigo agradar a Deus!
 
Tenho aprendido que a Palavra de Deus não é para ser apenas lida; mas, sobretudo, entendida. Preciso tanto ler quanto entender esta Palavra: "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus." (Efésios 5.15-21). Como é importante entender, pelo Espírito, as Escrituras! Pois, sem entendê-la; não conseguiremos aplicá-la corretamente em nossa vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Níveis de conhecimento


Hoje de manhã, após estar prostrado em oração diante do Senhor; fui levado a refletir sobre algo que o Espírito Santo falou ao meu espírito... Algo sobre Sua Palavra e sobre Seu propósito. Senti arrepios em meu interior, à medida em que pensava nas implicações daquilo que ouvi em meu íntimo. Pude perceber algo que já conheço, em linhas gerais; mas, que, Deus me permitiu contemplar em detalhes. Então, saí da presença do Senhor, convencido de que - em qualquer situação ou circunstância da vida - preciso me conduzir e tomar decisões, condicionado pela Palavra de Deus, na qual eu me inspiro; e, no propósito de Deus, no qual eu me balizo; sem jamais me afastar da segurança destes dois marcos que regulam minha vida neste mundo. Portanto, no que concerne à minha vida com Deus; não basta conhecer a Palavra; preciso buscar sabedoria para saber fazer as escolhas certas.
 
Deus me fez ver que, quando um bom cristão fracassa em sua caminhada pelos caminhos desta vida; Na grande maioria das vezes, a razão fundamental é o descuido em relação a estes dois marcos regulatórios da vida do crente. À título de exemplo: Sabemos que a Palavra de Deus não diz tudo, em seus mínimos detalhes, quanto a decisões que precisamos tomar. Ela não diz o nome da mulher com que devemos casar; ou o endereço em que devemos morar; e assim por diante. Todavia, mediante o propósito que o Senhor tem para para conosco, precisamos escolher um cônjuge compatível com aquilo que Ele requer de nós. Só neste quesito, quantos ministérios acabam sendo prejudicados e inviabilizados por escolhas incompatíveis! Davi, quando foi lutar com Golias, recusou forte armadura que não era sua; escolhendo procurar um seixo, enquanto ia rumo ao seu gigante.
 
Sempre que me debruço sobre a Palavra de Deus, procurando meditar em sua mensagem para minha vida; me sinto admoestado por textos como este: "Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso SENHOR, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos;" (2 Timóteo 1.8-9). E assim, mediante as conclusões a que vou chegando - segundo entendimento daquilo que o Espírito de Deus revela ao meu espírito humano - sei que preciso buscar prioritariamente, os dois níveis mais importantes de conhecimento: O conhecimento da Palavra e o conhecimento do propósito para o qual Deus me criou.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 24 de novembro de 2013

Tu estás próximo


Querido Pai! sempre que me curvo em Tua santa presença; faço-o com a firme convicção de que este é um dos atos que pratico, dos quais jamais irei me arrepender. É um momento especial, em que não dependo dos meus sentidos para me aperceber de realidades e verdades trazidas ao meu espírito enquanto oro; pois, consigo Te ouvir e Te sentir com o meu coração. E Tua presença é tão certa, real e reconfortante; que - mesmo quando não sinto ou ouço - sei em meu íntimo que Tu estás próximo. Não tenho meios humanos capazes de expressar a intensidade dos meus sentimentos. No entanto, isso não me impede de ser feliz; então, mesmo em meio às minhas limitações, consigo te agradecer por tudo aquilo que tenho recebido de Ti!
 
E, nesta manhã em especial, estou ciente de que existem momentos em que não consigo entender a sensação de desconforto e intranquilidade que as vezes me assalta; é algo interior, cujas causas me são desconhecidas. Todavia, aprendi que não preciso me sentir bem, para saber que tudo está bem (assim como a mulher, nos dias de Eliseu, cujo filho morrera repentinamente). Então, me pergunto: Por que ficar tentando achar razões que expliquem as causas de sentimentos contraditórios que carrego comigo; se, em qualquer momento da vida, sei que estás presente em em minha vida? E assim, abro mão de preocupações diversas, relativas à mim mesmo; e, passo a me preocupar apenas em estar em Tua presença; vivendo para Tua glória, querido Pai!
 
Como sinto conforto ao meditar na Palavra de Deus! Este texto amadurece e agiganta a minha confiança no cuidado de Deus: "Invoquei o SENHOR na angústia; o SENHOR me ouviu, e me tirou para um lugar largo. O SENHOR está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem. O SENHOR está comigo entre aqueles que me ajudam; por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam. É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem. É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes." (Salmo 118.5-9). Realmente, penso ser de suprema importância para o crente; saber que não existe conforto maior do que aquele que nos é trazido pela Palavra de Deus. Ela é, ao mesmo tempo, vara e cajado que consolam!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 23 de novembro de 2013

A missão de pregar


No encerramento da Convenção de Adolescentes, após pregar para aquele "mar" de gente no auditório do SESC de Guarapari; senti que não teria forças para mais nada, além das que me levariam ao encontro de um plano horizontal em que coubesse o meu corpo. Senti que o esforço do dia anterior, somado ao encerramento da Convenção Regional de Adolescentes, exigiu de mim até a última gota de suor. No entanto, tanto o Pastor Geraldo Rodrigues como eu, fomos convocados a pregar na IMW Guarapari Espirito Santo - ele no primeiro e eu no segundo culto - igreja sob o pastorado do meu filho, Pastor Calegari. Pensei comigo: "Não vou ter condições de dar conta do recado". Todavia, preguei em um templo superlotado, sentindo a unção de Deus perpassando enquanto eu pregava. Então, pensei novamente: "Como Deus pode fortalecer e usar um vaso tão enfraquecido". Creio que para qualquer pregador, nada traz maior conforto do que sentir a unção fluir como água em sua vida!
 
E na madrugada do dia seguinte (por volta das quatro da manhã) enquanto eu orava, me recordei de diversas revelações que recebi do Senhor; algumas delas entregues antes, outras durante a convenção. Foram revelações conectadas entre si; prometendo a este frágil servo de Deus, renovação de suas forças e dilatação do seu tempo de ministério. Então, pensei comigo: "Vejo que não devo me alimentar com a ideia de parar e descansar". Falei com o Pai, sobre os seus sacerdotes que recolhiam-se após os cinquenta anos. Então, cheguei a conclusão de que o Deus todo poderoso, a alguns servos, deseja usar por mais tempo. Falando sinceramente, tenho a esperança de ser um daqueles servos aos quais o Senhor concede descanso em tempo hábil... Todavia, nunca deixarei de me submeter aos desígnios d'Aquele que me chamou por sua graça e virtude. Nasci para ser vaso de Deus; ou levando água de um para outro lado; ou, parado em algum canto, servindo água a quem por ele passa.
 
Desde que fui convidado a pregar pela primeira vez, percebi que o Senhor tinha um ministério para minha vida. E, desde então, tenho procurado cumprir este imperativo apostólico: "CONJURO-TE, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério." (2 Timóteo 4.1-5). Sempre acreditei que a missão de pregar confere paz interior e melhora a qualidade de vida de um pregador comprometido com a vontade de Deus; e o passar do tempo só vem confirmando este meu sentimento.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Sinfonia de singular beleza

 

Eterno Deus criador; venho me estender com humildade no lugar de oração, com o coração carente de falar conTigo e de ouvir Tua voz. Não tenho como entender e, muito menos, explicar o nível de segurança que sinto estando a Teus pés. Enquanto Te busco e Te adoro, procuro auscultar o som do universo... Então, me dou conta de que não existe lugar algum na imensidão do espaço que não apresente marcas da Tua obra. Estrelas cintilam ou se apagam, cantam ou emudecem, em obediência ao Teu mandar. E, nas calotas geladas, nos desertos ardentes e nas regiões abissais; estranhas criaturas unem suas vozes ao som do eterno coral formado por aqueles que te adoram, sem que alguém as tenha ensinado. Isso me deslumbra e me assusta!
 
E eu, em meu pequeno mundo, não posso ficar insensível à esta sinfonia de singular beleza; preciso me prostrar e Te adorar de modo convincente. Pois, de que Tu é meu Deus, tenho a mais absoluta certeza! e de que Tu és o Autor da vida e Maestro desta gloriosa orquestra, não tenho a menor dúvida. No entanto, nem sempre estou seguro quanto ao meu lugar em meio a toda esta grandeza. Sei que sou Teu; mas, sei também que, muitas vezes, quero ser meu... E isso me enfraquece e me desconecta com o verdadeiro som do céu. No entanto, ao ouvir a música da eterna sinfonia, sou convencido de que preciso corrigir o rumo de minha vida, segundo o mapa traçado na Tua Palavra; pois, nunca serei tão meu como quando eu for inteiramente Teu!
 
Sempre fico fascinado, quando medito no diálogo de Deus com Jó: "DEPOIS disto o SENHOR respondeu a Jó de um redemoinho, dizendo: Quem é este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento? Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás. Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?" (Jó 38.1-7). Quanto aprendizado eu encontro, no nível de revelação divina que contemplo neste texto!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Foi sobrenatural


Daqui a pouco mais uma hora, estaremos iniciando o culto de encerramento da XVI Convenção Regional de Adolescentes. Para a pregação final, já está comigo a Palavra de Deus para este "mar" de adolescentes. No entanto, ainda soa em meus ouvidos a voz do Senhor; ao me dizer aquilo que eu precisava ouvir; para transmitir aos pastores, obreiros e suas respectivas esposas. É verdade! O Reunião que tivemos - em simultâneo com o culto dos adolescentes - foi de natureza sobrenatural. E não estou me deixando levar por emoção ou cometendo exagero ao afirmar isto! Na verdade, a unção do Espírito Santo permeou as participações que enriqueceram este tão importante culto, marcado pela confluência do Retiro de Pastores, do ESPAM e do Desperta Débora. Não receio declarar que foi sobrenatural!
 
E, digo também: Pelo modo como Deus tem falado entre nós, somente retornará do mesmo modo que chegou, aquele pastor ou esposa que não foi sensível ao mover, agir e falar de Deus em nosso meio. Estou convencido de que - em muitas igrejas da 2ª Região - algo novo acontecerá, como resultado daquilo que dez fez em nosso meio, em nossas vidas. No entanto, Admito: Assim como a abertura do Mar Vermelho ou os milagres de Jesus na terra santa não resultarão na transformação de todos os que estavam presentes em eventos tão sobrenaturais e gloriosos; assim como a presença constante de Jesus não foi suficiente para impedir a negação de um e a traição de outro, dentre os que sempre estiveram com Ele. De igual modo, não devemos esperar ou exigir mudança em quem não deseja ser transformado.
 
Creio que este belo salmo da Bíblia pode ser usado como testemunho para contar o que Deus fez em nosso meio: "QUANDO o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham. Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes. Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres. Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul. Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos." (Salmo 126.1-6). Verdadeiramente... Quem teve olhos de ver e ouvidos de ouvir, viu a glória de Deus e ouviu Sua voz entre nós!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Oração antes de reunir o CMR


Pai, agradeço a noite passada em Tua presença; após um dia inteiro de uma viagem cansativa, que parecia interminável... Ainda bem que chegamos em boa hora em Guarapari; onde Maria Célia Calegari e eu pudemos descansar, acolhidos por nosso filho, nora e netas. Daqui a pouco, seguiremos para o "Salém" - belo acampamento da 2ª Região - no município de Serra. Sinto prazer especial em Te buscar; envolto na certeza de que me ouves quando clamo. Sempre tento pensar em como seria minha vida, minha família e meu ministério, se eu não procurasse manter uma vida de oração; mas... Não consigo ter uma ideia como seria; a não ser, por uma sensação interior de que tudo seria medíocre ou trágico, caso eu não estivesse sempre aos Teus pés.
 
Quando o CMR se reunir, para avaliar o trabalho que vem sendo feito na Região; peço ao Senhor que encha os 25 homens que dele fazem parte, da unção de sabedoria e de revelação; para que as decisões porventura tomadas, não contrariem o Teu propósito para com o Teu povo sob os nossos cuidados pastorais. As vezes, me sinto tentado a tomar medidas sugeridas pela razão ou mesmo pela emoção do momento... Ainda bem que tenho a consciência trabalhada por Teu Espírito; e, ela me faz ver com clareza que - em se tratando de assuntos ligados à obra do Senhor - a lógica não deve ser levada em conta. Afinal de contas, quando Jesus expulsou os "vendilhões do templo", ela não agia por emoção; mas, movido pelo vero e sobrenatural "zelo da Tua Casa".
 
Enfim, querido Pai, quero aprender TUDO conTigo... Aprender a servir, na justa medida da real necessidade, aqueles que estão "acampados" à minha volta; e, também, a entender os limites de um zelo verdadeiramente voltado para os Teus interesses; de modo a que eu não me contente com menos, nem me exceda no exercício do mesmo. Sou grato a Ti, por conhecer e entender os limites que fazem parte de mim. Na verdade - longe de me constranger ou incomodar - minhas limitações contribuem, de modo decisivo, para o meu crescimento espiritual e moral; uma vez que sempre me levam à Fonte de onde provém os recursos que podem me tornar mais humilde e sensível à Tua voz. Obrigado, Pai, por Tua graça para comigo!
 
Precisamos aprender a usar o zelo com discernimento espiritual: "E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e os cambiadores assentados. E tendo feito um azorrague de cordéis, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou o dinheiro dos cambiadores, e derribou as mesas; E disse aos que vendiam pombos: Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de venda. E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará." (João 2.13-17). Na verdade, não há como acertar em certas decisões - mesmo as mais zelosas - se não nos dispusermos a aprender prostrados aos pés do Senhor! 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Visita à IMW Venda Nova


A uma semana atrás, Maria Célia Calegari & eu iniciamos a viagem que nos levou a Guarapari, passando por Petrópolis. No Acampamento "Salém", tivemos a nossa reunião de final de ano com o CMR. Depois, fomos envolvidos em uma extensa semana; pois, tivemos a Convenção Regional de Adolescentes (sob coordenação do Pastor Perim, Márcia Suzuki e Beusley Balestrero); a reunião do "Desperta Débora" e do "ESPAM" (com Maria Célia); e, o Retiro de Pastores comigo. Foram dias de edificação e comunhão - Deus falando e agindo em nosso meio - nos quais a IMW da 2ª Região foi fortalecida e edificada. Não tenho a menor dúvida em declara que, ao longo desta semana, a nossa Região foi preparada para enfrentar seus desafios.
 
Entretanto... Fiquei a pensar em nossa estada na IMW de Venda Nova - em Belo Horizonte - neste final de semana. Foi sobrenatural! Deus nos abriu a porta da Palavra nos dois dias que ali passamos; e senti que aquela igreja foi visitada pelo Espírito Santo. Estivemos em uma reunião voltada para a família, promovida pelo Departamento de adultos, a convite da Diretora - irmã Henilzete De Paula. Ficamos hospedados em sua casa; sendo tão bem acolhidos por Henilzete - filha de Helina e do saudoso Bispo Nilson de Paula Carneiro - seu esposo Ivis e sua filha Loli. Foi visível a manifestação de carinho por parte desta querida família para conosco. No domingo, nos serviram um almoço digno de filhos do Rei. Agradeço a Deus por termos estado ali!
 
NO domingo, Deus nos deu graça para ministrar na EBD; onde o assunto foi o Espírito Santo: Sua presença e Sua obra na vida do crente. Senti o quanto fomos edificados pelo Espírito Santo presente entre nós, como uma onda que percorria o templo, trazendo cura e despertamento da fé. Antes do almoço, fomos conhecer o templo da IMW do Landi, sob a liderança do Pastor Luiz Guilherme e do Pastor José Sotéro. Depois, almoçamos juntos em casa de Henilzete; onde já estavam Leda - viúva do saudoso Pastor Sebastião Maciel - sua filha Eliúde e seu genro Rafael. A noite, Deus nos deu uma palavra alusiva à vida em Jesus. Posso dizer sem exagero: Deus se fez presente em nosso meio, de modo sobrenatural. Glória seja dada à Ele!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Existem pastores amorosos


Estive orando ao Pai nesta manhã; e, não pude deixar de apresentar alguns pastores e obreiros que me causam preocupação... Pois, ao longos dos cinco anos em que estou à frente da 2ª Região, não vejo mudança em seu "modus operandi". Alguns dentre eles, já foram orientados e advertidos; mas, nada mudou - nem mesmo suas alegações cheias de autodefesa, justificativa e queixa; alegando que são perseguidos, injustiçados, etc... Sem entender que aquilo que se espera deles são os frutos de um ministério abençoado por Deus e reconhecido por suas ovelhas. Enquanto isso...
 
Vemos o estado de instabilidade do rebanho que se comprometeram em cuidar e o lamento daquelas ovelhas mais atuantes e esclarecidas; sem saber mais o que fazer para continuar convivendo com um líder destemperado e equivocado; que não consegue aprender que o pastor foi levantado por Deus para levar o Suas ovelhas a pastos verdejantes e águas tranquilas; servindo de exemplo ao rebanho - na família e no trato com as pessoas - sendo um espelho, através do qual as ovelhas possam ver refletida a imagem do Sumo Pastor, Aquele que deu por elas Sua própria vida!
 
Depois de orar e refletir sobre tão delicada questão; sigo para o "Salém". Lá, os 24 Superintendentes Distritais se reunirão comigo; buscando em Deus graça para lidar com problemas que seriam de simples solução, se aqueles que são os seus protagonistas não dificultassem as coisas. Nesta reunião, estaremos reconhecendo o mérito de pastores amorosos, eficientes e dedicados em seu trabalho; e, buscando solução para problemas criados por alguns pastores - cujo maior problema se chama pelo seu nome - os quais vêm demonstrando incapacidade de se ajudar a si mesmos.
 
O pastor que deseja cumprir com honra sua missão, precisa ter os olhos neste texto: "Portanto assim diz o SENHOR Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. E eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão, e se multiplicarão. E levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o SENHOR." (Jeremias 23.2-4). Então, aprenderá como exercer eficazmente o seu ministério pastoral.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Deus me teve por fiel


Nesta manhã, ainda bem cedo, fui despertado por Deus para me dedicar à intercessão. Sempre sinto especial alegria ao levantar-me antes da alva!. Não sei se conseguirei acordá-la, como fez Davi. Todavia, sinto-me feliz em poder me antecipar a ela. Enquanto orava, foi levado a pensar na minha condição de crente. E mais uma vez, me dei conta de que sou um crente mediano. E senti alívio em pensar assim... Saber que não consigo me incluir entre aqueles que chegam a posições extremas, em se afã de servir a Deus e ao Seu povo; e, nem estar incluído entre os que priorizam as coisas desta vida, acima da necessidade de orar e viver uma vida na presença do Senhor.
 
Então, agradeci a Deus em meu espírito; pois, sendo um crente comum - ainda que muitos não pensem assim - tornei-me alvo do Seu amor e graça... A tal ponto que Deus me teve por fiel, separando-me para o ministério. Enquanto sigo, vou buscando cumprir Sua vontade; e, ao mesmo tempo, procurando me desviar dos embaraços, sem sentir necessidade de ficar catando coisinhas que encontro ao longo do caminho. É que carrego comigo a convicção de que coisa alguma que venha a chamar minha atenção - por mais valiosa que seja - se compara ao que me espera ao final da jornada. Então, por que perder tempo com o que não agrega valor à minha vida?
 
É bem verdade que não me sinto realizado; e, também, nem sempre preparado para lidar com provações ou suportar o dano causado por perseguições e injúrias que as vezes sofro neste mundo. Todavia, aprendi nas Escrituras que a plena realização somente será alcançada naquele grande Dia em que o Sol não vai mais se por. Aprendi também que a preparação não é algo que se alcança ao fim de um processo; e, sim, uma experiência que vai sendo adquirida enquanto caminhamos - com o passar do tempo - na justa medida em passamos pelas provas e lidamos com os desafios. Assim, mesmo sem me sentir realizado ou preparado, sinto alegria por ser de Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 10 de novembro de 2013

Sinfonia da vida


Dou graças, meu Deus; por poder Te buscar, prostrado no lugar de oração; lugar essencial, para que os demais lugares que frequento tenham sentido e propósito. Não sei com detalhes, como será o meu dia e a minha vida pelo simples fato de orar; todavia, sei muito bem como seria minha existência se eu não orasse: Seria um inferno chamado de vida. Sinto prazer especial em poder me mover, observar e... Contemplar uma pequena plantinha em meio ao arvoredo; poder sentir os diversos cheiros enquanto ando - alguns agradáveis, outros não; porem, harmoniosos, como se fizessem parte de uma peça da sinfonia da vida. Os animais que encontro ao caminhar, com suas formas, cores e sons peculiares; compõem o "todo" de uma sinfonia que Te exalta o tempo todo, meu Criador!
 
Entretanto, enquanto caminho; vejo homens e mulheres, sob a forma de crianças, jovens, adultos e idosos... Então, percebo que estou diante do alvo direto do Teu grande amor; então... Me dou conta de que sou um deles; parte da mesma massa humana pela qual Jesus deu Sua vida. Todavia, sei em meu íntimo que eles são tão diferentes entre si. Enquanto alguns corpos deformados escondem u'a alma de rara beleza; outros corpos "sarados" e belos disfarçam muito bem a alma aleijada que carregam dentro de si. Enfim, sei que o sorriso de alguns não me deixa ver a dor que carregam em seu íntimo; e, que, um semblante de aspecto comum e gentil pode camuflar a presença de um monstro se movendo em meio a multidão. Ainda bem que Tu conheces muito bem a todos nós!
 
E assim, querido Pai; enquanto procuro entender as pessoas, me dou conta de que não estou em condição de julgar corretamente os homens mediante uma olhada superficial. Já faz muito tempo, aprendi que as coisas não são exatamente o que parecem ser; inclusive os homens. Então, me convenço de que somente conseguirei compreender bem as pessoas que me cercam; se manter os meus olhos fitos em Jesus. Pois, se Jesus for a "lente" dos meus olhos, conseguirei ver em alguém deformado pelo pecado e miséria em que vive; a vida pela qual Ele se doou na morte. E, finalmente, saberei que o pior dos seres humanos - passando pela fonte de sangue que jorra da cruz - poderá se transformar no santo e no servo que jamais conseguirei ser; pois, Tua graça tudo transforma!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 9 de novembro de 2013

Dias mais difíceis


A dias atrás, precisei acordar bem mais cedo para estar diante do meu Senhor; e isso porque eu tinha que viajar bem cedo para Belo Horizonte. Enquanto procurava manter minha mente fixada na vontade de Deus, fiquei a pensar nos desafios que os crentes enfrentam em nossos dias. Embora conheçamos os alertas da Palavra de Deus, quanto às aflições deste mundo; nem sempre entendemos o sentido das mesmas, quando, por elas, nos sentimos afligidos. Bem conhecemos o texto clássico concernente a elas, que esta no Evangelho de João: "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33). E neste texto, somos encorajados pelo Senhor Jesus a ter sempre bom ânimo.
 
No entanto, existem outros textos de apoio com o mesmo objetivo; o de nos levar a entender que as aflições do mundo fazem parte de um processo natural para o nosso aperfeiçoamento enquanto humanos. O próprio Apóstolo Paulo ao abordar este assunto, deixa patente que a glória que se revelará em nós, compensa todas as lutas e aflições que porventura venhamos a sofrer (Romanos 8.18). Inclusive, ele nos admoesta a sermos sóbrios em tudo, sofrendo as aflições e cumprindo o nosso ministério (II Timóteo 4.5). O Apóstolo Pedro também nos encoraja, ao dizer que devemos nos alegrar pelo fato de sermos participantes das aflições de Cristo; pois, quando Sua glória se manifestar, iremos nos regozijar e nos alegrar para sempre (I Pedro 4.13).
 
Portanto, falando por mim mesmo; pretendo seguir minha jornada neste mundo, procurando manter o meu espírito ligado ao Senhor e a minha alma atenta ao que a Palavra de Deus diz acerca do propósito de Deus para com a minha vida. Não me deixarei intimidar pelas tempestades da vida, pois minha casa está construída sobre a Rocha. Nem me deixarei desanimar quando não for compreendido por meus amigos e irmãos; ou, quando atacado por meus adversários. Afinal, tenho os fundamentos da minha fé e esperança bem plantados. Eu vou seguir com fé (como compôs o Kleber Lucas); sem me preocupar com as perseguições e com as pedras que me lançam (como compôs o Anderson Freire). Tenho Cristo em mim e isso me é suficiente!
 
Penso que muitos devem sentir como eu; que alguns dias são mais difíceis do que outros. Então, ao me sentir pressionado por aflições, me volto para este texto: "Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo." (I Pedro 5.7-9). Em dias assim, procuro me espelhar no testemunho de Paulo: "Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia." (II Coríntios 4.16). Ao fazer isto, sinto conforto e sinto minhas forças se renovarem!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Pecados que ainda cometo

 

Meu Deus e meu Pai; nesta manhã eu venho Te adorar e expressar minha gratidão ao Senhor. Venho também pedir perdão pelos pecados que ainda cometo... O pecado de não descansar plenamente em Ti, como deveria; o pecado de não romper definitivamente com a ansiedade, sabedor que sou do Teu cuidado para comigo; os pecados comuns que - de tão comuns que são - algumas vezes, nem nos damos conta de estar cometendo; tais como: quando julgamos temerariamente; ou quando tratamos um irmão ou um amigo sem a devida cortesia... Mas, graças te dou por te aprendido nas Escrituras que "contigo está o perdão, para que sejas temido." (Salmos 130.4). Ainda bem que Tua Palavra nos conforta, ao nos protestar o Teu perdão; sentenciando que "Se confessarmos os nossos pecados, o Senhor é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (I João 1.9). Ela diz também que, se formos infiéis, o Senhor permanece fiel - Não fiel a quem desfideliza sua lealdade ao Senhor - mas, fiel a Si mesmo e às promessas feitas ao pecador impenitente e inveterado.
 
Na verdade, querido Pai de amor; não consigo sequer te agradecer ou te adorar na justa medida da graça imerecidamente alcançada; pois, o máximo a que consigo chegar enquanto adoro é à medida mínima necessária que todo o ser vivente tem como parcela menor de uma dívida que jamais conseguirá saldar plenamente. Ainda bem que Jesus - ao se doar na cruz por nossa redenção - quitou nossa dívida que nos condenava eternamente; e tomou sobre Si o castigo que nos traz a paz. Desde crente novo, tenho aprendido que a paz verdadeira - aquela que nos garante segurança interior enquanto a tormenta fustiga por fora - é o certificado divino de que tudo está bem. Como é bom saber que a paz conTigo é uma espécie de selo de aprovação, ao qual tem direito todo aquele que foi justificado pela fé. Sinto grande prazer em ter chegado aos quarenta e nove anos como crente em Jesus, sem ter perdido o brilho do primeiro amor; ou, sem ter perdido a chama que me ilumina enquanto sigo o caminho traçado, segundo o Teu propósito; caminho que me leva em Tua direção. Tu és fiel, Senhor!

Quando não tratamos com seriedade os pequenos pecados que cometemos, abrimos brechas para os grandes pecados que tentam nos dominar.
 
"Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós."
(I João 1.8-10). 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Sermão da Montanha


Domingo passado, enquanto eu meditava em um texto sobre o qual iria pregar na IMW do Itamarati - baseado no Sermão da Montanha - fiquei a pensar no quanto a grande maioria dos crentes vai se distanciado da galeria dos bem-aventurados. E isso não acontece, pelo fato de desejarem se esquivar deste estado de graça proposto por Jesus; mas, sim, devido às bem-aventuranças alternativas, que, estão sendo oferecidas em muitos púlpitos espalhados pelo mundo afora. Se atentarmos bem para o conteúdo de muitas mensagens; vamos perceber que as bem-aventuranças propostas em nossos dias, estão relacionadas a uma vida sem sofrimento, abastada e com forte atuação política e social (já estão até criando "partidos" próprios); como se a "razão de ser" do evangelho de Cristo fosse tão somente a de promover social e prosperidade; ou, então, algum tipo de guerra ideológica entre igrejas e religiões.
 
Naturalmente que não estou negando o fato de que a vida de uma pessoa pode melhorar em muito o seu padrão de conduta e o seu status social e econômico, quando se entrega verdadeiramente ao Senhor Jesus e se dispõe a andar em Seu caminho. E também sei o quanto o lar de alguém pode experimentar transformação relacional e mudanças - tanto materiais quanto morais - quando a família se rende a Deus e de deixa conduzir por Ele. No entanto, disso tenho absoluta certeza, estas transformações - na relação de causa e efeito - são apenas o resultado na vida de alguém que, ao ter um encontro com Deus, passa a ser amoroso e paciente em sua casa; honesto e dedicado em seus negócios; zeloso e pontual em seu trabalho; cordial e atencioso em sua comunidade... E, por aí vai; e, são inúmeros os exemplos de famílias cristãs abençoadas por sua escolha, a confirmar aquilo que estou dizendo.
 
Mas as bem-aventuranças ensinadas por Jesus contrariam aquilo que alguns estão ensinando em nossos dias. Em Mateus 5.2-12, vemos que o foco hoje mantido segue sentido inverso ao que Jesus propõe neste texto. Creio que a decadência que levou a Igreja a se enfraquecer, em vários momentos de sua história; tem relação com a secularização do testemunho cristão; fenômeno causador do tipo de cristianismo que hoje se pratica na Europa e nos EUA. E percebo que aqui no Brasil, grande parte da Igreja segue pelo mesmo caminho; banalizando a fé, ao propor que o testemunho de vida cristã vitoriosa se reduz ao fato de alguém obter seu carro novo, sua casa nova, seu novo cônjuge... Em detrimento dos valores morais e espirituais que a Igreja sempre defendeu. Enquanto o Juízo não vem, Laodicéia segue rumo incerto; com o nome de Deus nos lábios, o mundo no coração e o pé à beira do abismo.
 
Sermão da Montanha
 
"E JESUS, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós."
(Mateus 5.1-12).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Jesus, Nome mais Alto


Nesta madrugada eu pude me estender no lugar de oração, em busca do favor do Senhor. Não entanto, fui levado a adorar e exaltar o Deus eterno, de um modo profundo e incomum. Declarei, em minha insignificância, a majestade de Deus; me vendo como um ponto minúsculo residindo em um pequenino planeta que gira em torno de uma pequena estrela de 5ª grandeza; tudo tão pequeno na vastidão de um universo que parece não ter fim... Entretanto, esta partícula de pó que sou eu é amada pelo Deus eterno; que enviou seu filho Jesus para morrer em meu lugar. Não tenho palavras para engrandecer a Deus em minha própria língua! Ainda bem que meu espírito recebeu o dom de falar a língua dos anjos como meio de comunicação com o Pai; e assim, posso falar com Deus em mistério, sobre os mistérios de Deus. Ainda que quisesse, não poderia explicar o que senti enquanto orava!
 
Ao final, sem que eu desse conta do tempo, pude agradecer a Deus por entender o valor da vida e as razões pelas quais se vale a pena viver. Entendi que um homem ou mulher de Deus não é maior ou menor em sua relação com outras pessoas. Então percebi que, para Deus, todos tem o mesmo valor; ainda que vivendo de modo diferente. Pude entender que Davi não se tornou menor devido à sua falha moral, nem Daniel se tornou maior devido ao seu caráter ilibado... Mas que Deus nivela todos por baixo; para, então, trazer todos ao nível do Senhor Jesus - o Homem perfeito - Aquele que é a única medida de perfeita aferição aos olhos do Pai. Como me faz bem saber que a grandeza de Jesus encobre a minha pequenez; e que Sua santidade me envolve, na justa medida em que me deixo envolver por Seu sangue derramado pelos pecadores. Obrigado por desfrutar desta graça, amado Jesus!
 
Sinto prazer em poder agir conforme este texto: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2.5-11). Graças a Deus, estou em condição de declarar que - tanto com os meus joelhos dobrados, como com minha confissão do nome de Jesus - posso cumprir com alegria a minha missão de adorador!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Vigiemos, irmãos


Dias atrás, repassei a uma mensagem enviada por uma irmã - sobre a brincadeira da girafa. Na ocasião, achei importante refletirmos sobre a mesma. Nem tanto pelo seu conteúdo; mas, devido ao hábito que cresce entre nós; de adotarmos propostas veiculadas pela grande rede; sem ao menos nos preocuparmos em conhecer seus objetivos. A título de exemplo: O dia 31 de outubro é considerado por muitos como o dia das bruxas; existindo até uma festa pagã alusiva a esta data. E temo pela tendência de crentes participarem de tais eventos, com a alegação de que "não tem nada a ver; de que é só uma festa, uma brincadeira". Todavia, certas brincadeiras podem ser perigosas ou fatais; dando legalidade ao mal e abrindo brecha à ação de demônios na vida familiar daqueles que vivem um cristianismo superficial.
 
Não ignoro o fato de que temos bons crentes - dirigidos pelo Espírito - sempre prontos a crivar as novidades que aparecem. No entanto, a grande maioria dos cristãos, tem como hábito seguir tendências nem sempre confiáveis ou recomendáveis. Devo aqui dizer, que admiro a ousadia de alguns crentes; em taxar algumas vozes de advertência que surgem na rede, como se fossem exagero ou loucura. Todavia, aprendemos nas Escrituras que a loucura de um profeta não invalida sua mensagem. Não quero com isto dizer que o profeta - para ter que se autêntico - precisa ser louco. Quero, sim, dizer que o fato de uma declaração parecer absurda não quer dizer que seja irrelevante. Acredito que, em casos assim, precisamos seguir a recomendação da Palavra de Deus: "Examinai tudo. Retende o bem." (I Tes. 5.21).
 
A bem da verdade; se nos habituarmos a atender cegamente às propostas da grande rede, poderemos cair em "pegadinhas" desagradáveis; chegando até a compartilhar mentira e até "simpatias"; ou, mesmo, cair em alguma armadilha ocultista de aparência inocente. Repito: O perigo não reside em nossa boa fé ao examinarmos tudo; mas, em nossa incapacidade de reter apenas o bem; seguindo a tendência crescente de muitos bons crentes que usam o recurso da internet. Afinal de contas, a cândida aparência de uma "girafinha" ou de uma "bruxinha", de uma "fadinha", de um "duendezinho", de um "papai noel" e até de um "anjinho iluminado", pode camuflar demônios. Não devemos ignorar os ardis de Satã; pois, em seu objetivo de enganar, ele é capaz de se apresentar como anjo de luz. Vigiemos, irmãos!
 
Jamais devemos tomar qualquer atitude ou seguir qualquer moda ou tendência, sem antes atentar para os ensinos e advertências da Palavra de Deus; esta por exemplo: "Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele? Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." (1 Cor. 10.21-23). Não é de hoje, o povo de Deus perde o rumo, devido à falta de conhecimento das Escrituras. Conhecer a Palavra traz libertação; suas advertências podem nos livrar de graves danos morais e espirituais.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Acidente na BR 040


Pois é, queridos irmãos e amigos; o dia 30/10/2013 será inesquecível para nós. O breve relato de minha filha Daniela - entre duplas aspas - diz quase tudo acerca do que aconteceu conosco, ontem por volta do meio-dia. Naquele momento, minha mente relembrou a cena de 2005, em um trecho conhecido como "curva do facão", próximo à cidade de Cáceres, no Mato Grosso; quando um caminhão na contramão quase pôs fim à nossa vida, lançando-nos fora da pista e destruindo nosso carro. Naquele acidente - além de Daniela - Maria Célia também estava no carro. Mas, o importante mesmo é que, em ambos os casos, o Senhor esteve conosco - com mão forte e braço estendido - nos livrando da morte; ou, de graves ferimentos. Deus é fiel! Vale a pena confiar nEle e andar em Sua companhia!

""Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação. O nosso Deus é o Deus libertador; com Deus, o Senhor, está o escaparmos da morte. (Salmos 68:19-20). Hoje, por volta de meio dia e meia, eu e meu pai sofremos um acidente terrível, que poderia nos ter levado para outro lado. Capotamos o carro na BR 040, na altura de Três Rios. Saímos do carro, que estava virado com as 4 rodas pra cima, com a ajuda de dois policiais rodoviários que estavam estacionados do outro lado da pista, ligando para a concessionária para providenciar a interdição pois havia muito óleo derramado, provavelmente por algum caminhão. Eles haviam sido notificados que uma moto havia acabado de rodar no local, e um carro também. Nada aconteceu nesses casos, mas conosco foi desastroso. Rodopio, batida e capotagem. Os policiais estavam até emocionados, pois disseram que em 8 anos de serviço, nunca haviam visto um acidente desses ao vivo. Graças a Deus, eles estavam lá pra nos tirar do carro pois estávamos presos la com as portas travadas, de cabeça pra baixo. A fumaça era muito forte e o receio era o carro incendiar conosco la dentro.
 
 
São tantos livramentos que envolvem esse acidente, que nem dou conta de detalhar agora. Se eu mostrasse foto do carro, provavelmente muitos se assustariam. Mas estamos aqui, bem, salvos, livres, pela potente mão do Nosso Deus fiel! Ninguém se preocupe! Estamos bem! Essa primeira foto acabamos de tirar, pois chegamos agora em casa. As outras foram tiradas pelos paramédicos na sala de traumas do hospital. ESSE É O DEUS DOS DEUSES, MEU IRMÃO!
 
 
Foi desse carro que eu e meu pai saímos, completamente ilesos, anteontem. Nem um corte, nem um osso quebrado! A policia nos tirou por essa porta traseira onde esta a cadeirinha vermelha. Eles puxaram a cadeirinha da minha filha pra nós podermos sair. Tem mais milagres que Deus fez... Minha filha iria conosco a Juiz de Fora, mas na ultima hora resolvi não levá-la.

Outro testemunho que também precisamos contar é que na ambulância, um dos paramédicos que nos atenderam, estava sentado atrás de mim e de repente fala conosco: "eu estou aqui falando com vocês mas não sei como, se vocês soubessem como está minha vida, minha vida está destruída, eu acabei com a minha família". E dali ele começou a contar o que tinha acontecido. Eu e meu pai estávamos completamente imobilizados e olhando pro teto, porque nem a cabeça podíamos virar; mas estávamos ouvindo a tragédia familiar do socorrista e aconselhando-o. Aquele rapaz não sabia quem meu pai era, que nós éramos servos de Deus, mas estava ali aliviando sua aflição. Meu pai disse que iria orar por ele e ele anotou os nomes dele e de sua esposa no papel e colocou no bolso do meu pai. Depois ele continuou conosco no hospital por mais de uma hora e nós não dissemos quem meu pai era, apenas que éramos servos do Senhor. Quando ele saiu eu disse ao meu pai: Esse rapaz não sabe porque está nos contando essas coisas, mas nós sabemos. Somos embaixadores do Reino de Deus na terra, precisamos servir mesmo nessa situação. Desde então meu pai tem orado por aquela família..."" By Daniela Calegari
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 3 de novembro de 2013

Oração e Palavra


Venho nesta manhã em tua presença amado Pai celeste, em busca de refúgio; enquanto dobro os meus joelhos no lugar de oração. Algumas vezes, me sinto como se estivesse sob ataque cerrado. Olho em volta e não vejo ninguém; No entanto... Isso não significa que eu esteja só (sei que nunca estou só); embora, as vezes, eu me sinta em má companhia. Todavia, o pior mesmo é quando não percebemos essa companhia indesejável; que busca tragar aqueles que são alvo de seus ataques. Ainda bem que Tua Palavra nos adverte que o diabo está sempre ao derredor. Creio ser este um dos piores tipos de combate; perdendo em intensidade apenas para a luta que travamos contra a nossa própria vontade. Mas, sei que estás comigo em meio a esta guerra.
 
Algo que percebi ainda no início da caminhada; é o fato de nossa natureza carnal conspirar contra nós, tentando desviar o nosso rumo e nos afastar de nossas prioridades estabelecidas sob Teu propósito. Portanto, ainda que tenhamos muitos inimigos; penso que o nosso inimigo mais próximo deve ser a nossa própria vontade insubmissa. Ainda bem que temos a presença do Teu Espírito, sempre nos ajudando - em nossas fraquezas - a orar como convém; e nos fortalecendo o ânimo enquanto combatemos o bom combate da fé. E sei o quanto é importante estar aos Teus pés, enquanto a luta é travada. É assim que consigo manter o nível de segurança; tanto da minha família, como da obra que estou fazendo; pois o meu socorro vem do Senhor!
 
Portanto, baseado em minha convicção no socorro do Senhor, não me canso de dizer que só temos chance de vencer o bom combate da fé, se a oração e a Palavra de Deus, fizerem parte do nosso viver diário. No tocante às lutas e provações, a Bíblia nos traz muitas advertências semelhantes a esta: "Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;" (I Pedro 5.6-9). E quando o assunto é busca por socorro; ela sempre me encoraja, proclamando que: "O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra." (Salmos 121.2). Assim, seja qual for a luta que eu tenha que enfrentar neste mundo; sei que as armas ideais que me tornam apto para enfrentá-la com segurança são: Oração e Palavra!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 2 de novembro de 2013

Cheios do Espírito Santo


Nesta manhã, retornando do lugar de oração, meus pensamentos se voltaram para as escolhas que eu fiz ao longo da vida. Sei que errei e acertei, nas escolhas que fiz ao longo do tempo. No entanto, tive o privilégio de fazer a melhor escolha: Receber Jesus como meu Salvador e Senhor! E esta escolha teve o dom de me conduzir nas boas escolhas que fiz durante a minha vida de crente. Não digo que acertei todas; mas, por esta maravilhosa graça alcançada através de Jesus, consegui acertar na grande maioria das escolhas feitas e das decisões tomadas. E mesmo quanto aos erros cometidos durante a jornada; posso garantir que foram amenizados pela felicidade de ter encontrado a "Pérola de grande preço"... Verdadeiro encontro com a Vida; cujo nome é Jesus Cristo de Nazaré!
 
Todavia, não posso omitir o fato de que - ao longo de minha vida - o meu senso de observação se deu conta de que muitos bons crentes foram terrivelmente fustigados por algumas escolhas que fizeram; de tão infelizes que estas escolhas foram. E isso me levou a considerar um fato que tem sido menosprezado por muitos filhos de Deus: Trata-se da necessidade imperiosa que o cristão tem, de se deixar encher e conduzir pelo Espírito de Deus. E, preciso dizer, não estou me referindo a um mero convencimento intelectual desta Presença; nem aos surtos emocionais que um crente costuma ter, em momentos de contrição e sensibilidade (alguns confundem emoção exagerada com unção sobrenatural). Sentimentos assim são comuns, especialmente nos dias de hoje.
 
No entanto, a direção do Espírito Santo na vida de um crente, terá como prioridade o cumprimento da boa, agradável e perfeita vontade de Deus; e não a realização da vontade humana. Quantas vezes ouvimos de irmãos - dominados pelo desejo ardente de fazer algo ou obter alguma coisa - que algo ou alguém é "sonho de Deus para sua vida"; e a alegria esfuziante da realização do desejo, só não é maior do que os problemas que passam a sofrer, decorrentes da suposta bênção recebida. Alguns chegam a culpar a Deus pelo desenlace; outros chegam a desanimar de tudo. Todavia, o que não percebem é que aquilo que julgavam ser direção do Espírito, nada mais era do que a emoção e o ego no comando. Sempre que isso acontece, o final é doloroso; quando não termina em tragédia.
 
Desde muito cedo, aprendi que o enchimento com o Espírito Santo é uma das mais importantes promessas feitas por Deus aos crentes. Na verdade, a Igreja foi tornada dinâmica após a descida do Espírito Santo; pois, nesse dia, ela saiu das quatro paredes: "E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem." (Atos 2.4). O Espírito, além do poder que concede, nos ensina como proceder na vida: "Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito." (João 14.26). Não há como cometer enganos trágicos, quando tomamos a decisão de nos deixarmos encher e dirigir pelo Espírito Santo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Sinto profunda gratidão


Eterno Pai; ao me curvar no lugar de oração nesta manhã, luto contra os interesses de minha própria alma. Não é de hoje, que, sei o quanto a alma humana procura interferir na conduta de um espírito adorador. Então, sutilmente, ela vive a questionar a grandeza e majestade do Senhor; chegando, as vezes, ao disparate de questionar Sua eterna existência. No entanto, como negar uma verdade comprovada e consagrada ao longo de toda a História? Como questionar a existência de Enoque e sua jornada rumo ao céu? como questionar a saga dos Patriarcas, tendo Noé e Abraão como principais protagonistas? Como negar a marcha liderada por Moisés, o grande legislador; ou, a conquista de Jericó e a vitória em Gibeon - comandada por Josué - onde o Sol não se pôs até que a batalha terminasse? Como negar Samuel, profeta de transição; ou Davi, de gentil presença e natureza indomável, que olhava para o alto; a procura de um ponto fixo acima das montanhas e das estrelas? Definitivamente, não há como negar as grandes obra do Senhor!
 
Sou eternamente grato a Ti, querido Pai eterno; por poder ver belezas que atestam Tua existência e revelam o Teu poder. Sinto profunda alegria, em poder ver Tuas obras gloriosas com os olhos da fé e poder entendê-las com a mente de Cristo. Não posso explicá-las com fundamento científico, nem riqueza de detalhes; Todavia, não vejo importância nisso. Afinal de contas, não consigo explicar muitas coisas com que lido no dia-a-dia; e isso não me induz a negá-las. Graças Te dou, por ter aprendido que algumas coisas se explicam por si mesmas! Sinto profunda gratidão por ter conhecido Jesus e ter sido encontrado por Ele. Sou salvo por Ti - disso tenho a mais absoluta certeza - e devo isso ao meu Senhor Jesus, que deu Sua vida por mim. Tenho uma família que nasceu e cresceu aos Teus pés; pela qual Te dou graças todos os dias. Tenho a Igreja - bela e radiante - onde vivo e cultivo os meus valores morais e espirituais. Tenho tudo; pois... Tenho Jesus! E, nEle, tudo é possível e alcançável - havendo necessidade e propósito naquilo que desejo.
 
Querido Pai; sinto deleite e prazer nos Salmos. E este vem bem a calhar, em momento de quebrantamento e gratidão: "Ó SENHOR, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus! Tu ordenaste força da boca das crianças e dos que mamam, por causa dos teus inimigos, para fazer calar ao inimigo e ao vingador. Quando vejo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste; Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste. Fazes com que ele tenha domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés: Todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo, As aves dos céus, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares. Ó SENHOR, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!" (Salmo 8.1-9). tenho entendido que olhar o céu sem crer em Ti; é como mergulhar solitário na escuridão do Universo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari