segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Deus é maior que tudo


Ao longo do tempo, tenho chegado a algumas conclusões em minha vida... Conclusões que considero resultantes da minha firme disposição de andar na presença de Deus. Por exemplo: Desde os meus primeiros anos como crente, entendi que precisava interceder continuamente por minha família; pois eu sabia que não haveria chance de acertar na criação de meus filhos, se os educasse fora dos princípios da Palavra de Deus; e ainda penso assim. Desde o início, decidi que precisava me manter aos pés do Senhor, não me deixando cativar pelo mundo, mesmo nas horas em que o mundo parece um lugar bom para se viver; pois a aparência do mundo passa e sua face real costuma se manifestar muito tarde para aqueles que, por ele, se deixam seduzir até ao ponto de se destruir. Uma outra conclusão a que cheguei: É que não devo, sob pretexto algum, separar as promessas das advertências de Deus.
 
Eu sei que não devemos considerar apenas as advertências, pois existe a possibilidade de nos tornarmos pessimistas; todavia, também é perigoso nos fixarmos apenas nas promessas, sem considerar advertências; pois elas são como aqueles sinais luminosos, alertando aos navios quanto ao perigo dos rochedos invisíveis em uma noite escura. E ignorar os marcos colocados por Deus, para nos alertar quando aos perigos escondidos nas sombras da vida, pode nos custar a própria eternidade que temos por promessa. Portanto, devo me manter a uma distância segura dos limites definidos por Deus. Adão é Eva ultrapassaram limites e deu no que deu... Não devo pensar que sou diferente deles. Preciso saber que a obsessão por promessas não cumpridas não devem ofuscar os meus olhos para os marcos de segurança. Afinal de contas, ter o Deus das promessas será sempre melhor do que ter as promessas de Deus!
 
Desde muito cedo, cheguei à conclusão de que o Deus eterno é incomparavelmente maior do que todas as Suas obras. E quando um filho de Deus consegue compreender esta verdade sagrada; ele passa a valorizar muito mais o fato de estar na presença de Deus; do que os valores materiais que porventura consiga auferir mediante sua fé. Em algumas versões das Escrituras, este texto bíblico é intitulado Hino de Adoração: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11.33-36). Como tenho sido edificado com este hino de louvor de Paulo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 29 de setembro de 2013

Sou feliz e Deus sabe como


Sinto um grande prazer em poder estar diante do meu Senhor; prostrado no lugar de oração, para falar consigo e ouvir Sua voz nas profundezas do meu ser. Como é bom saber que o Senhor está comigo, vendo a minha necessidade, ouvindo o meu clamor e falando ao meu coração. Enquanto eu oro; fico a pensar na necessidade que tenho, de estar diante do Deus eterno. Não é apenas uma questão de falar e ouvir; mas, de estar ali, ante o Autor da vida. Como medir o sentimento que me invade a alma enquanto eu oro; se nunca consigo medir a intensidade do pulsar do meu próprio coração? Então, não é uma questão de medir ou sentir; mas... De ficar em oração diante do Senhor.
 
Que conforto eu sinto, por saber que é importante estar aos pés do Senhor, mesmo as emoções naturais dizendo não ser necessário. Pois; é na presença do Deus que me ama e enviou o Seu filho Jesus para me salvar, que eu encontro a capacidade para lidar com angústia, abatimento e ansiedade que - mesmo com minha firme oposição - insistem em permanecer comigo, como se de mim fizessem parte. Todavia, não importa! Tenho o Espírito em mim, Jesus sobre mim e o Pai a me contemplar; portanto, sentimentos antagônicos e hostis não vão alterar em nada aquilo que sinto no lugar de oração, nem aquilo que recebo enquanto busco a face do Senhor. Sou feliz e só Deus sabe como!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 28 de setembro de 2013

Amor de Deus

 

Hoje, após ter estado em oração; veio ao meu espírito um texto sobre o amor; não o amor humano, cheio de condicionamentos e conveniências; mas o amor de Deus; o qual, quando experimentado por um crente e aplicado em seus relacionamentos, faz toda a diferença entre o santo e o profano; entre o conveniente e o simplesmente lícito; entre o andar com Deus e o crer em Deus. A Palavra declara que o amor é a única dívida que se justifica e que o seu cumprimento representa o cumprimento da própria lei de Deus (Rom. 13.7-10). Repito, isto não se refere ao amor humano; mas, ao amor de Deus, único capaz de santificar nossas relações, tanto de família como de amizade. Único que pode ser chamado de ágape.
 
Isto significa que aquele que vive sob o manto do amor de Deus, não adulterará ou matará; nem cobiçará algo de alguém ou furtará os seus pertences. Portanto, aquele que tem o amor de Deus, será capaz de amar o seu próximo; mesmo que o seu próximo não seja merecedor do seu amor. Isso mesmo! Pois, foi por causa deste amor que Jesus se entregou por todos nós; tendo nos amado até à morte de Cruz, antes que fôssemos capazes de amá-lo. E é devido à falta deste amor que o mundo se encontra em decadência; e até mesmo a própria Igreja do Senhor é afligida por aqueles que - mesmo sendo parte dela - são incapazes de edificá-la e abençoá-la por não possuírem o amor de Deus. Ah... Que falta faz este amor!
 
Neste texto eu vejo uma regra pela qual o crente devia se pautar: "Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra. A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor." (Rom. 13.7-10). Esta é uma das razões do céu ser CÉU. E sua falta faz o inferno ser INFERNO.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Sedução do pecado


Acabo de me levantar do lugar de oração; tenho uma grande jornada pela frente, mas, precisei levantar mais cedo para orar pelos pastores da 2ª Região. Meu Deus! São tantos... Todavia, não posso deixar de interceder por eles; pois sei que são alvo potencial do inimigo. E, com Satã, não podemos nos descuidar. Fiquei sabendo, a dois dias atrás, de um pastor que sucumbiu aos encantos de outra mulher; rompeu a aliança divina entre ele e a mulher da sua mocidade; e, pôs tudo a perder. Chorei muito por ele; pois tenho uma vaga ideia do caminho de dor que o espera. Que pena, quando os homens de Deus deixam de buscar na Fonte de Vida o conforto e a segurança que precisam ter, para fazer frente às astutas ciladas de Satã. Felizes os que, tendo descido tão baixo, ainda conseguem encontrar o caminho de volta ao Lar.
 
No entanto; tenho percebido que homem algum, por mais santo e experiente que seja, está imune aos ardis de Satã; à menos que se refugie em Deus - único refúgio e fortaleza contra o assédio do mal. Se os crentes pudessem saber que - muitas vezes - aquela voz que soa ao seu ouvido, arrazoando que "estão orando muito"; ou, que "estão indo muito à igreja"; ou, que "não há mal algum relaxar um pouco"; ou que "todo o mundo faz isso" e que "Deus não se importa com um simples brincadeira ou flerte"... Sim, se eles soubessem que esta voz nos bastidores não é sua; mas a voz de Satã, que se coloca nas sombras; tal como fez com Eva no Jardim; quando levou Adão à ruína... Meu Deus! Certamente, que teríamos menos menos lares desfeitos e menos vítimas de demônios entre os que professam a fé cristã evangélica.
 
Creio que estamos vivendo o fim dos dias; dias em que as ações do inimigo se intensificam, para afundar os homens no mar de lama que cresce e se agita à sua volta. Portanto, devemos buscar na Palavra de Deus e na unção do Espírito a força para combater e vencer Satanás: Veja este texto sagrado: "Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo." (1 Pedro 5.6-9). Pois, somente investidos da armadura de Deus, poderemos vencer a sedução do pecado.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Vozes do passado


Na última segunda-feira, antes de partir para a IMW de Barramares, no Distrito de Vila Velha; achei por bem compartilhar minhas reflexões sobre aquilo que vi no encerrar de minha visita ao Distrito de Cataguases. Creio ser de grande importância para o crescimento das igrejas, o perfeito entrosamento de seus pastores com as mesmas. Algumas vezes, tenho ouvido pastores justificarem a falta de crescimento e os conflitos existentes em sua igreja, com a alegação de que as ovelhas não se submetem ao seu mando ou pelo simples fato que que os irmãos não cooperam. No entanto, preciso dizer que o Pastor não é nomeado à uma igreja para mandar nela; e sim, para servir nela.
 
Algumas vezes, tenho dito que para um pastor ser de fato um pastor reconhecido por uma igreja, ele precisa servir nela, com dedicação e amor, por pelo menos um ano; sendo exemplo e apresentando um pastorado pautado em paciência, companheirismo, perseverança e temor de Deus. E eu posso dizer que vi este caráter pastoral e suas virtudes inerentes, nos pastores deste Distrito da zona da mata mineira, sem exceção. A palavra de Deus declara que, na igreja primitiva, um era o coração e a alma da multidão dos que criam. E foi este o quadro que vi nesta visita que fiz. E, mediante esta perfeita relação, milagres e salvação de vidas estão ocorrendo com frequência naquelas igrejas.
 
A Palavra de Deus, ao explicar o avanço da igreja primitiva, frisa em seu testemunho que "era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça." (Atos 4.32-33). Então, ouvindo as vozes do passado; chego à conclusão de que o pastor que conseguir plantar e promover, com humildade e paciência, a unidade no espírito e a alegria do Senhor no coração de suas ovelhas; este terá resultados bem melhores do que aqueles que, porventura, tenha obtido até aqui.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Orar pela Igreja


Hoje, querido Pai; aqui em Guarapari onde me encontro, venho trazer minha gratidão por ter participado do Encontro Distrital promovido pelo Distrito de Vila Velha, sob titularidade do SD Geraldo Rodrigues; pelo primeiro ano de emancipação da IMW de Barramares, sob a titularidade do Pastor Elbo Rogério Santos Cerri. Tu sabes o que senti enquanto pregava... E, melhor do que qualquer outra pessoa, sabes o quanto a palavra profética foi necessária à todos nós que ali estávamos - e não éramos poucos. Na verdade, Satã já nem procura camuflar aquilo que sempre foi o seu objetivo principal: Destruir os traços da divindade, presentes na humanidade criada à Tua semelhança. Em função do crescimento da maldade, a subversão dos valores - tanto morais, como espirituais - é escancarada; e, somente percebida com clareza por aqueles que andam contigo neste mundo a caminho da completa ruína.
 
E assim, amado Pai; sinto necessidade imperiosa de orar pela Igreja; e, não me refiro apenas à IMW... Percebo que todas as igrejas que são ramos da Oliveira Verdadeira, estão sendo bombardeadas por conceitos espúrios, destituídos da graça e da revelação do verdadeiro evangelho de Cristo. Então, propostas e procedimentos que nada têm a ver com os teus ensinamentos, estão se infiltrando sorrateiramente no "arraial dos santos". E, as vezes, parece que não há como conter esta maré contaminante; que procura destruir e submergir valores e tradições arduamente conquistados e cultivados ao longo dos séculos. E, como se isso não bastasse, esta onda de maldade procura inserir em seu lugar, conceitos e valores eivados de perversão, incitação a violência e desencaminhamento da fé que uma vez nos foi dada. Até quando, ó Deus eterno, conviveremos com esta insanidade coletiva?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Jesus líder modelo


Nesta manhã, sinto alegria em meu espírito; a alegria de saber que o Senhor tem agido através de minhas decisões relacionadas ao Distrito De Cataguases. Vivo a bastante tempo no ministério para saber que aquilo que temos visto acontecer aqui em Além Paraíba - tanto na reunião matutina de obreiros, no templo da igreja; como no culto distrital no ginásio esportivo - somente se tornou possível porque o Deus eterno aprovou e abençoou os atos proféticos e administrativos que vem sendo aplicados em Seu bendito nome na 2ª Região. A bem da verdade, devo confessar que não consigo ver meios de separar as ações administrativas que envolvem nomeações pastorais e composição do Conselho Ministerial Regional, da inspiração e motivação profética que envolve tais ações. Assim penso, assim tenho agido.
 
Dentro de uma hora, Maria Célia Calegari e eu, juntamente com o Pastor Renato Jabor Campos e Ducilea Jabor, estaremos nos dirigindo até a IMW de Leopoldina (cerca de uma hora de viagem de Além Paraíba); onde o Pastor Marcos Paulo e Rita - juntamente com o seu rebanho - já estão a nossa espera para o culto matutino que ali teremos. Creio que o Senhor estará falando e agindo por nosso intermédio; pois, para isso temos nos estendido em Sua presença. E, preciso repetir: Não há como dissociar os atos administrativos regionais - que visam o bem do povo de Deus abrangido pela 2ª Região - das ações proféticas nascidas no coração do próprio Deus que nos levantou para dar rumo e alimento a estas milhares de ovelhas que olham para nós, esperando receber algo que venha da parte de Deus.
 
E assim, ao tentar entender o tipo de liderança que Deus forjou em meu ministério; chego à conclusão que textos, como estes dois que seguem, tem tudo a ver com aquilo que hoje eu sou: "Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós," (I Pedro 3.15). "Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." (I Pedro 5.5). A bíblia diz que devemos aprender com Jesus, que é manso e humilde de coração. Ela também diz que a humildade precede a honra. Portanto, é na escola de Deus que eu aprendo a ser um servo segundo as Escrituras.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Jornada rumo ao céu


Nesta madrugada venho bem mais cedo à presença do Pai; pois, entre uma missão e outra, estou hospedado em casa do querido casal - Pastor Renato Jabor Campos e Ducilea Jabor - juntamente com minha querida esposa Maria Célia Calegari. Ainda refletindo sobre a forte unção derramada pelo Senhor, enquanto eu pregava na IMW do Bairro S. Pedro (quem lá esteve vai entender o que digo); sinto que preciso renovar minha provisão diante do meu Senhor e Rei, que me chamou das trevas para Sua maravilhosa luz. É que, neste sábado, estarei com os Pastores e obreiros do Distrito de Cataguases; pela manhã, no templo da IMW de Além Paraíba; e a noite, no grande culto distrital promovido por este Distrito wesleyano.
 
No entanto, enquanto busco a presença de Deus, para poder dar conta de mais um dia envolto em bruma; fico a pensar no quanto o caminho, as vezes, se torna difícil para quem segue os passos de Jesus. Sei que este sentimento é comum a todos os que peregrinam pelo Caminho da Vida; todavia, não posso deixar de pensar que - em algumas ocasiões - nos sentimos como se estivéssemos sozinhos nesta jornada rumo ao céu. E lidar com os perigos da jornada é quase tão desafiador quanto lidar com os conflitos existenciais que ressoam no intimo enquanto vamos seguindo a linha da eternidade. E não há como cortar volta procurando atalho; pois, somente o Vivo Caminho pode nos levar com segurança ao porto seguro.
 
Só Deus sabe o quanto sou edificado por este testemunho do Senhor Jesus: "Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14.4-6). E, na justa medida em que os dias vão passando, tenho percebido que não é pequeno o número de cristãos que está trocando este Caminho, optando por uma rota de fuga que os afastam da verdade de Deus, revelada na Bíblia; e, existe também um grande número de crentes que decidiram enveredar por perigoso atalho que os distanciam do Deus da verdade, revelado em Jesus. Misericórdia Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 21 de setembro de 2013

Vida incoerente


Nesta manhã, enquanto eu orava ao Deus eterno, buscando unção e direção para a viagem que farei dentro de alguns minutos; o meu espírito se afligiu por um modo de agir que vai crescendo e se tornando comum entre muitos cristãos; mesmo entre cristãos bem intencionados. Pois é... Vejo crescer o número de crentes, que, mesmo tendo um modo certo de crer; todavia, exibem uma maneira errada de falar e proceder. Posso até dar exemplos: 1) Existem cristãos que crêem em Jesus segundo as Escrituras, sendo até mesmo capazes de pregar a Seu respeito; mas, que proferem palavras destoantes com sua fé (palavras chulas, murmuração, ofensas ao próximo e até blasfêmias); inclusive, defendendo sua atitude com alegação de que uma coisa nada a ver com a outra; que o importante é ter Jesus.
 
2) Também existem crentes que marcam presença na igreja, participando com visível alegria dos cultos; chegando mesmo a genuíno quebrantamento ao cantarem louvores, ao receberem orações em seu favor; demonstrando assim o valor que dão aos momentos passados na presença de Deus. No entanto, com a mesma alegria com que vão à casa de Deus; vão também a lugares movidos a festas e danças profanas, como se uma coisa nada tivesse a ver com a outra. E não são poucos os cristãos que trocam de cônjuge, como quem troca de sapato; alegando motivos fúteis para desfazer seu casamento. Vai também se tornando comum, crentes praticarem sexo assim que iniciam um relacionamento com alguém; agindo como se o sexo fora do casamento não fosse uma grave violação da Palavra de Deus.
 
Enfim, são muitos os que crêem do modo certo e bíblico; mas cujo procedimento destoa completamente dos ensinamentos da Bíblia. Em meu espírito, penso que este modo contraditório de ser e de agir tem tudo a ver com os novos focos das mensagens cristãs pregadas nos púlpitos e em muitos programas de TV. E, digo mais: Não são poucos os líderes cristãos (alguns de renome nos meios evangélicos) que agem exatamente deste modo; como se o fato de serem líderes carismáticos e populares lhes desse o direito de manter um padrão de conduta divorciado da Palavra de Deus. Talvez alguns até digam: "Mas Deus me usa assim mesmo." Lamentável engano! Pois, o fato de Deus ter usado diversos homens e mulheres da Bíblia, não significa que os mesmos tenham sido salvos da perdição eterna.

Se examinarmos as Escrituras, veremos diversos textos nos advertindo quanto a possibilidade de nos perdermos, caso abandonemos os fundamentos da fé. E, dentre eles, temos esta advertência do Senhor Jesus: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mateus 7.21-23). Portanto, aquilo que aqui afirmo, não é fruto de um conceito humano e religioso; e sim, a repetição do que é ensinado nas Escrituras Sagradas. Vigiemos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Preciso ser coerente

 
Querido Pai; jamais conseguirei explicar o quanto eu me sinto bem, quando estou prostrado em Tua doce presença! E nesta manhã não tem sido diferente. Enquanto eu Te busco em oração - expressando adoração, gratidão e aquela intercessão de sempre - sou levado a refletir sobre dois assuntos que fluíram em meu espírito nesta manhã. É que estes dois assuntos trouxeram ao meu espírito uma espécie de sinal de alerta. E assim, entendo que não devo ficar indiferente aos mesmos, como se fossem algo corriqueiro e passageiro em minha memória. À bem da verdade, esta é uma das razões pelas quais eu Te busco a cada manhã: A necessidade que tenho, de aprender a lidar com Teu propósito para minha vida; e também com as circunstâncias em torno dela.

O primeiro deles, é a relação entre o pensar, o falar e o agir. Sempre me impressiono com a tendência de falarmos coisas diferentes daquilo que pensamos; ou, no modo como fazemos coisas que contradizem tudo aquilo que dizemos ou pensamos. Daí, nos surpreendermos ao dizermos coisas, que - ao repensarmos - verificamos serem opostas ao modo como vemos a vida. E, até mesmo sobre o Senhor e sobre a Igreja; é comum dizermos coisas que não condizem com a realidade bíblica dos fatos. Então, meu querido Pai; eu te peço: Ajuda-me, a falar e agir de modo coerente, de tal modo que o meu agir e falar estejam em sintonia com aquilo que realmente penso; seja sobre moral, família, crença, ou sobre mim mesmo. Preciso ser uma pessoa coerente!

O outro assunto tem a ver com sonhos; sonhos que tentam nos levar em um rumo oposto ou diferente. Este assunto me preocupa; pois, vejo crescer a ideia, baseada em ensinos ministrados em seminários e igrejas; de que precisamos sonhar - e sonhar grande - pois os nossos sonhos se concretizarão mediante a fé. Enfim... Tudo sendo dito, como se fosse algo tão simples assim: "Eu sonho e Deus realiza o meu sonho". Mas eu não sinto segurança neste conceito, Pai. Logo, eu Te peço que me livre dos sonhos que me distanciem de Ti; ou, que me seduzam ao ponto de me desviar do teu propósito para com a minha vida. Entendo que não devo ser movido a sonhos; mas, sim, manter os olhos fixos nas promessas do Senhor para a minha vida de crente e de servo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Pastores que edificam

 
Finalmente, Maria Célia Calegari e eu conseguimos chegar a Belo Horizonte; depois de quase um mês sem aqui aparecer. Daqui a pouco estarei me dirigindo à Sede Regional; onde permanecerei hoje a amanhã, se Deus permitir. Entretanto, enquanto me preparo para mais este compromisso, não posso deixar de pensar em algo que tem me inspirado bastante nos últimos dias; estou me referindo a contatos que tive com alguns pastores. Então, preciso testemunhar que tenho tido a alegria de liderar e conviver com bons pastores; homens dedicados ao ministério, amados e respeitados pelo seu rebanho, sempre bem cuidado e feliz pelo pastor que Deus colocou sobre si. Pastores que edificam a igreja entregue aos seus cuidados; e engrandecendo o nome do Senhor que os chamou para a missão de cuidar de vidas.

Então, deixo aqui uma "dica" à ovelhas que acompanham a minha página: Se uma ovelha é pastoreada por um pastor que visita as famílias e membros de sua igreja, sem demonstrar preferência especial por este ou por aquele; se você é apascentada por um pastor que dedica boa parte do seu tempo à oração e à Palavra; e, se esse pastor ocupa a tribuna da igreja para ministrar uma palavra profética, com profundo conteúdo bíblico e marcas do sobrenatural de Deus; se este pastor demonstra, em seu viver diário, amor desinteressado por suas ovelhas, sem demonstrar priorizar as vantagens materiais por aquilo que faz para Deus e Seu povo; então, louve a Deus por este Pastor, ore por ele e facilite o seu trabalho e o seu trânsito na igreja; pois... Você tem diante de si um homem de Deus comprometido com o seu rebanho!


Em meu ministério pastoral, tenho sido tremendamente impressionado e influenciado por este texto da Bíblia: "Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória." (I Pedro 5.2-4). Dou graças a Deus por poder compreender o quanto ele me adverte - visando o meu bem - em minha nobre missão de pastor de almas. E sempre louvo ao Senhor, por ter ao meu lado muitos homens de Deus; os quais têm feito de seu ministério um referencial e um exemplo de dedicação; que inspira e encoraja os novos pastores que vão sendo levantados pelo Senhor Jesus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Graça que me alcançou

 

Que bênção, querido e amado Pai; poder me estender em meu lugar de oração, aqui na casa do Pastor Sidenilson Alvino Pereira e Marcia Suzuki, para poder me fortalecer enquanto Te busco, na manhã deste novo dia. Deus da minha vida, como sinto prazer ao ver o raiar de um novo dia; o prazer de saber que devo a Ti mais este dia que me está sendo oferecido. Não consigo entender a complexidade que envolve a minha vida; mas... Sou tão grato a Ti pela graça que me alcançou e me acolheu! Que bom poder saber que Tua graça é bem melhor do que a própria vida. Até porque, a graça sobrevive sem a vida; mas a vida não tem sentido ou razão de ser sem a graça. Eu te louvo por esta graça maravilhosa; que me faz cantar e viver a vida que tenho como herança!
 
Sou grato a Ti, ó Pai; por ter estado visitando a igreja em Teófilo Otoni; por ter estado com o Pastor Antonio Novello e Julieta Novello; por pregar em e desfrutar de momentos de comunhão com o Estagiário Presbítero Josias Gomes da Silva e sua esposa Nirinha Mendes Silva. Também preguei na igreja do Universitário na do Bairro S. Raimundo, ambas em Governador Valadares; e ter podido estar com o Pastor Antonio Soares Pereira e Adriana Pereira Melo, e com o Pastor Diassis Alves e Graziele. E assim, nas três igrejas em que Maria Célia Calegari e eu estivemos, pude sentir o quanto as decisões do último concílio foram acertadas; pois pude ver - nestas três igrejas - verdadeiros homens de Deus, dando conta da missão que receberam do Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 15 de setembro de 2013

Tentando disfarçar a crise


A cada dia que passa, cresce em meu espírito a convicção de que vivemos em um mundo que prima pela aparência. Percebo que a humanidade, em maior ou menor escala, cultiva um comportamento baseado, não em conteúdo; mas, em aparência. É como se as pessoas vivessem a se enganar, umas às outras, e tendo consciência disso. Por exemplo: A nível social e até mesmo familiar, as pessoas - na grande maioria das vezes - mesmo estando em situação desesperadora, procuram passar a ideia de que estão bem; e, nos governos, líderes políticos disfarçam com abraços e sorrisos suas tentativas de se apunhalarem pelas costas. E mesmo nas igrejas, vemos obreiros agirem como se tudo estivesse muito bem no trabalho que fazem; tentando, sem sucesso, disfarçar a crise em que vivem; como se um mero sorriso estampado no rosto pudesse esconder o seu drama pessoal.
 
No entanto, quando examino as Escrituras, encontro esta solene advertência de Jesus: "E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias." (Atos 1.4-5). Nela, percebo o cuidado do Senhor em preservar os apóstolos despreparados para a missão de suas vidas, devido à falta deste indispensável componente: O Espírito Santo. Isto soa como se o Mestre bradasse: "Vocês não terão a menor chance sem Ele!" No entanto, vemos muitos cristãos - obreiros inclusive - tentando fazer algo para Deus, sem a unção do Espírito Santo. Alguns nem oram o suficiente, antes de partir para executar uma tarefa em nome do Senhor. Assim, o fracasso será inevitável!
 
Ao longo do meu ministério, tenho tentado ver o esforço de obreiros que trabalham com sincera e comprovada dedicação, recebendo a justa retribuição do Senhor; ainda que os frutos deixem de vingar devido à falta de unção em seu ministério. Quero também aproveitar o ensejo, para incluir um comentário que minha filha Daniela Calegari fez a esta mensagem, quando a mesma foi postada em minha página no facebook. Eis, na íntegra, o seu comentário: "Agir em nome de Deus, sem unção do Espirito é como tentar gerir negócios de outro sem procuração para isso. Obra de Deus sem unção do Espirito é como produto pirateado, sem certificado de validade, sem selo de garantia. Toda a ação que fazemos sem a unção do Espirito é mero movimento, agitação, até mesmo planejamento estratégico, menos Obra de Deus." (texto inclinado by Daniela Calegari).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 14 de setembro de 2013

Enquanto eu oro


Amado Pai celeste; como é bom poder orar à Ti, neste quarto de pousada onde Maria Célia e eu nos encontramos, na querida cidade mineira de Teófilo Otoni. Esta é uma das vantagens que tenho, ao não ter um lugar de oração fixo, estático. E assim, eu posso me estender em qualquer canto; sabendo em meu íntimo que me ouves, enquanto eu oro. E trago em mim um sentimento de profunda gratidão - bem maior e mais volumoso do que o meu pequeno coração - por tudo aquilo que sinto ao estar conTigo. Sei que é inexplicável aquilo que sinto; todavia, isso não me impede de poder dizer ao mundo que não há prazer maior do que estar em Tua presença, querido e amado Senhor!
 
Como conter o espírito, em momentos assim; quando as ondas do Teu mover percorrem o nosso ser inteiro? Seria o mesmo que tentar conter a força do vento, quando o mesmo transforma o ar que respiramos em energia capaz de afetar tudo aquilo que se encontra em seu caminho! Enquanto eu oro, querido Pai de amor; me ponho a pensar neste mundo no qual eu, por enquanto, vivo: Percebo que os seres humanos se habituaram a amar e se deixar prender por realidades sedutoras; concretas mas banhadas de mentira; No entanto, eu prefiro me deixar inspirar e guiar por realidades abstratas, porém, plenas de verdade. Sou grato à Ti, Senhor; por poder ver o que vejo e sentir o que sinto!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Desconfiança infundada


A tempos atrás, em conversa com um Pastor; este, referindo-se a um determinado irmão, manifestou suas reservas quanto aos conflitos vividos pelo mesmo. Segundo o seu sentimento, este irmão pode vir a tomar atitudes nocivas no futuro, acarretando perda e sofrimento; repetindo exemplos que nos frustraram no passado. Segundo o seu modo de ver, é necessário tomarmos cuidado com pessoas assim. Então, respondi-lhe que este é sempre um risco que temos que correr e um preço que temos que pagar; quando procurados por alguém em busca de ajuda ou conselho. Não não devemos negar auxílio àqueles que, oprimidos ou deprimidos, trazem a nós a sua dúvida ou desespero.
 
Enquanto conversávamos sobre isso; em meu íntimo eu recordava ocasiões em que fui golpeado por pessoas a quem ajudei; as quais - valendo-se da confiança depositada por mim em sua pessoa - traíram essa confiança e me trouxeram prejuízo e sofrimento. Em tais ocasiões, cheguei a pensar em olhar com reserva e desconfiança a todos os que de mim se aproximassem. No entanto, pensei: "Se eu agir deste modo - movido por precaução excessiva - corro o risco de me tornar igual aos que assim procedem; e, poderei trair a confiança de alguém que, procurando minha ajuda com motivação sincera, não se sentiu acalentado com minha atenção". E sinto-me bem na escolha que fiz.
 
Finalmente, cheguei à conclusão de que o prejuízo de perder alguém que frustrou a nossa confiança é sempre menor do que o prejuízo de frustrar alguém que recorre à nós, em busca de nossa ajuda; ou, até mesmo, a nos oferecer sua ajuda e amizade. Se não discernirmos, podemos - com o nosso preconceito - levar alguém assim a se sentir traído. Então, à menos que alguém já tenha claramente demonstrado não ser de confiança; não devo vedar a quem de mim se aproxima, a oportunidade de caminhar, servir e crescer comigo; pelo simples fato de o mesmo despertar em mim desconfiança sem fundamento. Afinal, esta atitude pode ser vista pelo próprio Deus como "juízo temerário".
 
Quanto a julgamento, encontramos este versículo na Bíblia: "Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor." (I Coríntios 4.5). E nele, fica claramente definido que existe um tempo de julgamento; no qual, as coisas ocultas e tenebrosas serão sentenciadas, sob o foco da luz que Jesus irá trazer. Todavia, não é de hoje, tenho notado que inúmeros cristãos vivem sempre a nutrir desconfiança para com os outros; apressando a julgar alguém por qualquer acusação feita contra este; ou por supostas palavras reprováveis a este atribuídas.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Não devo me deter


Querido e amado Pai celeste; nesta madrugada eu venho trazer diante de Ti a minha vida, com os mesmo conflitos e indagações de sempre. Sei o quanto necessito ouvir Tua voz; e, também, sei que em Ti eu posso confiar. Sei que não sou tão puro ou santo quanto deveria; e Te dou graças, porque não careço de ouvir vozes de fora a me convencer quanto a isso. As vezes, sinto como se - em mim mesmo - coexistissem dois seres em conflito; um deles, procurando me convencer de que me basto a mim mesmo; o outro, chorando enquanto diz que fui liberto e que sou o que sou pela graça de Jesus. E como eu me sinto bem com as reflexões do homem interior - que sente prazer na Tua lei - cuja voz optei por ouvir, enquanto por aqui estiver. Sigo a Jesus Cristo! E me sinto eternamente privilegiado!
 
Pai de amor; sei que minha vida é uma jornada; jornada que intercala vales e montanhas, à mercê de hostilidades ao longo do caminho. Sei que algumas coisas nesta vida me fascinam... Gosto de ver as grandes montanhas, intercalando rocha e mata; gosto de contemplar o entardecer a beira-mar, as ondas chegando e trazendo água e espuma enquanto se espraiam suavemente aos meus pés. Sou um admirador silencioso do vai-e-vem dos pássaros - entre uma e outra árvore - sempre à procura do seu par inseparável; alternando trinos e pios, como se quisessem dizer algo que não consigo entender. Mas, não devo me deter; pois, minha parada nestes pontos de atração é temporária. Tenho um caminho a trilhar e uma meta a alcançar; sei de onde vim e para onde vou. Sou eternamente agradecido!
 
Cântico de vitória: Deus é por nós
 
"31 Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32 Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? 33 Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. 34 Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. 35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 36 Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. 37 Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. 38 Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, 39 Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8.31-39)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Pastores e ovelhas

https://m.ak.fbcdn.net/sphotos-a.ak/hphotos-ak-ash3/37069_10201974980359711_655179529_n.jpg

Ontem, após um Congresso de Missões e Ação Social que excedeu as expectativas, fomos brindados com um convite do Bispo Roberto Amaral; para conhecer as instalações da Sede Administrativa e do Acampamento Efraim, recentemente adquiridos pela 6ª Região Eclesiástica da IMW, sob seu episcopado. Fiquei deveras impressionado com ambas as conquistas à nós apresentadas. Enquanto a reunião se dava na sala de reuniões do CMR, em meu íntimo louvei a Deus pela vida, família e ministério deste dedicado Bispo da IMW. Foi um dia em que aproveitamos para descansar e confraternizar, no ambiente bucólico e acolhedor do "Efraim"; no entanto, o meu espírito estava ausente, distante... Pensando na relação entre pastores e ovelhas, segundo as Escrituras.
 
 
Enquanto eu pensava neste tão importante assunto, o meu espírito se incomodava... Por saber que o maior desafio de um pastor - podendo se constituir em sua maior conquista - é conseguir entender e lidar com sua ovelha mais conflituosa, abatida, confusa; aquela para a qual parece não haver esperança. É verdade: O maior feito de um pastor não é saber lidar com boas ovelhas, de fácil convivência e comunhão; antes, pelo contrário, sua obra mais importante - enquanto pastor - é conseguir transformar uma ovelha sem esperança, em uma ovelha renovada, fortalecida e integrada no propósito de Deus. No entanto, posso garantir, este feito não se consegue simplesmente apontando defeitos ou imperfeições; mas, investindo nas virtudes e valores ainda existentes na mesma.
 
 
Sei que não é tarefa tão simples, como em princípio se possa pensar, suportar desvios de rumo ou ingratidão de alguém que procuramos ajudar; mas, não existe uma outra fórmula tão eficaz como esta: Suportar as fraquezas dos mais fracos; e demonstrar, por palavras e por obras, que os amamos de verdade. Se conseguirmos lutar até o fim por alguém assim - não com braveza ou intolerância - mas com mansidão e humildade; sem sermos influenciados por nossa própria natureza imprevisível, mas observando o modelo existente no Sumo Pastor; mesmo que não consigamos alcançar o objetivo de tê-la sob a nossa guarda, pelo menos nos restará o consolo de enxugar as nossas lágrimas de sofrimento aos pés do Senhor; e, ao fim de tudo, ouvir o seu "bem-vindo, servo bom e fiel".
 
Quando a esta relação entre um pastor e as ovelhas sob seus cuidados; estou em condição de dizer que - em minha missão de pastor - estas são as palavras de Deus que mais me inquietam: "As fracas não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza." (Ezequiel 34.4). Portanto, ao ser confrontado por elas, louvo a Deus por poder sentir as implicações de tão justa advertência sobre a minha própria vida ministerial; e também por entender o ministério pastoral segundo o modelo instituído nas Escrituras: "Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver." (Hebreus 13.7).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Zelo submerso em amor


Nesta madrugada, bem mais cedo que de costume, me estendi perante o Pai. Poucas vezes chorei tanto como hoje! Especialmente, por pensar no quanto o zelo humano - mesmo pleno de boas intenções - pode se tornar instrumento de morte para vidas incapazes de suportar os rigores de um zelo exercido sem misericórdia. Meu Deus... Como chorei! E, pensei comigo: Jamais devo utilizar o meu zelo, sem antes submetê-lo a um banho de misericórdia. Algumas vezes, ao conversar com um obreiro - mesmo dentre os que são reconhecidamente bons - percebo o quão difícil é, para muitos, entender que o nível do amor de Deus em nós, deve estar sempre acima do nível do zelo sagrado que nos move em meio às ovelhas pelas quais Jesus morreu. Porque, afinal de contas, a salvação de uma vida é bem mais importante que a honra da própria igreja à nós entregue.
 
Fiquei a pensar no zelo de Deus. E se Deus nos tratasse consoante o Seu zelo? Creio que não estaríamos mais neste mundo, ou, em outro qualquer lugar que fosse belo e venturoso. E, ao pensar no zelo de Deus, fui levado a entender dois pontos que podem ajudar os zelosos de plantão: 1) Entendi que o zelo de Deus é abrandado pelo grande amor que nos dedica; ao ponto de suportar nossas injúrias e desvios, tão somente por nos amar tanto. 2) E, compreendi o real sentido da expressão que Jesus utiliza, quando declara que o zelo da casa de Deus o consumia. Então, lamentei o fato de que, alguns, pelo fato de exercerem seu zelo sem amor, levam ovelhas a serem consumidas. Finalmente, entendi que apenas o zelo submerso em amor e misericórdia pode nos levar a dar a vida por uma ovelha, mesmo que ela seja a mais rebelde do rebanho sob os nossos cuidados pastorais.
 
Sou constantemente abençoado com as orações feitas pelo Senhor Jesus. E esta oração, em especial, representa o elevado nível de doação de Jesus em favor de Suas ovelhas: "Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse." (João 17.12). Se pararmos para pensar no modo como Jesus se dirige ao Pai - fazendo referência ao fato de ter guardado as ovelhas que recebeu para cuidar - podemos concluir que Ele reconhece a guarda de uma ovelha do Seu rebanho como prioridade absoluta. Portanto, não acredito que Ele aceite como normal - ou mesmo premie - um procedimento diferente daquele por ele adotado, por parte daqueles que receberam a sagrada responsabilidade de guardar Suas ovelhas por procuração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 8 de setembro de 2013

Abundante redenção

 
Querido Pai... Nesta manhã, ao me estender no lugar de oração, estou tentando entender o sentimento de Davi, expresso no salmo 130. Percebo neste salmo, que, o homem de Deus estava afligido com os pecados do seu próprio povo. Nos versos 1 e 2, sua oração denuncia o seu tormento, como se estivesse em uma profunda cova, desejando ser ouvido por Ti. Nos versos 3 e 4, ele demonstra angústia mesclada com esperança. Nos versos 5 e 6, ele revela o nível de carência espiritual em que sofria, chegando às raias do desespero, deprimido com o estado de seu povo. Todavia, nos versos 7 e 8 - contemplado com a Graça e com a Voz em meio às sombras - ele ministra ao seu povo em crise, a mensagem de esperança e de redenção que o Senhor plantou em seu espírito. Muitas vezes eu me sinto assim, Senhor; sem saber como lidar com este sentimento, ao pensar em pastores e ovelhas.
 
Em dias assim, a noite parece interminável e as orações parecem impedidas... A batalha parece perdida; com pastores e ovelhas afligidos pelo mesmo Mal que tenta destruí-los. Enfim, não há como conter os gritos do espírito inerte e da alma transtornada. Intercalamos sentimentos contraditórios; não conseguindo conciliar o sono, quando precisamos repousar; ou, não conseguindo despertar, quando precisamos orar. É como se nossa própria vida andasse pelo vale da sombra da morte (ainda bem que este abençoado salmista - no salmo 23 - nos ensinou a andar por ele). Enfim, quando a batalha parece perdida; em meio à escuridão de uma noite que parece não ter fim, os primeiros clarões da alvorada chegam; e, então, a alegria chega juntamente com o amanhecer do novo dia. Te louvo, Senhor; pois lá no íntimo eu sei que jamais estarei sozinho. Pois Tu, Senhor, estás comigo!
 
E assim, amado Pai; vejo neste salmo uma espécie de alerta balsâmico para todo aquele que procura servir ao Senhor com retidão: "Das profundezas a ti clamo, ó SENHOR. Senhor, escuta a minha voz; sejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas. Se tu, SENHOR, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. Aguardo ao SENHOR; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra. A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pela manhã, mais do que aqueles que guardam pela manhã. Espere Israel no SENHOR, porque no SENHOR há misericórdia, e nele há abundante redenção. E ele remirá a Israel de todas as suas iniqüidades." (Salmo 130). Nele, percebo que Davi expressa a sua firme convicção de que o perdão do Senhor tem muito mais a ver com Sua misericórdia, do que com os nossos méritos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Projetos e decisões


Enquanto eu estava buscando de Deus uma palavra para postar, me dei conta das muitas ocasiões, em que o Espírito nos leva a refletir um pouco mais sobre projetos e decisões que escolhemos para por em execução, tanto em nossa vida, como na família e até na igreja. Quando isso acontece, não devemos procurar condicionar a voz de Deus ao desejo humano do nosso coração; pois, naquele instante, a voz do coração deve ficar em segundo plano; mesmo que, a nosso juízo, ela seja muito importante. Por experiência própria, posso testemunhar do quanto fui ajudado por Deus; pelo simples fato de não cristalizar projetos e decisões, antes de dar MESMO ouvidos à voz do Espírito Santo quanto ao assunto. Sei que, à primeira vista, isso parece ser algo bem simples e fácil de se fazer... Todavia, ao longo e minha vida, tenho percebido que nunca é fácil dar ouvidos a Deus!
 
Também pensei na importância dos projetos e decisões respaldados na vontade de Deus. Maria Célia & eu retornamos ontem de Muriaé, depois de um fim de semana intenso (no sábado, ministrei a tarde no CEFORTE e a noite no Culto Distrital; no domingo, preguei na ceia da IMW Central, no batismo da IMW Barra e no culto da IMW de S. Cristóvão). Em meio aos resultados, fiquei a pensar que, quando assumimos a 2ª Região em 2008, o universo de wesleyanos em Muriaé era cerca de 600 irmãos distribuídos nas duas igrejas existentes; e hoje, mediante a interação com a visão regional, somam cerca de 1.500 os membros e congregados distribuídos nas sete igrejas. Estou convencido de que o avanço da obra está ligado ao entrosamento do trabalho que está sendo feito com as diretrizes regionais; pois, a sincronia entre a liderança e os liderados facilita o agir de Deus em Sua Igreja.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Leque de promessas

 

Hoje de manhã, enquanto eu orava ao Pai, o meu coração foi envolvido por uma visão concernente às promessas de Deus. E como me senti bem, ao recordar algumas promessas cumpridas em minha vida! Também lembrei promessas feitas - umas, para cumprimento em futuro breve; e outras, cujo cumprimento eu aguardo para um futuro que nada tem a ver com este mundo ou com esta vida temporal. E esta visão foi, para o meu coração, como eu tivesse tomado uma bebida quente em uma noite fria. Então, expandi minha reflexão ao "catálogo de promessas gerais". Pois é... Para quem ainda não pensou nisso, posso afirmar que a Bíblia possui, em suas páginas, um leque de promessas que abrangem toda a vida do crente fiel. Neste catálogo existe a garantia de Presença, Poder, Propósito de Deus, aplicada à vida de um crente que persevera no Caminho do Senhor.
 
Umas das vantagens que o crente tem, quando ora; é a de ter uma visão continuamente atualizada daquilo que Deus pretende de sua vida. E, à medida em que este crente vai crescendo na graça e no conhecimento do Senhor; ele vai se dando conta da importância de três importantes linhas de ação do agir de Deus, mediante o Seu Espírito: 1) A primeira delas, é Seu propósito para com a vida de cada um de nós; pois nossa vida só tem sentido, quando integrada no propósito de Deus. 2) A segunda (não em grau de importância) é o poder que Ele confere ao crente, para que o mesmo execute as Sua obras - previamente definidas - estabelecidas em Seu santo propósito. 3) A terceira (no mesmo grau de importância das anteriores) é a presença de Deus em nossas vidas; garantindo Sua doce e constante companhia, enquanto caminhamos pela vida afora.
 
Nunca escondi que sou um grande apreciador das canções do Cantor e compositor Anderson Freire; mas sou também um apreciador das canções do Marquinhos Gomes; e a canção "Não morrerei", em especial, fortalece a nossa fé e confiança nas promessas de Deus. Tenho aprendido nas Escrituras que - concernente aos heróis da fé dos tempos bíblicos do Antigo Testamento - a Palavra de Deus declara que "Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra." (Hebreus 11.13). Naturalmente, que, este texto não se refere às promessas de Deus para a vida presente; mas, sim, para as promessas da vida futura. Louvo a Deus por Suas promessas!
 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Minha posição em Cristo


Querido Pai; valorizo muito a necessidade que sinto de estar, prostrado aos teus pés, no lugar de oração. Sei que existe a possibilidade envolta em risco, de eu não sentir tal necessidade. E também sei que, caso isso acontecesse, eu estaria entregue a mim mesmo - aos meus próprios pensamentos e opiniões - correndo sério risco de fracassar. Mas... Isto é apenas possibilidade, que espero nunca se concretizar. Realmente; é algo que não pode ser medido no sentimento ou explicado em palavras, aquilo que tenho experimentado no lugar de oração. No entanto, de uma coisa eu tenho absoluta certeza: Mesmo não sabendo o real alcance dos efeitos de minha presença no lugar de oração; eu sei muito bem o quanto é importante que eu ali esteja, prostrado diante do Senhor, buscando Sua face.
 
E hoje então, foi maravilhoso! Pois, pude aprender que a minha posição em Cristo é muito mais importante do que a minha posição no mundo; ou mesmo na Igreja. Pude ouvir novamente que a minha posição em Cristo - se por mim levada em alta conta - define o bom desempenho de minha posição em qualquer outro lugar. Entendi perfeitamente que, mediante minha consciência daquilo que sou em Cristo, poderei presidir ou ser presidido, servir ou ser servido, consciente e convicto de que sou devedor ao Deus a Quem sirvo e aos homens aos quais sou enviado para servir. Então, minha posição na Igreja - seja de servo, seja de líder - será exercida depurada de vaidade, ambição e arrogância. É verdade! Somente assim, poderei ser instrumento para a glória de Deus e para edificação de vidas.
 
Não é de hoje que venho notando; que muitos cristãos, especialmente líderes, dão muito mais valor à sua posição na Igreja do que à sua posição em Cristo. Vejamos o que a Palavra diz sobre os princípios que devem pautar os verdadeiros cristãos: "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus." (Filipenses 2.3-6). Infelizmente, alguns só vão perceber o gosto amargo desta inversão de valores ao final de tudo; quando o preço do engano poderá custar sua vida futura.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Servindo de exemplo


No último domingo, acordei pensando no dia anterior. Afinal de contas, como esquecer aquilo que Deus fez - por nós e através de nós - em um momento tão edificante para o Distrito de Muriaé: A reunião com os pastores e seminaristas, no templo da IMW Central de Muriaé. Ainda repercute em meu espírito, a Palavra que o Senhor me concedeu a graça de ministrar; destacando a nobreza do ministério pastoral. Não aquilo que hoje se vê; e que, equivocada ou ingenuamente, chamam de ministério pastoral (homens produzidos em um camarim, como se atores fossem, procurando captar a atenção e os recursos de todos aqueles que conseguem convencer de que sua causa é justa e nobre; ou, tentando convencer que este é o único modo capaz de promover ações sobrenaturais nesta mundo em ruínas). Sim, repito! fiz questão de falar sobre a nobreza do ministério pastoral segundo as Escrituras!
 
Entretanto, não quero fazer juízo temerário sobre alguém em particular; pois, apesar de tudo que vem acontecendo no âmbito do ministério, ainda creio que hajam obreiros dedicados - agindo com boa fé naquilo que fazem - mesmo cometendo erros primários; como o de afirmarem ou insinuarem que a verdadeira vida com Deus traz em sua esteira - obrigatoriamente - saúde física, riqueza material e sorte no amor; como se estes sinais visíveis de felicidade, almejados por quase todos as pessoas - santas e profanas - fossem a causa pela qual Jesus deu a sua vida em favor do ser humano. Na reunião com os obreiros e candidatos a obreiros, deixei bem claro que o verdadeiro ministério pastoral, segundo as Escrituras sagradas e o exemplo do próprio Jesus, segue um rumo claramente oposto àquilo que se vê em nossos dias. E fiz questão de deixar claro: Estamos procurando formar pastores, não teólogos!
 
Quanto ao meu testemunho; posso aqui apontar uma das coisas que tenho procurado fazer: Observar atentamente os ensinos das Escrituras, quanto ao ministério - especialmente o pastorado. Textos, como esta advertência feita por Pedro aos pastores da Igreja Primitiva, têm causado forte impacto em minha vida de obreiro: "Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória." (1 Pedro 5.2-4). Sei muito bem que esta não é uma atividade comum; especialmente, nos dias de hoje. No entanto, percebo ser esta a única maneira de um Pastor apascentar o rebanho do Senhor, sem ter do que se envergonhar depois; quando comparecer perante o Sumo Pastor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Pensai nas coisas de cima


Neste sábado, precisei me levantar antes da alva; para poder estar diante do meu Senhor. E precisei me antecipar, pois eu teria que viajar para Muriaé; para, nesta tarde, ministrar uma palavra de Deus aos seminaristas e obreiros do Distrito de Muriaé. Realmente; eu me sinto muito bem em poder retornar aos compromissos que fazem parte de minhas obrigações. Mas... Não posso deixar de tecer comentários sobre este interessante texto postado pelo querido Pastor Francisco Alves Quesado: "A nossa mente é como um profundo labirinto cheia de curvas sinuosas, povoada por monstros assustadores."; o qual foi por mim comentado, do seguinte modo: "É verdade, querido Pastor Francisco Quesado. Ainda bem que a perfeição da mente de Cristo, absorvida por nosso homem interior, compensa os conflitos da nossa mente humana carregada de imagens e lembranças indesejáveis."
 
Na verdade, eu aprendi que as grandes batalhas do crente são travadas nos bastidores de sua mente. É nela que nascem as sensações de triunfo e de prazer; e, os conflitos existenciais e ocasionais que angustiam e assustam a vida de qualquer um. Estou convencido de que é na mente que ocorrem os mais dolorosos conflitos do ser humano. Nela, definimos amigos e inimigos; em uma escolha, geralmente, corrompida por critérios gerados dos conflitos psicológicos aos quais somos diariamente expostos. E não existe alguém capaz de explorar a fragilidade da mente humana com maior êxito do que Satã. Nela, ele promove um jogo duro de "caça aos inimigos"; nos induzindo a crer que este ou aquele não gosta de nós; ou, que alguém fala mal de nós... Como se os nossos piores inimigos fossem aqueles que, em momento infeliz, proferiram palavras de desabono à nossa pessoa.
 
Desde o primeiro momento em que me deparei com este texto: "Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti."  (Isaías 26.3); aprendi que confiança e paz verdadeira, só pode ter aquele cuja mente está firmada no Senhor. Outro texto que me abençoou muito foi o testemunho do Apóstolo Pedro: "E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três homens te buscam." (Atos 10.19); pois, nele, percebi que quando eu ocupo a minha mente com as coisas de Deus (visão, sonho, missão, etc); a minha dependência de Deus será fortalecida, e me permitirá estabelecer valioso canal de comunicação entre o Espírito Santo e o meu espírito. E temos também esta exortação da Palavra: "Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus".  (Col. 3.1).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 1 de setembro de 2013

Fomos movidos a orar


Hoje, ao me levantar, enquanto eu me dirigia ao lugar de oração, o meu espírito refletia sobre os acontecimentos da noite anterior... Recebemos a visita do meu filho Elizeu Calegari, sua esposa Synara Bastos Calegari e seus filhos - e meus netos - Ana Carolina, Alexandra e Arthur. Enquanto tomávamos um bom lanche juntos, recebi uma palavra da parte do Senhor para ele e sua família; palavra confirmada por uma revelação de Deus à Maria Célia. O meu filho precisava se retirar para repousar; no entanto, todos fomos movidos a orar naquele instante. Então, uma poderosa unção de Deus tomou as nossas vidas - as crianças inclusive. Em meio às orações que estavam sendo feitas, Daniela fez uma oração de guerra naquele instante; Maria Célia recebeu uma unção que percorreu sua coluna; Elizeu foi tomado por um sentimento de renovação; o mover do Espírito foi sentido por todos; e meu filho, minha nora e meus netos foram renovados na presença do Senhor!
 
Todos nós sabemos da importância da oração; no entanto, as barreiras levantadas por Satã para nos impedir de orar têm impedido bons crentes de recorrer a esta fonte de renovo e refrigério; e devido a esta ausência no lugar de oração, muitas famílias se tornam vítimas do adversário; e os prejuízos desta omissão começam a se refletir em diversas áreas de atividade e de relacionamento da família que não ora. A bem da verdade, as vezes os membros da família até oram; mas... A oração se restringe àquela que vem sendo praticada na linha do tempo de uma vida cristã formal; ou seja, oração de gratidão pelo café da manhã; ou, oração a beira da cama, como se fosse um mantra, agradecendo a Deus pelo dia que se findou. Não estou querendo dizer com isso que este tipo de oração seja errado ou inválido (até porque oração nunca é demais). Todavia, se queremos enfrentar e vencer os perigos e desafios que nos rodeiam no dia-a-dia, orar assim pode não ser o bastante.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari