terça-feira, 30 de abril de 2013

Oração nunca é demais


Acabo de regressar do lugar de oração, onde estive orando. Desde muito cedo em minha vida, aprendi uma frase cunhada por anônimo - repetida depois por muitos e muitos - que "oração nunca é demais". Neste momento em que sou levado a pensar na necessidade de orar, penso que esta frase está corretíssima; no entanto... Ela não diz tudo! Sei muito bem que qualquer pessoa que ora sabe que não existe oração em demasia; e também sei que, por mais que alguém consiga orar, nunca irá orar o suficiente. Na verdade é muito comum sermos vencidos pelo peso da oração, bem antes de esgotarmos a agenda de oração que levamos conosco à presença de Deus. Portanto - com exceção de Jesus, que levantou-se após ter orado o suficiente no seu jardim de oração - todos nós nos levantamos da oração, sabendo que alguma coisa deixou de ser apresentada a Deus.
 
Quando me reporto ao passado, encontro pontos vazios de oração. Eu me refiro aos pontos em que eu deveria ter orado e não orei. Aí então, penso que poderia ter crescido mais espiritualmente. Inclusive, me assusta o fato de ter - de modo passivo - contribuído para o prejuízo de alguém por não ter orado por ele quando foi preciso. Não chego ao ponto de me sentir carregado de uma culpa causada por omissão; mas, confesso que este pensamento me incomoda. Entretanto, sei que jamais conseguirei orar como convém; mas sei que me convém orar sempre, pois a oração me mantém vivo e de pé. Se vida plena de oração tivesse direito a algum diploma ou certificado, eu jamais teria direito a um; todavia, continuo procurando manter em dia os meus deveres de oração. Dentro de instantes estarei viajando; ciente de que orar nunca é demais; e que... Nunca oramos o bastante!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Nova Aliança

 
Hoje - ao me levantar para buscar a face do Senhor a Quem sirvo - me dei conta de que minha família diminuiu, com a partida de minha saudosa sogra/mãe Delza para descansar sob o altar de Deus. Todavia, não senti aquele sentimento de perda que as pessoas sempre sentem, quando um ente querido parte para a eternidade. Tentando entender a ausência deste sentimento, pude perceber que a sensação de perda não vingou, especialmente pelo fato de que não a perdemos... Ela tão somente viajou um pouco antes de nós; para o mesmo lugar em que viveremos eternamente. Nossa casa continua repleta de nossos queridos parentes, mesmo com a partida de alguns. No entanto, a vida é assim mesmo: Uns indo e outros voltando; e, novamente partindo. Mas, não foi apenas isso que aprendi. É que enquanto eu orava, o Espírito me fez entender outra verdade sobre o sacrifício de Cristo; sobre a qual nunca li ou ouvi qualquer menção por parte de alguém.
 
A verdade à qual me refiro é sobre o que nos une ao Cristo da cruz. É verdade! O sacrifício do "Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo". Como é bom saber que Êle se entregou ali por nós; para nos garantir perdão. Neste mundo é algo comum levarmos alguém ao altar do sacrifício; porque, afinal de contas, é bem mais simples e menos doloroso transformar em holocausto alguém que não seja nós mesmos. Então, muitas vezes, preferimos revidar; fazendo sofrer aqueles que - em algum momento - nos fizeram também sofrer. Afinal, por que não retribuir a alguém com a mesma dôr com que este alguém nos infligiu? É verdade... Este tipo de retribuição traz um gostinho de prazer sem paz e sem aceitação diante de Deus Pai. Então, por que não perdoar; se perdão custa menos e enobrece mais? Como foi bom para mim, descobrir que perdoar pode até não dar aquela sensação de vingança que a retaliação sempre dá. Contudo, eu afirmo: Perdoar é bem melhor!
 
Enquanto eu refletia, pensei nos judaizantes - do passado e do presente - e sua insistente luta em revitalizar símbolos e costumes judeus que foram definitivamente descartados na vigência da Nova Aliança. Por que eu preciso me tornar "judeu", se é bem melhor eu continuar sendo cristão? "Mas - alguem diria - não podemos ser as duas coisas ao mesmo tempo?" E eu respondo: Sim, podemos! No entanto, só se formos judeus vestidos de cristãos; não cristãos vestidos de judeus. E por que respondo assim? Porque não devemos misturar verdades que a Nova Aliança separou, até que Jesus retorne. Então, Ele finalmente terá os dois povos em um só "Corpo". Afinal, por que oferecer sacrifício em altar retangular, horizontal e transitório, de quatro pontas; se, o altar vertical permanente de quatro pontas cruzadas é mais atual? E, neste último, Jesus não ofereceu alguém a quem amava... Êle se ofereceu a Si mesmo pela humanidade que amou e pela qual se entregou.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 27 de abril de 2013

Sou humano


Dias atrás, em S. Lourenço - em casa do Pastor Natanael e Meire - fiz esta oração: "Amado Pai celestial, nesta manhã eu me estendo em Tua presença. Enquanto oro, o meu espírito entoa a canção "Sou humano"; composta por teu servo Anderson Freire e cantada por tua serva Bruna Karla. Enquanto canto por dentro, reconheço que - por mais que eu tente - não consigo ser perfeito. No entanto, consigo entender ao meditar na letra da canção; a qual me diz que não consigo por ser humano. Mas esta não é, nem de longe, a minha maior preocupação nesta vida.
 
Sei que, na condição de servo do Senhor, eu me tornei - mesmo sem desejar ser - exemplo e referência para outras pessoas. E isso me aflige bastante pelo fato de saber que, por um descuido ou negligência, posso me tornar um mau exemplo e uma referência ruim. Sinceramente, Pai, não posso me tornar, em momento algum, motivo de escândalo ou de tropeço para aqueles que me observam - nem para os que me amam e me admiram, nem para os que me ferem e me aborrecem - pois aprendi nas Escrituras Sagradas que fui chamado para ser luz do mundo e sal da terra.
 
Portanto, querido Pai, preciso incessantemente da Tua ajuda! Ajuda para ultrapassar os limites impostos por minhas deficiências e fraquezas; e, ajuda para me manter feliz e realizado dentros dos limites que me são impostos por Tua santa e suprema vontade. Sei que sou humano e que não consigo ser perfeito; mas, também sei que o Senhor Jesus - em Sua perfeita humanidade, sem mancha e sem pecado - me redimiu com o Seu sangue e me ungiu com o Seu óleo. E assim, de que mais preciso para ser feliz? Eu posso bradar que tenho tudo, desde o dia que recebi Jesus em meu coração!" Não sei o que Deus fez em mim naquele instante; mas sei que me senti feliz após orar.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Irmã Delza viajou

Irmã Delza muitos anos atrás
 
É com grande pesar que comunico aos nossos irmãos e amigos, o falecimento de minha querida sogra, mãe, irmã e amiga DELZA LIMA ARAUJO. Ela era viúva do saudoso Pastor Moacir sobral de Araujo, com quem serviu ao Senhor com admirável dedicação. Morreu aos 88 anos, após ter vivido plenamente uma vida ativa e abnegada.
 
Mãe e filha em amoroso abraço
 
Ela foi mãe de dez filhos vivos: Mário, Marly, Maria Celia, Miriam, Miguel, Marcus, Maristela, Márcio, Murilo e Mônica. Seus genros e noras: Iran, este que escreve, Marilda, João Batista, Tânia, Hallisson e Tayrone. Seus netos: Tiago, Catia, Sebastião, Elizeu, Ezequiel, Daniela, Shamus, Mary, Camila, Rafael, Tamara, Vinicius, Felipe, Gabriel, Beatriz, Carolina, Lucas, Heitor, Julia e Aline.
 
Ao partir para o Senhor, a irmã Delza deixa enlutados e saudosos os seus filhos, genros, noras e netos; e também, uma legião de irmãos que sempre a admiraram; pois, o seu ministério nas IMW de Nilópolis, Olinda, Rocha Miranda, Jardim América e Olaria, fez com que se ligasse a inúmeros amigos e irmãos. O seu testemunho cristão e sua viva fé no Senhor Jesus, servem de referência e inspiração.
 
Quatro gerações em uma mesma foto: Delza, Célia, Daniela e Beatriz
 
Na condiçao de Bispo da Igreja Metodista Wesleyana, deixo registrado o agradecimento - meu e de toda a família - à Missionária Lúcia, que esteve conosco; representando seu esposo e Presidente da IMW, Bispo Elisiário; ao querido Pastor Vitor Claveland, SD do Distrito de Petrópolis; que deu suporte e orientação em momento tão difícil; ao Pastor Joedir, SD do Distrito do Itamarati; que se pôs a nossa disposição; e ao Pastor Jorge, titular da IMW do Morin; que cedeu as instalações da igreja e deu suporte com oficiais locais e lanches para todos os presentes. Também agradeço aos pastores, missonárias e irmãos que estiveram conosco durante o tempo em que o seu corpo foi velado no templo da IMW do Morin, em Petrópolis.
 

Família em volta do féretro - mantendo viva no coração a esperança do crente
 
Estou ao lado de Maria Célia Calegari, minha querida esposa, e do Pastor Miguel Araújo, meu querido cunhado; providenciando os preparativos para velarmos o seu corpo e cuidarmos do seu funeral. Ainda não temos a data do sepultamento; todavia, manteremos informados os nossos amigos e irmãos. Sempre fui um admirador de suas profundas experiências espirituais, marcadas por maravilhosas visões de Deus. Ela foi instrumento para levar muitas almas à Cristo.
 
"Preciosa é à vista do SENHOR a morte dos seus santos." 
(Salmos 116 .15)
 

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Pontos luminosos


Querido Pai celestial; nesta manhã eu trago perante o Senhor: Adoração, gratidão, louvor, ações de graças... Uma santa mistura que jorra de um coração que não consegue se conter em Tua santa presença! Não escondo de ninguém a necessidade que tenho de me prostrar diante de Ti no lugar de oração. Já disse algumas vezes que o meu lugar de oração não é um ponto fixo; mas, um ponto que se move e segue comigo, enquanto percorro o Caminho da Vida. E hoje estou carregado da certeza de que uma onda de luz passou ontem sobre minha vida e família. E sei que não foi apenas uma experiência emocional; pois fui convencido pelo Teu Espírito, de que isto de fato aconteceu! Sei que não existe neste mundo, um instrumento de precisão capaz de medir o sentimento de gratidão que invade o meu ser. Glória a Deus!
 
Percebi também, amado Pai; que esta onda de luz - por onde passou - deixou pontos luminosos por toda parte. Que maravilha! Não tenho palavras que possam expressar o quanto me sinto agraciado e honrado por Tua graça envolvente! Não me sinto grande ou pequeno... Mas, me sinto um homem feliz por Te conhecer e por poder entender o sentimento de Cristo. Tenho consciência de que jamais conseguirei sentir o que Jesus sentiu enquanto Homem; mas, o fato de compreender este sentimento - até ao limite imposto por minha imperfeição - já é suficiente para me remeter à galeria dos homens mais felizes da terra. Que bênção! Portanto, o meu desejo neste instante é que todos aqueles que fazem parte de minha vida possam desfrutar da mesma experiência que tenho tido; sentindo o mesmo sentimento que estou sentindo. Aleluia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Casamento de Lucas e Míriam

 
Ontem a noite o meu cunhado Pastor Miguel Miguel Araújo e eu, chegamos de uma viagem que fizemos juntos ao sul de Minas; onde estivemos visitando algumas igrejas wesleyanas do Distrito de S. Lourenço. No sábado a noite, tivemos o prazer de participar do casamento de Lucas e Míriam - membros da IMW de Itamonte; ele filho do Pastor Gilberto & Rosana Mendes Leite Mendes; titular daquela igreja. Alguns pastores e vários irmãos de igrejas do Distrito estiveram presentes à cerimônia.
 
A cerimônia aconteceu no templo da Igreja Presbiteriana. Enquanto aguardávamos a entrada das testemunhas - seguida da entrada do noivo e posteriormente da noiva - fiquei a pensar nos pensamentos que deviam passar pela mente dos pais e das irmãs do nubente. E digo isso, pelo fato de que a história da vida do Lucas - desde o seu nascimento - é uma história comprovada de milagre. Após a celebração, fomos todos para a recepção oferecida aos convidados, marcada por alegria e descontração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 23 de abril de 2013

Proveito nas injúrias


Em um destes dias, ao me levantar do lugar de oração,  fui convencido pelo Espírito, de que este é o melhor lugar para cairmos prostrados. Nele, podemos estar a sós com Deus; falando e ouvindo a Sua doce voz. Todavia, tenho uma razão especial para me regozijar por ter estado com o Pai nesta manhã: Deus atendeu ao meu clamor e me deu graça para orar intensamente em favor de pessoas que me injuriam. Intercedi por quatro famílias que têm sido como vergasta desferindo golpes sobre minhas costas. No entanto, percebi que fui capaz de orar e chorar por eles. Intercedi por seus filhos, até sentir que Deus ouviu minhas orações. Sei o quanto eles vão necessitar do cuidado do Senhor nos dias vindouros; e preciso estar em oração por suas vidas. Por isso me dispus a ser um de seus intercessores.
 
 Ao longo de minha vida, aprendi a tomar uma atitude: Sempre que eu percebo um sentimento de insatisfação e revolta tentar conduzir minhas atitudes e reações - comprometendo minha vida espiritual - especialmente quando me sinto prejudicado por alguém; procuro então meditar em uma frase que ouvi a muitos anos atrás: "Sê como o sândalo, que perfuma o machado que o fere." E eu posso testemunhar: Sempre que algo assim me acontece, esta frase que aprendi a tanto tempo salta ante os meus olhos e me capacita a silenciar sentimentos contrários que tentam me controlar.
 
Mas... É bom que se diga que não faço isto por ter natureza boa (talvez eles até tenham motivos em seu modo de tentar me afligir). Faço questão de ser assim, porque aprendi com o Senhor a alimentar o meu inimigo: "Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber..." (Rom. 12.20). Também aprendi com Ele a orar pelos que me maltratam: "Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;" (Mat. 5.44). Sinto proveito até nas injúrias que sofro; pois a Bíblia diz que "Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa." (Mat. 5.11).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Duas lições sobre verdades


Nesta manhã, após estar diante do Pai; o Espírito Santo me fez saber, algumas coisas sobre a verdade. Ele me ensinou utilizando o exemplo da lua e suas duas faces: A face brilhante e visível e a face fria e obscura do nosso satélite. Ambas as faces representam a natureza da lua que conhecemos; e elas só conseguem ser, ao mesmo tempo, agradáveis e assustadoras; quando unidas uma a outra. Assim é a verdade; pois, toda verdade tem as suas duas faces: Uma que geralmente tentamos demonstrar; e outra que, preocupados com seus efeitos, procuramos esconder. É devido a isso que, muitas vezes, optamos por dizer apenas a metade da verdade que conhecemos.
 
Então, Deus me ensinou duas lições sobre verdades ditas pela metade: A primeira é que parte da verdade pode ser encoberta por motivos pedagógicos; quando as pessoas ao se alcance não estão preparadas para ouvi-la no todo. Um exemplo disso é quando ensinamos as crianças sobre a natureza sexual. Jesus agiu deste modo, quando disse aos discípulos: "Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora." (João 16.12). Outro, quando ela é omitida por motivos piedosos - assim agiram as parteiras no Egito (Exodo 1.15-21) - quando ocultamos parte dela no afã de preservar ou poupar alguém do rude golpe de uma verdade dita por inteiro.
 
A segunda lição que aprendi com Deus sobre a meia verdade; é quando ela é encoberta por motivos menos nobres: Ou por instinto de autodefesa; ou com a intenção de prejudicar alguém. Quando parte da verdade é omitida por autodefesa; geralmente a razão é o medo (Pedro, ao negar Jesus). Todavia, quando omitimos parte da verdade com a intenção de ferir ou acusar alguém; esta atitude reflete maldade pura (Mateus 5.11-12). Tenho notado que estes dois modos de jogar com a verdade são comuns; mas, a pessoa de sentimento justo e puro consegue escapar a esta armadilha do mal; que tem levado bons homens e mulheres de Deus a sofrerem dolorosas conseqüências.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 21 de abril de 2013

A verdade como ela é


Pai querido, nesta manhã eu venho ao lugar de oração; pois sinto necessidade de orar para poder me manter em silêncio. E Tu sabes que é verdade Pai! Quantas vezes recorri ao Teu Espírito, para poder falar? Tantas, que não haveria meios de enumerá-las. No entanto, não me recordo de ter Te buscado muitas vezes para poder ficar em silêncio. Mas, nesta hora eu sei o quanto preciso te buscar para me manter calado... Talvez muito mais do que orar para continuar pregando! É que hoje achei melhor fazer a oração de Davi: "Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios." (Salmos 141.3). Preciso de Ti!
 
Pai, quero viver sem a necessidade de ficar dando explicações para as palavras que penso não ter dito e para as ações que penso não ter praticado; pois, sei que os que seriam alvo destas justificativas não poderiam tirar ou acrescentar nada ao que tenho dito ou feito; pois o Senhor conhece a verdade como ela é! Portanto, o Teu conhecimento não carece dos retoques de quem me seja favorável ou contrário. Sei que sou responsável por minhas ações e omissões; portanto, rendo-me humildemente à tua reta justiça. E que eu jamais esqueça que - quer esteja em deserto ardente ou floresta escura - estarás de olho em minhas ações e intenções.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 20 de abril de 2013

Sempre gostei do mar


Estou pensando que - desde que me entendo por gente - sempre gostei do mar. Aliás, desde a mais tenra infância, estive próximo dele; vendo suas ondas quebrarem na praia, deixando marcas de uma agradável espuma branca em suas areias. E aquilo sempre me deslumbrou, como se fosse algo que me ligasse a um outro mundo; existente em meu imaginário infantil. Gostava de me banhar em suas águas e sonhar com um mundo colorido, onde as águas dominavam tudo e nunca terminavam. E como era extasiante!
 
Pois é... Vivi e cresci em uma pequena colônia de pesca em Jurujuba, no litoral niteroiense. Dali eu conseguia ver do outro lado da Baía de Guanabara; pedaços de uma cidade desconhecida que parecia estar em outro mundo... Pois era assim que eu via o Rio de Janeiro com o seu Pão de Açúcar, o Leme, a praia da Urca... Como se fossem lugares inacessíveis para uma criança como eu. Mas eu não me sentia incomodado com isso; pois... Eu tinha o meu mar e a minha pequena praia da Várzea. E era suficiente!
 
No entanto, fui crescendo e descobrindo outros valores; alguns bem mais importantes do que aquele mar que tanto me encantava e me atraía. Percebi que precisava ampliar os horizontes do saber... Então, tive um feliz encontro com a Bíblia e pude finalmente saber que jamais estive sozinho; pois, Deus sempre esteve próximo, sem que eu soubesse! Foi então que Jesus me chamou e mudou a minha vida, fazendo-me ver que o Mar da Graça que me oferecia era muito mais importante que o mar que sempre admirei.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Oceano de amor


Querido Pai celestial; venho nesta manhã perante a Tua face, te agradecer o pão que me sustenta e a água que me dessedenta em um mundo sequioso e faminto. E nesta oração, não estou pensando apenas na comida que perece ou na água que se esvai. Sei muito bem que o alimento que subsiste para a vida eterna é mais importante do que aquele que tem utilidade temporária. Te agradeço também por minha família; e pelos amigos que puseste ao meu lado; em dias tão maus e perigosos. Sei muito bem que alguns amigos não permanecem para sempre conosco; e que, por razões nem sempre justas, eles se vão do mesmo modo que vieram. Mas, ainda assim, sou grato a Ti por eles.
 
Pai, sou também grato por Teu perdão. Teu servo Willian Booth propôs em uma canção, que o perdão é um infinito oceano de amor. Penso que o perdão é realmente assim: Um oceano infinito de amor; capaz de libertar e transformar corações presos por mágoa e rancor. Descobri que as marés deste oceano, em seu fluxo e refluxo; levam e trazem coisas que - em nossas vidas - precisam ser acrescentadas ou descartadas. Descobri também que nesse vai-e-vem contínuo das marés deste oceano; nos tornamos, ao mesmo tempo, perdoados e perdoadores. E quando nos negamos a ser tocados pelas águas do perdão; ficamos à mercê dos sentimentos mais diversos e imprevisíveis.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Correria para lugar nenhum


A Bíblia ensina que "o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido." (I Coríntios 2.14-15). Sempre que me ponho a orar, percebo que algumas verdades encobertas ao homem carnal, se tornam compreensíveis ao entendimento dos puros de coração; daqueles que buscam a Deus em espírito e em verdade.
 
E o meu discernimento se confirma, quando medito na saga de José (em Canaã e no Egito) e de Daniel (na Babilônia). Não há como negar que estes dois homens de Deus conseguiram se impor em seu tempo - superando duras provas sem abrir mão de seus princípios e vencendo os seus adversários sem disparar uma só flecha - tão somente se valendo do recurso da oração. Mas, quando eu olho para a agitação deste mundo ímpio, percebo líderes cristãos tentando se impor com grito e agitação.
 
Todavia, começo a perceber que isto está em linha com o que foi revelado ao Profeta: "E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará." (Daniel 12.4). Portanto, bem pode ser que tudo isso faça parte do quadro profético anunciado para os dias de hoje; podendo esta  tão anunciada "correria para lugar nenhum" ser um dos meios que finalmente revelará "quem-é-quem" diante do trono de Deus.  
 
Entretanto, não é minha intenção julgar as motivações dos que se agitam em nome de Deus. Nem estou afirmando que vida de oração dispensa as ações correspondentes à fé. Mas entendo que, ao invés de discutir e brigar, devemos responder com mansidão e temor aos que questionam a razão da esperança que temos; pois nossa luta não é política nem nossas armas carnais (1 Pedro 3.15-16). O Novo Testamento ensina que a vitória dos crentes é movida a canções de paz e não a tambores da guerra.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Vida que ora


Querido Pai celestial; Ao te buscar nesta manhã, sinto o quanto é importante estarmos em oração diante de Ti. Enquanto eu oro, minha lembrança é invadida pela recordação dos diversos momentos em que minha família correu perigo; em que nossas vidas foram tomadas de temor e angústia... Então, eu pude sentir o quanto a vida que ora é fortalecida... Dirigida e guardada enquanto se curva diante de Ti. Como sou grato ao Senhor por ter descoberto que, no lugar de oração, os mistérios da vida se revelam! Os mistérios bons nos fortalecem e os mistérios maus já não conseguem nos surpreender e assustar. Que bênção, amado Pai!
 
E assim, enquanto procuro me manter em oração, percebo com clareza que posso surfar na onda do bem que percorre o mundo; procurando salvar e santificar aqueles que são, por ela, cativados. E também posso entender pelo Espírito, que a onda do mau que também percorre o mundo - procurando nos levar na direção oposta ao Teu propósito - não consegue me aprisionar em seu fluxo maligno. Realmente, Pai... Constatei que, na vida humana, perde aquele que - sem noção do risco que corre - se deixa seduzir e conduzir pela onda do mau, cujo agente é Satanás; e, ganha aquele que se deixa levar pela onda do bem, liberada por Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 16 de abril de 2013

Mundo corrompido e condenado


Tenho pensado nestes dias de sombras escuras em que vivemos... Dias em que cenas se misturam e as coisas se confundem aos nossos olhos. Não há como um cristão de verdade não se preocupar com estes dias; em que muitos legisladores, magistrados e governantes - movidos pelo que afirmam ser defesa de minorias - mudam leis basilares e violam abertamente a constituição equilibrada que já garante os direitos fundamentais de cada um. E assim, a pretexto de defender os desvalidos, desprezam e constrangem os que desejam viver e trabalhar honestamente, pelos seus filhos e netos. Já existem até países que, infectados pelo germe da intolerância, toleram o assassínio de cristãos por motivos religiosos. Realmente... Vivemos dias de anarquia.
 
E por aqui, os crentes em Cristo já estão sendo apontados pelos mais atrevidos, como causadores do desrespeito aos direitos de alguns; e até mesmo pelas injustiças praticadas por aí. E, além de tudo, algumas lideranças cristãs tentam nos convencer de que o fato de termos alguns cristãos no Congresso Nacional será capaz de nos garantir o que tentam nos subtrair... Mas, e a função de "sal & luz" que os tais representantes evangélicos precisam exercer, como fica? Como já tenho afirmado: Não sou juiz de ninguém; nem mesmo de mim. No entanto, a leviandade de alguns aflige o nosso senso de justiça. É como se vivêssemos nos tempos do senado e do império romano... Sorte não termos ainda o Coliseu! Serão estes os dias maus descritos na Bíblia?
 
A Palavra de Deus sempre nos alertou quanto ao fato de que "todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições." (II Tim. 3.12). Na verdade, precisamos compreender muito bem o propósito de Deus; para então entender este tempo em que vivemos... Para não sermos vítimas de seus ardis e de sua loucura. No entanto, temos a nosso favor o testemunho das Escrituras Sagradas; que nos encorajam, declarando que "em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou." (Rom. 8.37). Deste modo, se procurarmos nos fortalecer em Deus - evitando amizade com este mundo corrompido e condenado - conseguiremos suportar as aflições do mundo e as afrontas daqueles que nos odeiam. Glória a Deus para sempre!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Orar é a melhor atitude


Amado Pai; nesta manhã venho com alguma dificuldade ao lugar de oração. O problema é que minha alma, alegando cansaço e indisposição, tenta transferir para uma outra hora a necessidade que sinto de buscar Tua face. No entanto, aprendi que o importante não é o modo como chegamos ao lugar de oração e de comunhão Contigo - se cansados ou abatidos - pois, o que importa mesmo é a nossa chegada e permanência no lugar de oração; sem nos deixarmos levar por alegações contrárias.
 
Ó Pai... Se todo o crente soubesse como é importante Te buscar, certamente que o lugar de oração seria muito mais freqüentado; e o número dos crentes que enfraquecem e caem seria bem menor. Eu estou plenamente convencido de que a diferença entre a vitória e o fracasso ou a queda e elevação, depende da nossa atitude para com a oração. Creio que muitas famílias seriam poupadas do infortúnio em que vivem, se os seus integrantes orassem um pouco mais; pois, orar é a melhor das atitudes!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 14 de abril de 2013

Conceitos equivocados

 
Nesta manhã, após ter estado com o Pai, no lugar de oração, fiquei a refletir sobre a necessidade de tomarmos medidas em Deus, que nos preservem neste mundo mau. É notório que muitos cristãos já não conseguem fazer distinção entre a verdade e o engano; e que, em nome da diversão e liberdade, muitos estão se perdendo sem se dar conta disso. E esta tendência tem como aliados, profetas vendidos e mestres desinformados; os quais estão apregoando textos bíblicos com veemência; porém... Interpretados com motivação leviana e distorcida.
 
E assim, interpretações de exegese tendenciosa acabam por introduzir entre os crentes, conceitos equivocados sobre riqueza, relacionamento, liberdade e diversão. É fato que tais atitudes insanas terão a justa retribuição de Deus - Mentor das Escrituras e Autor da fé. No entanto, até que o justo juízo de Deus se manifeste, muitos serão enganados e confundidos; se perdendo enquanto se revolvem no lodo de uma riqueza, liberdade e diversão que nada têm em comum com as promessas ligadas à vida de santidade e submissão ao Deus amoroso e justo.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 13 de abril de 2013

Peregrinação concorrida


Nesta manhã; enquanto eu me preparava para orar, ouvi a voz de Deus e temi. É que o Espírito me alertou dizendo que nesta vida existem problemas que - quando não puderem ser resolvidos do modo como desejamos - a oração nos ajudará a conviver com eles. Meu Deus, como me confortou ouvir esta voz! Então, fortalecido pela palavra que recebi do Senhor; me debrucei para orar, do modo como sempre faço: Prostrado no lugar de oração, em posição de humilhação e entrega. E ali, a minha preocupação já não era com os problemas que tenho ou que venha a ter; e sim, em aprender o modo como devo lidar com eles.
 
E prostrado, sem ter ainda percebido que a palavra que ouvi era a "frase do dia"; iniciei minha busca por excelência (buscar a face do Senhor é buscar excelência na vida). E enquanto eu orava, aprendi que minha jornada é uma peregrinação concorrida; e que nela, não há como impedir que caminhem ao meu lado amigos e adversários, afagos e aflições, alegrias e angústias, prêmios e prisões... Enfim, uma mistura de pessoas e coisas - favoráveis e contrárias - das quais não posso me desvencilhar, pois fazem parte da minha peregrinação; em meio às quais, devo me manter no lugar de oração; aprendendo a lidar com elas.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Vale da mágoa


Em uma dessas manhãs, enquanto eu orava; também buscava o socorro de Deus para lidar com os sentimentos. Gente, não é fácil lidar com a emoção! Especialmente, quando nos sentimos traídos ou simplesmente rejeitados por alguém. No entanto, sentimentos assim fazem parte do cotidiano da vida de qualquer pessoa; mesmo daquelas que, como eu, julgam não ter inimigos. As vezes, penso que Deus precisa nos provar nesta área; por isso - quando não existem inimigos à mão - Ele pode permitir que amigos chegados sejam o instrumento de provação.
 
Todavia, tenho procurado fortalecer minhas defesas espirituais; pois sei o quão necessário é estar preparado para vencer os combates travados dentro de mim. E faço isso, pois não é de hoje que tenho notado; que a jornada de um homem - seja ele um homem de Deus ou não - passa por um caminho que intercala os vales mais diversos: Ora, ele passa pelo vale escuro; ora, pelo vale iluminado; e, muitas vezes, pelo vale da mágoa e da frustração. No entanto, já assentei em meu frágil coração que, em nome de Jesus, não morrerei no vale da mágoa!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Visita à IMW do Altocoramara

Fachada do templo, faltando ainda alguns detalhes

Na manhã de segunda-feira - estando eu ainda em Cachoeiro de Itapemirim - após ter saído do meu lugar de oração estendido no quarto de Hotel onde eu me hospedara; fiquei a recordar o culto da noite anterior, na 3ª IMW de Cachoeiro; também conhecida como "IMW do Alto Coramara". Tive o prazer de pregar para a multidão que se acotovelava no grande templo desta igreja, marcado por um agir sobrenatural de Deus. Creio que, enquanto pregávamos, houve cura e libertação de vidas naquele lugar de adoração e de louvor a Deus!
 
O templo amplo e sempre lotado 
 
O Pastor Aberenias está completando nesta semana 50 anos de idade. E este evento foi motivo para almoçarmos juntos em sua casa. Deise, sua esposa, surpreendeu-nos com um almoço que daria para o dobro das pessoas à mesa; incluindo o SD Pastor Jorge Camargo, Joadir Souza Junior (meu condutor de Guarapari até Cachoeiro) e o Andres e sua esposa, da IMW de Nova Venécia. Em todo o tempo, a conversa girou em torno de sonhos e revelações. Vejo unção de Deus no minis´terio do Pastor Berê, como ele é conhecido.
 
O Pastor Berê orando por mim antes da mensagem
 
Enquanto conversávamos, reportei-me ao passado - Ano de 1970 - quando visitei e preguei na então IMW de Biquinha - zona rural de Cachoeiro - onde estive em um final de semana com o hoje Bispo Oséias. Ali, em meio a criação circulante no terreiro do sítio, fiquei conversando sem pressa com o saudoso Presbítero Ribeiro e sua esposa Lucy. Seu neto Aberenias Fontoura - hoje pastor - filho de Dileiga, tinha sete anos de idade. Então, louvei a Deus por esta querida família; que ao longo dos anos vem servindo a Deus com dedicação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 9 de abril de 2013

Dívida impagável


Na semana passada - estando em Xerém - fiz esta oração: Pai de amor; nesta manhã, o Teu Espírito me traz perante a Tua face; para buscar graça e direção para a vida que me tens concedido viver neste mundo. Sei muito bem que sou um devedor; no entanto, não me sinto assustado ou incomodado com esta dívida gigantesca e impagável... Pois, em minha condição de devedor ao Senhor e aos homens, sinto-me privilegiado por ter aprendido que esta dívida não é para ser paga integralmente; e sim, amortizada à medida em que os dias forem passando.
 
Portanto, querido Pai de amor; vou continuar amortizando a minha dívida impagável em meu dia-a-dia, sem medo de amar ao meu Deus e ao meu próximo; ainda que em algumas ocasiões - frente às injustiças sofridas por parte do meu próximo - os meus sentimentos e instintos tentem me convencer de que não vale a pena ser compassivo e amoroso com quem procura o meu mal. Todavia, sei que devo amar... Até porque, ao final de tudo, o Senhor saberá compensar toda a injustiça sofrida neste mundo; por amor do Teu santo e bendito Nome. Aleluia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Conformismo de Ló

 

Alguns dias atrás, em Jequié, onde eu me encontrava hospedado em um hotel; após ter orado e tomado o meu café da manhã, comecei a refletir sobre a necessidade de mantermos sempre a cadência da nossa caminhada com o Senhor. Na verdade - embora tenhamos tudo o que é necessário - nada aqui é realmente nosso. Fui levado a pensar em Abraão, homem verdadeiramente despojado; que se dispôs a seguir os passos do Senhor, sem jamais ter dado a impressão de se ter arrependido da decisão que tomara.
 
Gosto de pensar em Abraão saindo pela porta da frente de sua casa; para encetar um caminho sem volta. Tornou-se dono de tanta coisa; mas sempre dando a impressão de nada possuir. Esteve por muito tempo em sua terra de direito; mas, precisou pagar por um pedacinho dela para a sepultura de sua esposa. Abraão... Um homem que parecia não ter destino certo; pois, abriu mão de escolher um caminho mapeado e definido. Mas era só aparência! Porque, ele sabia de onde tinha saído e onde pretendia chegar!
 
Abraão, o Pai da Fé! Exemplo de vida referido por Jesus e imitado por Paulo. Como seria bom, se os crentes em nossos dias pudessem imitar tamanho exemplo de fé e de desprendimento! No entanto, muitos apenas enfatizam sua fé; pois a maioria dos que crêem com Abraão, continuam vivendo o conformismo de Ló. Seria mesmo bom se os crentes imitassem Abraão; mas... Seria ainda melhor se os "pais da fé" dos dias modernos - que se auto-proclamam apóstolos e profetas - imitassem o verdadeiro Pai da Fé!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 7 de abril de 2013

Nas mãos de Deus

Maria Célia e sua mãe Delza

Minha querida sogra - Delza Lima Araújo - viveu instantes considerados terminais por aqueles que estão à sua volta, profissionais da saúde inclusive. Estive com ela no domingo passado, em meio à assistência médica que vem recebendo; sentindo nas profundezas do ser o quanto ela vinha sofrendo devido ao progressivo quadro de infecção que ja começou a ceder. Célia e eu cremos no cuidado e na provisão de Deus; mas também entendemos o curso da duração da vida; que tem um começo, um meio e um fim. Portanto, tudo está nas mãos de Deus!
 
A Bíblia nos ensina que um dos pilares da nossa crença em Deus é aquele que sustenta a nossa confissão de fé em Deus Pai, que enviou o Seu Filho Jesus Cristo para dar Sua vida por nós na cruz, redimindo para sempre a nossa alma; e, nos concedeu o dom de sermos salvos pela graça, mediante a fé no nome do Filho de Deus; dando meios de percorrermos o Caminho da Vida, mediante a direção do Seu Espírito Santo. E eu posso testemunhar que a irmã Delza tem vivido em função desta experiência. Louvamos a Deus por sua vida e testemunho!
 
Em casos como este, não sabemos como será o dia de amanhã. Na verdade, Deus não nos revela as situações do dia seguinte, salvo em casos muito especiais; até mesmo para nos preservar e nos ensinar a viver o dia de hoje. Na Palavra está escrito: "Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal." (Mateus 6.34). O importante é estarmos preparados para a partida daqueles que amamos; mesmo sabendo que o Deus todo poderoso pode nos abençoar com o milagre da cura.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 6 de abril de 2013

Pastores por excelência


Dias atrás, em minha devocional, comecei a refletir sobre o ministério pastoral. Não sei se é mesmo assim; mas, sempre considerei o ministério pastoral como o mais importante dos ministérios. E que fique bem claro; que estou me referindo ao pastorado puro e simples; aquele exercido por homens conscientes do seu dever de cuidar das ovelhas e que não vivem a se "esconder" do seu rebanho. Sempre considerei e valorizei os pastores por excelência; me refiro aos servos de Deus que vivem o dia-a-dia do rebanho que lhes foi confiado pelo Senhor. Isso mesmo! Aqueles que conhecem suas ovelhas pelo nome e sabem onde moram.
 
Enquanto eu refletia sobre isso, não pude deixar de pensar em Caim - uma espécie de pastor assassino - que trazia uma arma consigo, enquanto cuidava do seu irmão Abel. Pensei também em Davi - um pastor consagrado e apascentador - que trazia uma harpa afinada e tangida, enquanto cuidava das ovelhas. E como não pensar em Jesus - o único que a Bíblia intitula de Bom Pastor - que deu a sua própria vida pelas ovelhas? E foi Ele mesmo que exortou a Pedro: "Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas." (João 21.16).
 
Mas existem pastores que vivem perdendo ovelhas... Ou devido a maus tratos que lhes infligem; ou, devido ao seu desprezo pelas mesmas; ou então, por alguma cumplicidade com os lobos. Sei que só existe um pastor perfeito: Jesus! No entanto, sei de pastores amorosos e dedicados (sempre desejei ser um deles). Mas, o que dizer dos pastores que tentam se eximir de sua culpa pelas ovelhas que "mataram"? Creio que Caim é o "pai" de obreiros que agem assim; pois, omitiu-se de ser o guardador do seu irmão. "E disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão?" (Gen. 4.9).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 5 de abril de 2013

A Verdade me libertou

 

Estive a dias atrás no lugar de oração, procurando por respostas que jamais encontrarei neste mundo. É que, já faz muito tempo, eu aprendi que este é o mundo das perguntas. Portanto, aquilo que estou desejando conhecer, não encontrarei olhando pelas janelas deste mundo; ou perguntando pelas esquinas desta vida. Creio em Tua Palavra, Pai! E ela me assegura que a Verdade me libertou! E, isto seria suficiente ao meu deleite, caso eu não habitasse em um envólucro de carne; concebido em pecado e suscetível de doença, conflitos e desgaste. E assim, por ainda possuir um corpo físico, preciso de meios para continuar vivendo enquanto humano.
 
Então, querido Pai, preciso estar sempre em oração; buscando com freqüência a Tua face defronte à janela da eternidade, para obter as respostas sobre mim mesmo, sobre a vida presente e a vida futura. Não me lembro muito bem quando aprendi; mas, sei que muitas perguntas vagueiam no tempo e no espaço, sem respostas que lhes façam companhia. E isso porque as respostas correspondentes estão todas em um envólucro luminoso - flutuando além da visão e da razão humana - cujo nome é "Verdade". Então, decidi ser mais um prisioneiro da verdade; dominado pela certeza de que não há meios de conhecê-la sem buscá-la em Jesus, a Vida Eterna.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Mente e natureza

 
Hoje me puz a pensar na mente e na natureza humana... E posso afirmar que não é uma reflexão simples. No entanto, tenho uma grande ajuda da Bíblia. E a Palavra de Deus revela dois tipos de mente e dois tipos de natureza: 1. Existe a mente condicionada e dirigida por conceitos e reflexões evolutivas; e existe também a mente dominada por surtos e transtornos, temporários ou permanentes. 2. Existe a natureza humana "in natura" - não renascida - que traz consigo a herança de Adão, resultante de sua queda no Éden; e também existe a natureza recriada - mediante o novo nascimento - que traz a herança transmitida por Jesus, resultante de sua morte na Cruz. E isto que digo é tão real como o ar que respiramos e a água que bebemos.
 
Ocorre que quando um homem é direcionado pelos transtornos da mente, ele pode se tornar um perigo até para os seus familiares; pois, em um surto, pode ferir e matar - mesmo alguém que ama - sem se dar conta disso. No entanto, o homem condicionado por uma mente brilhante convivendo com uma natureza caída, representa uma ameaça muito maior; pois, quando dominado por egoismo e ganância, suas ações serão frias e premeditadas, visando unicamente seus interesses. E assim, quando em poder e evidência, pode matar sorrindo; pode devastar uma floresta inteira; pode degradar uma cidade ou nação; pode roubar e ainda ser aclamado como herói... Enfim, pode destruir aos poucos a humanidade inteira, caso Deus não interfira.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 2 de abril de 2013

Distrito de Visc. Rio Branco

 
Visitando o Distrito de Visconde do Rio Branco
 
Na sexta-feira passada tive o grande prazer de participar do culto na IMW de Guidoval. Maria Célia não pode ir comigo; por estar dando assistência constante, no hospital, à sua querida mãe e minha querida sogra Delza, devido ao AVC por ela sofrido. Mesmo saindo com algum atraso, o Senhor me permitiu chegar pouco antes das 19 horas. Enquanto aguardávamos o início do culto, próximo à porta de entrada do templo, ficamos observando a bela reforma empreendida no mesmo; a qual lhe deu um agradável estilo. Logo em seguida, nos alegramos com a chegada do SD do Distrito de Visconde do Rio Branco: Pastor Iankee Berget; com quem entramos no templo.

Pastor Marcelo e Verônica no templo de Guidoval

O culto foi maravilhoso e bem concorrido! E após termos participado do culto, fomos jantar com o Pastor Marcelo Dias e sua esposa Verônica; participando também do jantar o Aspirante Celso e esposa. Em seguida, fomos dormir na casa do Pastor Iankee. De manhã, depois de saborearmos um café especial, com os obreiros do Distrito - preparado pelos irmãos da 2ª IMW de Visconde do Rio Branco - tivemos uma reunião com os obreiros. Depois de um abençoado louvor, preguei sobre Ministério. Foi maravilhoso o modo como Deus agiu em nosso meio! Em seguida, fomos ver os planos de ampliação do templo da 1ª IMW de Visconde do Rio Branco.

Ministrando aos pastores do Distrito de Guidoval
 
Após a reunião de obreiros, fomos almoçar em casa do Presbítero Levi; encontrando alguns de seus familiares em volta de uma mesa com os ingredientes de um abençoado almoço. Conversamos bastante, durante e após o almoço. Em seguida, saímos para ver o novo salão de Cultos na cidade de Tocantins de Minas, ali perto; onde já estava a nossa espera o casal de obreiros: Pedro e Lucimara. Logo depois, fomos conhecer o templo da congregação da igreja de Guidoval. De lá, fomos à Cataguases, onde nos esperava o Pastor Fabiano Belmiro de Souza, família e alguns irmãos. E após esta visita, partimos outra vez, em uma nova viagem.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Orando em favor da obra


Na madrugada do dia em que estivemos em Lapão; na casa do Pastor Marcelo Moraes e sua esposa Valdirene, onde eu e o Pastor José Barbosa ficamos hospedados; fui levado pelo Espírito de Deus a orar mais cedo. Enquanto eu intercedia por minha família; por meus companheiros no CG e no CMR; e também por aqueles obreiros que ainda não conseguiram cumprir o propósito de Deus em sua vida e ministério. E enquanto eu orava, o Senhor me fez entender a razão desta viagem que fiz às IMW do sudoeste baiano e da Chapada Diamantina.
 
Nos dias anteriores, pude constatar o resultado de medidas de oração em favor da IMW de Vitória da Conquista; também percebi o quanto evoluiu a IMW de Barra da Estiva; e ontem eu pude ver o que Deus está fazendo na IMW de Lapão, como resultado das últimas decisões do XVI Concílio Regional. Como nos faz bem ver o agir de Deus em meio às orações feitas e aos esforços daqueles que são por Ele enviados para cuidar de Suas ovelhas espalhadas por tantos lugares, de norte a sul desta nação; cujo povo as vezes é tão maltratado.
 
Em pleno culto na IMW do Lapão, eu senti o quanto preciso estar sintonizado com o Pai; ouvindo Sua voz e sentindo o Seu mover em minha vida. E ali, no púlpito desta importante igreja, lamentei que os homens que Deus usou para a edificação deste trabalho, não tenham sabido lidar com os efeitos de uma transição que o próprio Deus promove. Que o Senhor os abençoe onde se encontram, juntamente com os seus familiares. Mas, louvei a Deus por aqueles que permanecem em seus postos, enquanto os homens vão e vem. Deus é fiel!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari