quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Oremos pelos pastores


Nesta manhã, de joelhos no lugar de oração, senti forte unção para adorar o Deus eterno. E, a medida em que esta unção me envolveu, lamentei não ser o homem de oração que eu gostaria de ser... Mas, sei que o Senhor está comigo. Então, intercedi: Por minha família e por meus companheiros no ministério; também pelos membros da 2ª Região. Então, ao orar pelos pastores que foram transferidos, o meu espírito gemeu; pois o Espírito me fez lembrar e me levou a orar por dois tipos de pastores:
 
Orei pelos pastores que não souberam tratar a sua igreja anterior; da qual saíram, após terem-na corrompido e maltratado (o tipo de "ministério" que martiriza e empobrece uma igreja). E então, apreensivo pelo que possam fazer com sua nova igreja - tão necessitada de um pastor amoroso e espiritual - pedi ao Pai que os ensine a tratar o seu rebanho como tratam sua família; aí pensei: "talvez não tratem bem sua própria família". Então, pedi ao Pai que faça deles um pastor segundo o coração de Jesus.
 
Orei também por pastores que deixaram atrás de si uma igreja feliz e abençoada por seu ministério; e que, agora, não conseguem se desprender daquilo que ficou para trás. É como se tivessem sido apanhados na armadilha do sentimento - se deixando prender pelo trabalho anterior - sem entender que Deus os chamou à um novo tempo e um novo desafio, para cuidar de uma nova igreja. Estes sofrem muito; pois, têm uma história; mas... Não conseguem seguir em frente. E, com isso, o seu ministério fica comprometido.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Homem e mulher

 
Alguns dias atrás, ouvi de uma irmã em Cristo um incomum desabafo relacionado com o fato de ser mulher, mãe e esposa. Então, a partir daí, discorreu sobre os conflitos existentes em sua alma feminina - concernente ao trabalho, família e igreja - externando os sentimentos resultantes desses conflitos. Sentindo-me na obrigação de tentar ajudar esta querida irmã, procurei lhe mostrar que não é nada fácil para um homem, entender e interpretar plenamente os conflitos existentes no coração de uma mulher.
 
Mas minha visão diferencialista do ser humano, me deu os meios para orientar; pois sou daqueles que acreditam que homem e mulher - mesmo sendo iguais em espírito - desempenham papeis diferentes entre si, devido a natureza peculiar que receberam de Deus. E assim, convicto que sou quanto as diferenças existentes entre os gêneros, pude lhe dizer que a mulher é um ser especial; criado por Deus para ser a melhor companhia para o homem que - no alvorecer da criação - sentia-se só, mesmo tendo Deus consigo.
 
Deste modo, segundo as Escrituras Sagradas, homem e mulher foram criados por Deus para se unirem um ao outro através do santo matrimônio. Ao longo dos anos, tenho percebido que quando esta relação se consuma segundo a vontade de Deus, deixa de haver solidão para ambos - homem e mulher - pois o Deus eterno lhes deu a missão de se completarem um ao outro. E quando ambos entendem e praticam os princípios desta união segundo Deus; um consegue transmitir apoio, prazer e descanso ao outro.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Segredos do coração


Amado Pai celestial; nesta manhã venho me prostrar no lugar de oração; para - em plena rendição - buscar Tua presença e abrir o meu coração ao Teu Espírito. E sou grato a Ti por não haver nele compartimentos fechados; e, mesmo que haja algum sem que eu saiba, sei que nada se oculta aos Teus olhos e que qualquer tentativa de encobrir algo não resultará; pois Tu é o Deus eterno que conhece todas as coisas. Te sigo a tempo suficiente para saber que tu sabes os segredos mais bem guardados do coração.
 
Eu sei - e não é de hoje - que conheces até mesmo segredos guardados ao longo do tempo; alguns a tanto tempo, que nos esquecemos. Creio ter sido por isso que Teu servo Davi orou assim: "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno" (Sal. 139.23-24). Posso afirmar que esta oração do salmista expressa o meu sentimento.
 
Querido Pai; estou convencido de que estar em Tua presença só é possível porque Jesus me proporcionou este direito, quando deu Sua Vida por minha vida. Pela graça, pude entrar pela porta estreita - de lenho tosco - sem parecer nem formosura. Estreita, sim, mas não a ponto de me impedir, um pecador cansado e aflito, de adentrá-la. E agora, pela fé, percorro o caminho que me levará ao portal eterno - dourado e resplandecente - pois; passei pela Porta da Vida, indo em direção ao Portal da Glória!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O pastor e a ovelha


Nesta manhã, meus pensamentos se voltaram para a igreja - não a igreja-templo ou igreja-denominação; estou me referindo àquela que é constituída de pessoas como você e eu; gente que se reúne "no templo e nas casas", ligada ao Corpo de Cristo, procurando conhecer a vontade de Deus e cumprir o Seu propósito. Sim; pensei na igreja que se move, respira e transpira. Na igreja que é - ao mesmo tempo - indivíduo e comunidade. Na igreja que, como tal, deve ser amada e cuidada pelo seu pastor.
 
E assim pensando, me voltei para estes dois elementos físicos sempre presentes em seu dia-a-dia: O Pastor e a Ovelha; ambos convivendo na "sala do banquete" e na fronteira entre a terra e o céu; pois, segundo a Bíblia, aquele que se tornou filho de Deus deixou de estar no mundo; todavia... Ainda não está no céu; daí o termo fronteira. É verdade; pensei neste relacionamento. Então me convenci do quanto o Pastor precisa ser mais pastor e a Ovelha precisa ser mais ovelha. Se assim for, tudo irá muito bem!
 
Portanto, enquanto assistirmos a pastores querendo ser usuários e dominadores do rebanho; e ovelhas querendo sentir-se livres para ir aonde quiserem - cada um agindo por sua própria conta e risco - Jesus não será Senhor de direito e de fato desse pastor ou dessa ovelha. Digo isso, porque sei que um pastor autêntico se dedica a amar e servir as ovelhas com o mesmo amor com que Cristo as amou - e a ovelha autêntica amando e obedecendo ao seu pastor - algo difícil mas não impossível de se praticar.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 27 de janeiro de 2013

Nossa maior luta


Pai; hoje senti necessidade de mudar o ponto do meu lugar de oração, para que eu pudesse estar em Tua presença. E assim, pude - em um outro ponto mais favorável - desfrutar do conforto que o lugar de oração me oferece. E aproveito a oração desta manhã, amado Pai, para trazer diante de Ti a minha luta comigo mesmo. É verdade, meu Senhor: Erramos ao pensar que a nossa maior luta é contra alguém que nos aflige ou contra o demônio que tenta nos devorar; pois, enquanto isso, não percebemos que a nossa maior luta é contra o nosso próprio "eu", sempre tentando se impor sobre a Tua vontade.
 
Portanto, querido Pai, não posso permitir que minha emoção e minha razão se imponham sobre minha espiritualidade. Sei muito bem que o invólucro que me contém - que Tua palavra chama de "carne" - é temporário e não vai me prender para sempre. E como eu Te louvo por isso! Sei também que os dois pesos que carrego, atados aos meus pés - que eu chamo de "comodismo" e "incredulidade" - mesmo dificultando a minha caminhada, não me impedirão de prosseguir no Caminho da Vida; pois tenho Tua presença comigo em todo o percurso, mesmo quando esta presença parece ausente.
 
E assim, querido Pai, vou continuar minha caminhada em direção à Vida; mesmo ouvindo por vezes o barulho feito por "comodismo & incredulidade", tentando chamar a minha atenção. Todavia, não me deixarei influenciar! Vou tentar agir e andar, como compôs e cantou o teu filho Kleber Lucas: "Eu vou seguir com fé! Com meu Deus eu vou para a rocha mais alta que eu. Eu sei pra onde vou; como aguia, vou nas alturas, sou filho de Deus"! E vou seguir o conselho de tua filha Bruna Carla: "Quando eu chorar, vou me lembrar que até aqui tua mão me sustentou". Sei que estou seguro em teus braços, bendito Pai!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 26 de janeiro de 2013

Apascentai o rebanho de Deus

 

Alguns dias atrás, após passar algum tempo em oração, fiquei a pensar na igreja local... Então, meu espírito se voltou para uma prática muito comum de se ver nos dias de hoje - baseada não sei em que princípio - presente em muitas igrejas das mais diversas denominações, inclusive a nossa: Eu me refiro a um controle quase absoluto que certos pastores procuram ter sobre os membros que pastoreiam; chegando, em alguns casos, ao ponto de procurarem controlar detalhes mínimos de suas vidas.
 
Pois é... Tenho percebido que este tipo de ministério é dominador; um tipo perigoso de liderança pastoral. E os que são pastoreados por pastores com esta índole, mal têm espaço para respirar, de tão monitorados que são. No entanto, ao que me parece, o que este tipo de obreiro insiste em desconsiderar é que ninguém pode dominar a Igreja do Senhor, sob pena de ver o Espírito Santo dela se retirar.
 
Uma outra coisa que aqueles que optam por este tipo de ministério parecem ignorar; é que o pastorado tem como essência da sua missão: Servir humildemente ao seu próximo e  dar cobertura espiritual às ovelhas. Portanto, todo aquele que opta por este tipo de liderança dominadora; ficará sozinho, a medida em que o tempo for passando. E o que digo - longe de ser opinião - é uma triste constatação.
 
Ao pensar neste tão importante assunto, o Espírito de Deus me fez lembrar do seguinte texto das Escrituras Sagradas:
 
"Apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele; não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória."
(1 Pedro 5.2-4).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Entre luzes e sombras

 

Meu Pai; prostrado no lugar de oração, consigo perceber toda a fragilidade do meu ser. Meus erros e fracassos - camuflados em meio a agitação de um dia de trabalho - ficam patentes quando estou em tua presença. Pois é, querido Pai... Não há como esconder de ti minha pequenez; nem de escondê-la de mim mesmo, quando estou a teus pés; pois, à semelhança de Jó - quando ouvia Tua voz - quando contemplo a Tua grandeza, também contemplo a minha pequenez. E sou grato a ti, ó Pai, por entender isso!
 
Então, enquanto oro por mim mesmo; buscando em Ti a força que preciso ter para enfrentar o dia que vai em breve alvorecer, fica em mim  impressão de que a noite é ainda mais perigosa do que o dia; pois... A noite traz consigo um manto de camuflagem, capaz de confundir os olhos da pessoa mais experiente. E seu disfarce é tão eficaz; que até as mais gritantes diferenças acabam por se tornar semelhantes entre si.
 
Todavia, enquanto eu oro por meus familiares - seus conflitos e suas necessidades - e, também, por meus irmãos no Reino, suas crises e desafios... Me dou conta de que sou alguém que continua caminhando sempre - entre luzes e sombras - as vezes com vontade de parar um pouco para repousar; mas, ciente de que devo prosseguir; pois, por mais árdua que seja a jornada, devo ir em frente... Olhando para Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Segurança até o fim


Geralmente, não há um dia em que eu não agradeça a Deus por Seu cuidado para comigo e minha família. Já vão longe os dias em que eu costumava lamentar por algo que me ocorria e com o qual eu não concordava. Acredito que seja esta a atitude da grande maioria dos cristãos. O curioso é que eu sempre li este texto nas Escrituras: "Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco" (I Tes. 5.18). No entanto, eu dava graças por algumas coisas; mas, por outras não.
 
No entanto, tenho aprendido que o cuidado de Deus não se revela apenas nas coisas que apreciamos. Antes, pelo contrário, Deus é capaz de fazer ou permitir algo que nos aflige por algum tempo, tão somente para que sejamos preservados no futuro. É por isso que Paulo testemunha, dizendo: "E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho" (Fil. 1.12). Portanto, é importante procurar entender o propósito de Deus até em algo que nos aflige.
 
Pois é... Precisamos entender que o propósito de Deus é nos conduzir em segurança até o fim; mesmo que tenhamos que ser provados "pelo fogo ou pela água". Afinal de contas - quando trata conosco - Deus leva em consideração a eternidade. É por isso que ele nos diz: "Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti" (Isaías 43.2). O que Ele quer é que cheguemos ao fim em perfeitas condições.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Orando para sobreviver


 
Neste manhã, Enquanto eu estava orando ao Pai, percebi com clareza o quanto eu dependo da oração para sobreviver. Senti em meu íntimo que não se trata de cumprir um procedimento religioso e rotineiro. Não mesmo! Não é algo como cantar um cântico ou repetir frases decoradas - como mantras aprendidos em uma religião qualquer - para "entrar no clima". O Espírito me fez sentir que vai muito além de qualquer formalidade religiosa ou devoção extemporânea. É mesmo falar com Deus!
 
E assim, prostrado no lugar de oração, pude entender que quando somos envolvidos em uma atmosfera de oração; é como se estivéssemos navegando por mares nunca antes imaginados. É algo como se o mar da eternidade estivesse a nosso dispor. E o barco? Ah... O nosso barco não carece de remos, velas ou quilha; pois o Deus eterno o faz flutuar e navegar no campo da imaginação e com a velocidade do pensamento. Imagens e sons fluem no abstrato; todavia, tão reais que podem ser tocados pela fé.
 
Enquanto eu orava, pude sentir em meu íntimo que uma vida em oração não sofre efeitos colaterais que não estejam sob o controle de Deus. E pude entender que a oração não tem contra-indicações; pois, ela - quando feita no Espírito e em nome de Jesus - nos coloca tão próximos do Pai, que toda a situação indesejável se evapora; permanecendo apenas as situações que anelamos sentir e viver e aquelas situações que não nos agradam; mas que, para ensino nosso,  Deus quer que permaneçam conosco por um tempo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Família e gênero

 Nesta madrugada, enquanto eu estava em oração, me veio uma espécie de quadro dos últimos dias... Algo preocupante e capaz de abreviar o fim. Enquanto eu orava, Percebi claramente a existência de uma ação movida por Lúcifer para subverter de uma vez por todas os valores espirituais e morais do ser humano. E os seus ataques são sistematicamente desferidos propositalmente contra valores tradicionais consagrados na conduta humana, nos moldes do propósito de Deus na criação: Família e gênero.
 
Realmente, a família - considerada "célula mater" da sociedade organizada - é também responsável pela perpetuação da espécie; e tem sofrido duros golpes que vem fragilizando sua originalidade. As separações e divórcios, por motivos fúteis e banais, aumentam a cada dia que passa; afetando até mesmo os meios evangélicos mais conservadores. E o que mais me preocupa são as estatísticas cristãs - já comuns - sobre terceiro e até quarto casamento... E isso acontecendo até mesmo entre ministros de Deus.
 
E a distorção do gênero - algo trágico a meu ver - é mais preocupante ainda. Se examinarmos o vernáculo, veremos que gênero, em sua forma comum, é a categoria que classifica os nomes em masculino, feminino e neutro. No entanto, quando se trata de definir sua natureza, o gênero humano é determinado pelo sexo - enquanto função reprodutora - sendo classificado como macho e fêmea. Portanto, quando se trata de definir o indivíduo; esta definição é claramente definida em dois gêneros.
 
No entanto, cresce uma tentativa perigosa de uma minoria que, a pretexto de defender os seus direitos e escolhas; procura também impô-los sobre aqueles que pensam diferente de si. E assim, cresce o clamor em defesa de projetos de lei nitidamente preconceituosos; que conflitam com princípios milenares consagrados por leis em vigor que garantem os direitos individuais e a igualdade de todos. E assim, o que se vê não é somente a tentativa desta minoria - de serem respeitadas por leis que já garantem os seus direitos e obrigações - mas, a sua obstinação em se sobrepor aos demais segmentos sociais e humanos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Oásis ocultos


Senhor; nesta manhã em que me prostro no lugar de oração, venho trazer a minha vida para ser revestida de graça e unção. É que eu me sinto como se caminhasse em um longo e misterioso deserto. Deserto cujo dia é muito quente e a noite muito fria. Deserto, cujas areias e dunas escondem perigos e mistérios que representam ameaça real para um peregrino como eu. Até porque, este é um deserto cheio de miragens que confundem e desencaminham aqueles que viajam sem proteção e direção. Preciso de Ti!
 
Preciso de Tua presença comigo; pois, somente assim conseguirei me desviar dos perigos ocultos; e poderei encontrar os oásis ocultos que este deserto mantém camuflados entre as dunas, para abri-los tão somente àqueles que te buscam e desfrutam de tua direção. Por isso estou aqui, clamando por Ti, prostrado no lugar de oração; pois, estou ciente de que somente buscando a Tua face conseguirei encontrar este precioso tesouro. Não quero caminhar por mim mesmo, sem que Tua mão me conduza!
 
Senhor; enquanto caminho - as vezes cansado, as vezes assustado com tudo aquilo que vejo - ajuda-me a manter os meus passos cadenciados pelo compasso da Tua soberana vontade. Ajuda-me também a conduzir comigo a minha família e rebanho - assim como Moisé conduziu o Teu povo pelo deserto do Sinai - não na força de minha voz de comando; mas no meu exemplo de vida vivida Contigo. Eu bem sei que não tenho nada em mim mesmo que seja confiável; pois somente em Ti tenho rumo e destino.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 20 de janeiro de 2013

Enorme coração


Estou me sentindo como se fosse um enorme coração - pulsando de gratidão a Deus - com batidas cadenciadas de louvor e adoração ao Senhor, por tudo aquilo que experimentei ao longo do ano que se findou. Posso testemunhar que 2012 foi um ano abençoado, tanto no lar como na igreja. Enquanto lido com este sentimento, fico a pensar naquelas famílias que não conseguem entender o valor da comunhão conjugal mesclada com a comunhão fraternal no contexto do lar. É pena, quando pessoas de uma mesma família - especialmente marido e esposa - não conseguem chegar ao nível ideal de Deus para um lar.
 
E quando me refiro ao nível ideal de Deus; não estou me referindo a algo sobrenatural; mas, estou me referindo ao amor transformado em amizade e companheirismo. Aquele tipo de relacionamento, em que duas pessoas seguem juntas pela vida afora; compartilhando alegrias e tristezas, segredos e emoções; procurando viver cada dia no Senhor. No entanto, percebo que alguns sentimentos antagônicos são entraves a este tipo de relacionamento; tais como: Indiferença, egoismo, arrogância, intolerância, melancolia... E outros afins. E digo mais: Estes sentimentos estão definidos em qualquer dicionário.
 
No entanto, o nível ideal de Deus propõe que vivamos intensamente o fruto do Espírito, composto de: "Amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gál 5.22). Cada um destes componentes é também definido no vernáculo. A Bíblia nos ensina que "o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade" (Efé 5.9). Portanto, para que um lar viva um relacionamento maduro, duradouro e feliz; estes princípios devem ser aplicados no dia-a-dia da família. E se assim for, haverá alegria e paz; tanto para aqueles que estão do lado de dentro como para os de fora!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 19 de janeiro de 2013

Tesouro de valor incalculável


Deus da minha vida, venho me prostrar nesta manhã - no lugar de oração - para trazer diante de Ti os meus temores. Estou ciente de que carrego comigo um tesouro de valor incalculável - tesouro cobiçado pelo adversário - que é muito mais precioso do que ouro, prata... Ou fama e prestígio. Este tesouro é constituído pelos membros da querida família que me deste; pelos quais venho orar diante de Ti.
 
Portanto, preciso saber como lidar com algo tão valioso e comprometedor - dosando os meus pensamentos e os meus sentimentos - sem correr o risco de por tudo a perder. Sei que uma das coisas a fazer é não ceder aos meus impulsos da razão e da emoção além dos seus limites seguros. Preciso de Ti, para saber quando e como acalmar meus pensamentos e meus sentimentos nesta relação de afeto.
 
Já aprendi contigo a não depender da minha razão e de minha emoção, no cumprimento do Teu propósito em minha vida; e, sei que suas vozes devem ser sufocadas em meu íntimo, sempre que elas conflitarem com Tua vontade. No entanto, existem ocasiões em que estas vozes tentam se impor e interferir, me surpreendendo e pondo em risco estes tesouros. Em momentos assim, preciso de Ti para silencia-las.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Minha graça te basta


A cada dia que passa, percebo o quão frágeis os homens são... E eu me incluo entre os frágeis. Sofremos pressões internas e externas que podem - em um dado momento - por fim a valores arduamente conquistados. E o que digo não se aplica apenas a pessoas que julgamos fracas e imperfeitas; pois, fracos e imperfeitos todos nós somos. Esta realidade se aplica a jovens e idosos; crentes e incrédulos; cultos e iletrados; homens e mulheres; líderes e liderados. Enfim, todo ser humano que vive neste mundo.
 
Bem expressou o grande reformador Martinho Lutero; quando declarou no "hino da reforma" que: "A nossa força nada faz; estamos, sim, perdidos. Mas nosso Deus socorro traz e somos protegidos. Defende-nos Jesus, O que venceu na cruz! Senhor dos altos céus; que, sendo o próprio Deus, triunfa na batalha". Mas, também percebo que - com raras exceções - a maioria das pessoas sentem-se diminuídas por se sentirem frágeis; sendo, nesse estado, assaltadas por dúvidas quanto ao cuidado de Deus para consigo.
 
Alguns apregoam sua força e altivez; como se fosse uma espécie de contra-ponto ao estado de fragilidade que percebem em si mesmos. Todavia, esta constatação - longe de enfraquecer - pode ser a razão da capacidade que nos é concedida por Deus para lidar com tentações e pressões extremas. Ele mesmo disse: "A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo" (II Cor 12.9). Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Sou Teu filho


Pai celeste; sinto paz e segurança em estar no lugar de oração; mesmo não sabendo orar como convém. Ainda bem que tenho o Teu Espírito comigo; pois Ele se apresenta para ensinar-me como devo orar. No entanto, a questão que carrego é: Como continuar caminhando sem o perigo constante de me perder, enquanto sigo em plena noite escura? Em meu espírito, não tenho a menor dúvida quanto ao fato de que Tu estás comigo; porém... Sinto alguma insegurança em relação a mim mesmo. Preciso de Ti!
 
Pai amado; não há um dia sequer em que eu não sinta o peso dos desafios que me rodeiam e me pressionam. Sempre que eles surgem, sinto como se fossem etapas de um jogo. No entanto, sei que não se trata de um jogo; mas, da própria vida procurando superar desafios que os sentidos físicos nem sempre percebem. No entanto, tenho a certeza de que o maior desafio que preciso enfrentar é o de vencer a mim mesmo; no entanto, não me conheço o bastante para lidar com o perigo de enfrentar o meu próprio eu.
 
Todavia, tenho algo em mim que faz toda a diferença: A fé que uma vez me foi dada, mesclada com o amor que me reveste da essência de Jesus. E, assim revestido, sei que tenho os meios de chegar à etapa final da prova - sem medo dos perigos que me cercam - pois os valores que tenho comigo, me dão vantagem e superioridade nesta relação do tempo com a eternidade. Existe o receio de me perder; mas, tenho consciência de que Tu, meu Pai, me livra dos meus medos. Sou Teu filho e nada pode mudar isso!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Casamento de Chrislayne e Guilherme

Célia e eu, adentrando o santuário
 
No sábado passado, Célia e eu saímos de Belo Horizonte, a caminho de Monte Carmelo - cerca de qinhentos e cinquenta quilômetros de distância - para oficiar a cerimônia de casamento de Chrislayne e Guilherme. Nosso coração seguia envolto em alegria e curiosidade. Afinal de contas, um casamento é oportunidade para testemunhar a concretização do sonho de dois jovens que se amam e que se unem no Senhor; mas... É também oportunidade para agradáveis reencontros entre familiares e amigos distantes.
 
Os pais da noiva - Eunice e Pastor Perim - adentrando o santuário
 
Chegamos adiantados e fomos para o belo templo da IMW de Monte Carmelo; onde encontramos o Pastor Luiz Aguiar e sua família ajudando nos detalhes finais da preparação do templo e do amplo salão social, lindamente decorados para tão importante ato. Pude também abraçar o Presbítero Rodrigo e outros irmãos que ali estavam. Enquanto isso, Maria Célia Calegari conversava com algumas irmãs que davam o famoso toque feminino para tornar mais belo o ambiente com os seus adornos.
 
Os pais do noivo - Natalícia e Valtercides - adentrando o santuário
 
A cerimônia foi marcada por emoção. Anotada a presença do Pr. Cleber Damasceno Ribeiro, da Comunidade Cristo Vive; e dos Pastores wesleyanos: Vicente Ferreira, Luiz Aguiar, Edgar Zatar Dominoni Neto, Rodrigo Luciano Reis Silva e Angelo Ismael Urzedo, SD do Distrito de Uberaba (com exceção do Pr. Vicente, os demais estavam acompanhados da esposa). Também compareceram Valtercides e Natalícia Coelho - pais do noivo; e José Luiz, Hilda Delcaro e Gilvânia Maria Perim - respectivamente pais e irmã do Pastor Jorge Luiz Perim. O Presbítero Motta e sua família, acompanhados da irmã Fernanda Munis vieram de Vitória. Vários irmãos das IMW de Monte Carmelo, Uberlândia e de Uberaba lotaram o templo da igreja de Monte Carmelo. Foi uma cerimônia revestida de unção de Deus. O Guilherme fez para Chris uma declaração de amor cantada que emocionou a todos nós.
 
A mãe levando o filho - Guilherme - ao altar
 
Como é bom ver jovens em sintonia com a Palavra de Deus, se unindo no Senhor e formando um novo lar nos moldes da Bíblia. Cada vez que um casal - à semelhança de Guilherme e Chris - se une diante do Senhor, vemos que existe esperança para a humanidade... E que o casamento segundo Deus tem futuro sim! Portanto, mesmo que o mundo e Satã se aliem para tentar impor formas impróprias, apelidadas de casamento; isso não afetará o projeto original de Deus... Apenas acrescentará dores aos que se atrevem a fazer parte desta farsa, totalmente contrária ao propósito de Deus.
 
O pai levando a filha - Chrislayne - ao altar
 
No domingo, participamos de um almoço especial preparado na residência pastoral, onde fomos muito bem recebidos pelo Pastor Luiz Aguiar, sua esposa Jeruza e seus filhos: Theodoro Filipe e Guilherme Augusto, este com sua namorada Karim. O Diácono Nelson, esposo de Ana Paula, preparou um delicioso churrasco que alegrou a todos nós. Também participaram do almoço os pais e irmã do Pastor Perim; a irmã Eunice; o Presbítero Motta, sua esposa Rita, Priscilla, Carol e Artur; e o Presbítero Rodrigo e sua esposa Corina, de Uberlândia. Ao fim do almoço, Célia e eu saímos imediatamente para Belo Horizonte; pois teríamos mais de sete horas de viagem pela frente, até chegarmos a BH.
 
Chrislayne & Guilherme saindo do altar para constituirem um novo lar
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Serpente de plantão


Uma das coisas boas de se desfrutar no lugar de oração é o fluxo de graça e direção de Deus que ali ocorre. A dias atrás, enquanto eu orava; veio ao meu espírito o estado de confronto entre o Bom Pastor e o lobo devorador, pela posse e destino de uma ovelha. Tenho percebido que existem ovelhas correndo de uma parte para a outra - como diz a Bíblia em João 16.32 - e de modo geral só terão duas alternativas: Ou correr para os braços do Bom Pastor; ou correr - mesmo sem querer - para a boca do lobo devorador.
 
Existe o grande perigo de nós, ovelhas do rebanho do Senhor, nos deixarmos enganar pela voz dos nossos sentimentos. Geralmente, somos induzidos: Ou pelo bem de Deus; ou pelo mal de nós. Tenho entendido que, se de um lado, a voz de Deus se faz ouvir - dando instruções e apontando rumos; do outro lado, a voz do diabo também se faz ouvir - procurando subverter e corromper a nossa visão de Deus e do Seu propósito, tal e qual fez com Eva no Jardim de Deus. Portanto, todo o nosso cuidado ainda é pouco!
 
Depois de postar este assunto no facebook, comentei com uma irmã - quanto ao seu entendimento de que a figura do lobo devorador corresponde aos falsos obreiros - que, embora sua linha de raciocínio não esteja errada; no entanto, em última análise - seja de quem for a voz do mal e por que boca ela soe - a origem desta voz é sempre do diabo. Não importa qual a serpente de plantão que esteja sendo usada; o diabo é o mentor. É por isso que Jesus - no episódio de Pedro - não repreendeu a Pedro e sim ao diabo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 13 de janeiro de 2013

Devoção chorosa e rendida


Senhor, nesta manhã eu venho me prostrar perante a Tua face; para buscar direção e sabedoria sobre a minha vida e conduta. Sei muito bem que preciso de Ti em todo o tempo; mais do que qualquer outra coisa que me seja útil e proveitosa nesta vida. Também sei que não posso - seja a que pretexto for - deixar passar em branco o meu dia, sem buscar com seriedade e fervor a Tua presença em minha vida. Desde a muito tempo tenho aprendido que devo buscar em primeiro lugar o Teu reino e sua justiça; e que esta busca precisa se iniciar no lugar de oração, em devoção chorosa e rendida aos Teus pés, querido Pai.
 
E assim determinado, venho nesta oração buscar três coisas diante do Senhor: 1. que a minha vida seja guardada da religiosidade equivocada; pois é algo que não pode me levar a lugar algum. 2. Que a minha vida seja guardada da devoção sem sentido; pois a atitude devocional deve ser previa e racionalmente definida, diante de Ti e diante dos homens. 3. Que a minha vida seja guardada do narcisismo e vacinada contra a autopromoção; e, que eu não venha a afagar-me e massagear-me a mim mesmo, como seu eu fosse alguém mais importante do que na verdade eu sou. Obrigado por tudo Pai, em nome de Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 12 de janeiro de 2013

Espelho da Palavra


Ao me levantar do lugar de oração, duas coisas tomaram por completo o meu pensamento. A primeira delas, sobre a necessidade que tenho de me guardar da interferência de três fontes: 1. A fonte das imaginações da minha mente; 2. A fonte das opiniões de terceiros; 3. A fonte das imagens aparentes. Com este cuidado que eu devo tomar, não estou dizendo que estas três fontes devam ser descartadas; o que quero mesmo dizer é que não devo confiar cegamente nelas, como se tivessem razão em tudo.
 
Mas também pensei em outra coisa, quando me levantei da oração: Senti que preciso me refletir na Palavra de Deus. Digo isso, porque o espelho da Palavra sempre diz verdades sobre mim mesmo; que ninguém mais seria capaz de me dizer - seja amigo, seja inimigo. Este espelho denuncia os pontos obscuros e as distorções de minha natureza em formação. Ele diz - sem falar - aquilo que sou; e... Aquilo que Deus quer que eu seja. Enfim, o espelho da Palavra, ao me confrontar, me põe em meu devido lugar!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Bênção maior


Meu amado Pai; venho Te adorar nesta manhã, no lugar de oração, sabendo que Tu estás comigo. Sei que a bênção maior que possuo é poder estar em Tua presença. Não que aquilo que tenho comigo não seja bênção; ou que ter minha família ao meu lado não seja benção do Senhor em minha vida! Eu jamais pensaria assim; pois sei valorizar o que tenho recebido do Deus eterno, em nome do Senhor Jesus!
 
E digo isso, porque sei que somos abençoados, cada vez que os nossos olhos se abrem para o início do dia e se fecham para o repouso da noite; somos abençoados, cada vez que saímos para mais um dia de trabalho e retornamos em segurança ao cair da tarde; somos abençoados, cada vez que olhamos ao redor e vemos a família ao nosso lado; enfim... Somos abençoados, quando temos uma casa para morar e uma cama para descansar; um pedaço de pão para comer e um copo d'água para beber; um amigo para abraçar e uma criança para afagar; ou mesmo um idoso para auxiliar. É verdade... Somos abençoados!
 
Entretanto, eu chamo de bênção maior o fato de estar sempre contigo; o fato de poder Te buscar e sentir Tua presença; de poder clamar a Ti e ser ouvido; a bênção de poder Te amar porque Tu me amaste primeiro; de possuir tudo, mesmo não tendo nada; a certeza de ser por Ti valorizado, mesmo não sendo reconhecido. Sim! A bênção de saber que sou salvo e que, quando o dia da partida chegar, estarei para sempre contigo. E assim, meu Pai, todas as bênçãos são menores ao lado da bênção de Te conhecer!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Comando regional

 
Hoje estive no lugar de oração; orando novamente em favor de mais de 50 pastores que foram transferidos na 2ª Região; dentre eles, 12 eram Superintendentes Distritais. E posso garantir que não foram nomeações de acomodação, de favorecimento ou de disciplina. Não mesmo! Elas foram regadas com oração e lágrimas. E trago para minha defesa, o testemunho do Deus a Quem eu sirvo com boa consciência a mais de 40 anos. E dentre todas elas, tivemos apenas dois contratempos; ambos resolvidos.
 
Eu sei, tanto pelas Escrituras como por observação, que a 2ª Região está longe de ser uma região em perfeitas condições de funcionamento; mas... Já estivemos bem mais longe de um funcionamento eficiente. Tenho visto o agir de Deus em nosso meio; e isso é inegável! Posso testemunhar - COM TODAS AS LETRAS - que o Senhor tem o comando desta querida região; pois os seus líderes, começando por seu Bispo, estão cônscios de que a cadeira maior do comando regional é do Senhor Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Um desbravador que se vai

 
Faleceu no dia 05 deste mês de janeiro, a 1:30 da madrugada, o Pastor SEBASTIÃO MOREIRA da SILVA. Seu corpo foi velado no templo da 1ª IMW de Visconde do Rio Branco-MG.
Sebastião Moreira da Silva nasceu 16/02/1926. Homem de vida simples e dedicada ao evangelho; foi irmão do saudoso Pastor José Moreira da Silva - membro histórico da IMW. Ele foi pastor durante 29 anos; mas a 16 anos estava jubilado. Durante o exercício de seu ministério pastoral, ele pastoreou as seguintes igrejas wesleyanas: IMW de Alegre, no Espírito Santo; IMW do Catete e Rocinha, no Rio de Janeiro; IMW Juiz de Fora, São Geraldo, Valão do Guiricema, e Visconde do Rio Branco, estas últimas em Minas Gerais - seu Estado natal. 
 
No dia 14 de novembro último, foi internado devido a fortes dores causadas por uma hernia, e outras complicações delas derivadas; que resultaram em seu óbito.
Ao partir para o Senhor, deixa viúva a irmã Doraci Coelho Moreira; e os filhos: Paulo, Fernando, Luiz, Júlio, Mauro, Elizabeth, Adelaide e Kezia.
Na qualidade de Bispo da 2ª Região Eclesiástica, quero render minhas homenagens póstumas a este batalhador do evangelho - meu conhecido a mais de 40 anos - com o quem mantive agradáveis e edificantes momentos de conversa informal; sempre voltada para a doutrina de santidade e da segunda vinda de Jesus.
 
Aproveito o ensejo para agradecer a irmã Adelania - esposa do Pastor Marcelo - por algumas informações colhidas juntos aos familiares do Pastor José Moreira da Silva, de saudosa memória. Agradeço também ao Pastor Marcelo, que me representou no ato fúnebre, devido ao fato de eu me encontrar distante e sem condições de chegar ao local em tempo hábil.
 
Aos familiares, deixo o seguinte texto das Escrituras Sagradas:
 
"E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem"
(Apocalipse 14.13)
 
Com pesar;
Bispo Calegari & Maria Célia

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Sobreviver é preciso

 

Percebo a admiração de alguns, pelo fato de eu me referir sempre à minha presença no lugar de oração; tal como venho fazendo a muito tempo. Quero aproveitar este espaço para afirmar que esta é a minha atividade mais importante em mais um dia a ser vivido e em outros dias que virão. É que não consigo ver um dia pleno - em todos os sentidos que o termo encerra - sem a minha presença no lugar de oração.
 
As vezes eu pergunto a mim mesmo: Como conseguir enfrentar desafios crescentes e imprevisíveis; ou, suportar provas inesperadas; ou, mesmo, conseguir transitar em meio a tantos riscos e perigos, sem que eu me apresente primeiro perante o Pai, pelo Seu Espírito, em nome de Jesus? Portanto, quero aqui declarar - aos favoráveis e aos contrários quanto a esta minha postura - que sobreviver é preciso!
 
E quanto a isso, eu posso apregoar a plenos pulmões: Não há como sobreviver em um mundo tão perigoso e hostil - e não me refiro apenas à vida espiritual e física - a menos que estejamos dispostos a estar na presença de Deus. É... Não há como vencer sem buscar a Deus! Eu não tenho a menor dúvida em dizer que a vitória de nossa família vai depender muito da nossa presença no lugar de oração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Preciso te conhecer melhor



Meu pai! Aqui estou, prostrado em Tua presença, no lugar de oração. Enquanto eu vou orando, vou também aprendendo o quão difícil é lidar com as pessoas. Então, ao refletir sobre isso, percebo que quando penso que aprendi o suficiente para ajudar e, ao mesmo tempo, me precaver; descubro que conheço muito pouco sobre as pessoas com quem trabalho e convivo. Mas percebo que isso é até normal.
 
Pois é, Pai... Penso ser algo normal; pois, a Tua própria Palavra me revela que o homem é um ser complexo - tanto em sua composição e estrutura, como em sua própria natureza. Como entender alguém que foi criado à Tua imagem e semelhança; e que possui dentro de si o sopro da divindade e o embrião da eternidade. Sou convencido de que não há na terra quem possa desvendar um ser tão complexo.
 
Todavia, me surpreende o fato de não conhecer-me como devia. E eu sinto necessidade de conhecer-me melhor; até mesmo para dosar com sabedoria minha razão, emoção e espiritualidade. Mas, percebo ser difícil o auto-conhecimento! E assim, chego a conclusão que a melhor coisa a fazer é procurar Te conhecer melhor; pois só assim conhecerei um pouco mais a mim mesmo e as pessoas a minha volta.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 6 de janeiro de 2013

Quem está nos levando


Nestes dias, após ter estado no lugar de oração, não pude deixar de pensar num tipo de conflito em que vive a maioria das pessoas, crentes inclusive. Sabemos que Deus desejar conduzir os Seus filhos, até a Canaã celestial. No entanto, a Bíblia nos adverte que o Diabo procura conduzir os homens de modo geral - filhos de Deus inclusive - até o lugar de dor e tormento eterno, que a Bíblia chama de inferno.
 
Então, para a nossa própria segurança, necessário se faz sabermos a quem estamos seguindo: Se a Deus, se ao Diabo. E não é difícil descobrir isso! É só atentarmos para aquilo que mais nos atrai neste mundo; ou os lugares onde mais desejamos estar; e, também, o tipo de companhia que nos cativa e os gostos que mais cultivamos. Então, se formos honestos nas descobertas, saberemos quem está de fato conduzindo a nossa vida. A própria Bíblia nos ajuda; identificando os pontos de atração, de um e do outro lado:
 
Podemos encontrar na Bíblia que "o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança" (Gál. 5.22). E ela nos exorta quanto a necessidade de vivermos uma vida no Espírito; "porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade" (Efe 5.9); deixando claro que "todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus" (Rom 8.14). Assim, se o "fruto do Espírito" nos motiva e atrai, fica patente que estamos seguindo a Deus.
 
Lemos também na Bíblia que "as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus" (Gál. 5.19-21) Se - ao examinarmos os textos sugeridos - formos honestos conosco; saberemos quem está nos levando.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 5 de janeiro de 2013

Minutos a mais de oração


Meu querido Pai celestial; deste lugar de oração em que me encontro, venho lamentar diante de Ti minha insatisfação com a minha vida de oração. Sei que preciso avançar um pouco mais na minha vida espiritual, orando um pouco mais; mas, não tenho tido sucesso. Creio que na oração está o ingrediente que falta para aquela resposta que ainda não obtive e para aquela vitória que ainda não alcancei.
 
No entanto, tenho perfeita noção do quanto é difícil ampliar os limites da oração. Todvia, mesmo sendo difícil, creio que - com fé e perseverança - vou conseguir aqueles minutos a mais que farão diferença incalculável em meu viver e servir. Sei que o Espírito Santo está pronto a me ajudar neste esforço; e que o nome de Jesus garante a eficácia das orações que faço. Portanto, não desistirei de buscar orar mais.
 
Até porque, e isso eu sei muito bem, é a oração que dá sentido e santidade a tudo que faço - seja para Ti ou em prol dos que de mim dependem - iluminando o meu caminho e ampliando as minhas defesas neste mundo hostil. Pois é, querido Pai; eu não sei o que chegarei a ser por orar; mas... Tenho consciência daquilo que eu seria hoje, considerando minhas deficiências, se eu não buscasse Tua face em oração.
 
E assim, vou continuar ocupando o meu lugar de oração; procurando ser pontual e tentando ampliar o tempo de minha permanência nele. Eu te dou graças, Pai; porque durante os anos em que venho orando, descobri que existe um remédio que alivia nossas dores; e, que existe uma arma que nos dá vantagem nas lutas; e, que existe uma cobertura que nos protege das tempestades da vida. O seu nome é: ORAÇÃO!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O "ruido" do silêncio


Logo após a virada do ano - depois de ter estado no lugar de oração - pude ouvir o "ruído" do silêncio, causado pelo encerramento das festas de natal e passagem de ano. Depois das despedidas dos que estiveram conosco; restaram papéis coloridos e sobras de alimentos. Mas, ficaram promessas de Deus para um ano que já segue sua marcha de 365 passos; e... Uma agenda aberta, a ser por mim preenchida.
 
No entanto, nada tenho a lamentar - seja da quebra de rotina, seja da "algazarra" tão comum em dias assim - pois os últimos dias foram profundamente marcados por sentimentos próprios de ocasiões como estas. Em tais dias, as famílias se reaproximam e as amizades se renovam e se fortalecem. Realmente... Estes dias especiais se repetem apenas em uma época a cada ano. Mas, para nosso bem, a vida continua.
 
E assim, enquanto a roda da vida se movimenta, devo estar ciente de que preciso me manter em sintonia com algumas realidades que não devem ser ignoradas: Vida de trabalho sério e de responsabilidades assumidas; vida de compromisso familiar fortalecido e muito bem cuidado; enfim... Vida comprometida com as partes integrantes de um viver abençoado e pleno; tanto diante de Deus quanto dos homens.
 
E para manter tudo isso em sintonia, preciso rever valores e conceitos... Renovando em mim aqueles que são relevantes e aplicáveis aos novos tempos em que eu vivo e descartando aqueles que se afiguraram nulos ou sem utilidade prática, nocivos ao meu bem estar e força interior segundo Deus; preciso continuar seguindo em frente, mantendo o meu olhar firmado nas promessas de Deus e em Jesus, meu Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Estarei sempre Contigo


Pai, como me conforta poder estar em Tua presença! Enfrento desafios e não sei como superá-los. Ou melhor: Até penso saber como superá-los; mas... Não sei se dará certo. Preciso aprender contigo - como Salomão aprendeu - a dividir uma criança sem feri-la; e, deste modo, descobrir a falsa mãe sem por em risco a mãe verdadeira. Preciso aprender; pois... Tomar decisões que comprometem terceiros é difícil.
 
Preciso de Ti; mas... Embora eu saiba que Tu estás em toda parte; como conseguir Te encontrar na vastidão do espaço, se as vezes tudo aquilo que se apresenta diante dos meus olhos é tão parecido? É verdade, Pai... As vezes, é tão difícil distinguir até mesmo entre a luz e a sombra. As vezes me pergunto: Como Te encontrar se não Te vejo, mesmo olhando para Ti? Não consigo entender sem Tua ajuda!
 
Mas, o que me conforta é saber que Tu estás comigo, meu Deus! Como é bom viver apenas um dia de cada vez - sem pressa, mas sem ócio! Como é bom saber que chegará o dia em que não precisarei mais de contenção. Sim! Porque, então, os limites conhecidos deixarão de ter sentido prático. E sinto alegria incontida por saber que, na eternidade, não precisarei mais Te procurar; pois... Estarei sempre Contigo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Deus é o juiz


Em uma dessas manhãs, após passar alguns momentos com Deus em oração, resolvi meditar sobre fatos lícitos e até sagrados que, algumas vezes, nos levam a afastar-nos d'Ele; cheguei a conclusão de que - em se tratando de vida com Deus - todo o cuidado ainda é pouco, mesmo ao lidarmos com algo bom. Pensei nas missionárias wesleyanas, cujo dia foi comemorado a pouco; pensei nos pastores wesleyanos, em sua perigosa jornada pelos caminhos do "ser e não ser" e de "fazer e não fazer"; pensei nas ovelhas wesleyanas, em seus medos quanto aos dias vindouros e em sua esperança por dias melhores. Enfim...
 
Também pensei em mim mesmo. Afinal, por que não pensar em minha própria existência e "razão de ser"? Então, me senti pequeno; mas este sentimento é comum. As vezes, sinto-me bem menor do que aqueles crentes que me julgam - declarada ou reservadamente - atribuindo a mim supostas intenções ou atitudes. Será que eles tem alguma razão no que pensam ou no que dizem? Só Deus o sabe; pois, nem eu mesmo sei. Na verdade, percebo que não sei como julgar-me a mim mesmo; nem como julgar aos outros. E nem faço questão de aprender isso. A muito tempo aprendi que Deus é o Juiz! Então...
 
Devo prosseguir em minha jornada peregrina; sem medo ou coragem aparente, sem ressentimento ou mágoa... Em direção a um ponto não marcado no mapa que não tenho; pois ando por fé. Todavia, tenho plena certeza de que lá chegarei; tão somente seguindo o caminho do "Vento" e observando o "Ponto de Luz" no horizonte, que supera a luz do sol e o brilho das estrelas. E assim, não devo me preocupar sobre aquilo que dizem que eu sou; pois, não responderei diante do Deus eterno pelas opiniões dos homens a meu respeito; e sim pelo modo como me conduzi neste mundo, conhecendo a verdade que conheço.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Minhas obrigações para 2013

 
Senhor querido; neste primeiro dia do ano de 2013, sinto em meu espírito que precisarei ir mais vezes ao lugar de oração. Pode ser que a luta não se agrave; ou que as forças não diminuam no novo ano. Pode ser também que as tentações se situem no mesmo nível em que se mantiveram em 2012; pois... Sei que existe a possibilidade de as coisas permanecerem do jeito em que estiveram no ano findo. Mas devo me manter preparado para as mudanças, fortalecido em Ti, para saber como lidar com elas quando surgirem.

Sei que me esperam neste novo ano, deveres e responsabilidades que farão parte da minha rotina diária. E sei também que não adianta ignorar ou não assumir meus compromissos; pois isso não irá fazer mudar a minha relação para com eles. Portanto, preciso de ti para continuar lidando com obrigações que a vida me impõe; e que são como etapas a serem percorridas e superadas com honra. Também sei que minha vida espiritual, tanto quanto minha vida familiar, me impõe limites e responsabilidades que preciso respeitar.

E assim, quero estar disposto a fazer duas coisas que Tua Palavra me recomenda: 1. Quero trazer à memória aquilo que me traz ensinamento e que me dá esperança; e... 2. Quero deixar para trás as coisas que não devem me acompanhar para o novo ano e avançar com perseverança para as que estão diante de mim; olhando para Jesus, autor e consumador da fé. E não posso deixar de dar especial atenção a minha família e minha igreja - dentre as obrigações que tenho para 2013 - sem jamais esquecer de Te buscar!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari