segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Verdade profética ignorada




Nesta madrugada, enquanto eu orava ao Pai; duas perguntas ocuparam a minha mente - ambas relacionadas entre si: 1) "Estará a maioria dos crentes gerados nestes dias nebulosos; preparada para lidar com aquilo que está por vir?". 2) "Estará a maioria desses crentes; embalados por propostas de um mundo favorável aos seus sonhos; ciente daquilo que está por vir, ainda nesta geração?". Confesso que me assustei ao contemplar o quadro estampado ante os meus olhos; Os Eventos reservados para este tempo, são inadiáveis e inevitáveis. Então, louvei a Deus por me manter em sintonia com uma verdade profética ignorada por muitos; todavia, tão real como o ar que respiro.


Se alguém quiser entender melhor o meu sentimento em relação a tudo isso, pense nos efeitos de uma tromba d'água ou de um terremoto - chegando repentinamente e surpreendendo uma comunidade inteira; pense no misto de surpresa e desespero estampado no rosto das pessoas; muitas delas a pensar que o mundo está acabando; mesmo sabendo que tragédias assim é algo comum no mundo... E, por mais avisados e prevenidos que estejamos em relação a tragédias iminentes; somos sempre pegos de surpresa quando elas chegam. E os dias reservados para esta geração, serão muito mais assustadores do que tudo aquilo que estamos acostumados a ver neste mundo.
 
Sinto que devo manter os meus olhos neste texto:
 
"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz."
(2 Pedro 3.9-14).
 
Recomendo também cuidadosa leitura dos capítulos 24 e 25 do Evangelho de Mateus.
 
Cordialmente
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário