segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Quietude e paz interior


Hoje é um daqueles dias, em que me levanto para orar um tanto sem vontade... Mas, graças a Deus, já faz muito tempo que deixei de levar em conta os meus sentimentos; especialmente quando o assunto é oração e opção por valores morais e espirituais. Então, fiz o que a Palavra de Deus me ensina: Levei "cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;" (2 Cor. 10.5). Sei que este tipo de confronto - que ocorre nos bastidores de uma vida - não é algo simples de combater; e, muito mais difícil de perceber. Contudo, a Palavra de Deus em nosso interior tem efeito semelhante ao de uma tomografia: Ela percorre a estrutura da razão e da emoção; denunciando pontos frágeis que podem nos debilitar espiritualmente.
 
Assim, munido deste recurso sobrenatural; me levantei disposto a chegar até o lugar de oração, nem que fosse me arrastando. E fui! Então, em ali chegando, me rendi aos pés do Senhor; e percebi que - afinal de contas - não fora tão difícil quanto parecera. Clamei, intercedi, citei tantos nomes, me humilhei... E fui recompensado com uma quietude e paz interior que faz este bom combate e a perseverança dele resultante valer a pena. Obrigado, Senhor; pois em pleno clima festivo que antecede o Natal e a virada de mais um ano, me fazes entender que a oração não pode ser contornada ou diminuída. Até porque, não sabemos o que o futuro nos reserva; nem como serão as coisas no novo ano que está pra a nascer.
 
Este é um dos textos da Bíblia que nos faz ver que ela é o melhor aferidor da conduta humana:
 
"ALÉM disto, eu, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde, mas ausente, ousado para convosco; Rogo-vos, pois, que, quando estiver presente, não me veja obrigado a usar com confiança da ousadia que espero ter com alguns, que nos julgam, como se andássemos segundo a carne. Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;"
(2 Coríntios 10.1-5)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário