sábado, 14 de dezembro de 2013

O Sol nasceu pra todos

 

Enquanto me prostrei nesta madrugada, senti o peso daqueles que se desviam do caminho do Senhor. Não vai muito distante o tempo em que o próprio desviado reconhecia o seu estado e buscava auxílio para se reerguer. Bem diferente do tempo presente, no qual o foco da grande maioria das pregações que se ouvem não é mais vida com Deus; e sim, vida abençoada por Deus. O adjetivo "abençoado" e "abençoada" é aplicado indistintamente, sem que se tenha uma ideia clara sobre a essência deste termo. Até porque, vida abençoada é expressão que vai muito além dos benefícios terrenos que alguém consiga usufruir neste mundo passageiro.
 
Antes de prosseguir, preciso afirmar que creio nesta declaração de Jesus: "Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos." (Mateus 5.45). Esta palavra dita pelo próprio Deus demonstra que mesmos os perversos e injustos desfrutam de benefícios gerados pelo Senhor. Não ignoro o conceito elementar de que "o sol nasceu pra todos". No entanto, existe a possibilidade de alguém viver intercalando vida cristã formal com vida profana informal. Quero dizer com isso, que: É possível alguém passar boa parte de sua vida conjugando bênção com maldição; sem sequer pensar no final ruim que o espera.
 
Então, louvei outra vez ao Senhor; pois, sei do abismo de onde me tirou, por meio de Jesus; me dando o direito de andar em Sua presença. Não ignoro as aflições que sofrem aqueles que querem viver com verdade e seriedade, o evangelho da graça legado pelo próprio Jesus e pelos homens que nomeou seus apóstolos. Todavia, percebo que a vida é de curta duração; e que, por mais prazer que alguém possa ter, em seu envolvimento com este mundo, nada compensa a perdição eterna. Prefiro pensar que o melhor mesmo é trazer no corpo as marcas do padecer de Cristo, nesta vida temporária; e desfrutar no futuro a bem-aventurança eterna.

Penso ser urgente meditar neste texto:
 
"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas! Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom."
(Mateus 6.19-24).
 
Creio que, em momento algum da História da Igreja, ele foi tão relevante como em nossos dias!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário