sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Pecados que ainda cometo

 

Meu Deus e meu Pai; nesta manhã eu venho Te adorar e expressar minha gratidão ao Senhor. Venho também pedir perdão pelos pecados que ainda cometo... O pecado de não descansar plenamente em Ti, como deveria; o pecado de não romper definitivamente com a ansiedade, sabedor que sou do Teu cuidado para comigo; os pecados comuns que - de tão comuns que são - algumas vezes, nem nos damos conta de estar cometendo; tais como: quando julgamos temerariamente; ou quando tratamos um irmão ou um amigo sem a devida cortesia... Mas, graças te dou por te aprendido nas Escrituras que "contigo está o perdão, para que sejas temido." (Salmos 130.4). Ainda bem que Tua Palavra nos conforta, ao nos protestar o Teu perdão; sentenciando que "Se confessarmos os nossos pecados, o Senhor é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (I João 1.9). Ela diz também que, se formos infiéis, o Senhor permanece fiel - Não fiel a quem desfideliza sua lealdade ao Senhor - mas, fiel a Si mesmo e às promessas feitas ao pecador impenitente e inveterado.
 
Na verdade, querido Pai de amor; não consigo sequer te agradecer ou te adorar na justa medida da graça imerecidamente alcançada; pois, o máximo a que consigo chegar enquanto adoro é à medida mínima necessária que todo o ser vivente tem como parcela menor de uma dívida que jamais conseguirá saldar plenamente. Ainda bem que Jesus - ao se doar na cruz por nossa redenção - quitou nossa dívida que nos condenava eternamente; e tomou sobre Si o castigo que nos traz a paz. Desde crente novo, tenho aprendido que a paz verdadeira - aquela que nos garante segurança interior enquanto a tormenta fustiga por fora - é o certificado divino de que tudo está bem. Como é bom saber que a paz conTigo é uma espécie de selo de aprovação, ao qual tem direito todo aquele que foi justificado pela fé. Sinto grande prazer em ter chegado aos quarenta e nove anos como crente em Jesus, sem ter perdido o brilho do primeiro amor; ou, sem ter perdido a chama que me ilumina enquanto sigo o caminho traçado, segundo o Teu propósito; caminho que me leva em Tua direção. Tu és fiel, Senhor!

Quando não tratamos com seriedade os pequenos pecados que cometemos, abrimos brechas para os grandes pecados que tentam nos dominar.
 
"Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós."
(I João 1.8-10). 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário