terça-feira, 26 de novembro de 2013

Louvor e santidade


Sempre que busco a face do Senhor (como fiz nesta madrugada) procuro ser objetivo em minha prece. Hoje procurei levar comigo os meus pontos fracos, sem detalhar; pois são tantos, que existia o risco de deixar alguns de fora. Chorei muito diante do Senhor; mas, fui confortado ao ouvir que minha força é aprimorada nas fraquezas. Então, chorei mais ainda... Por aprender que até mesmo a minha pequenez tem utilidade ao propósito de Deus. Falei sobre minhas lutas e provações; e, ouvi no íntimo que as melhores armas que preciso ter nesta guerra não são as que procuro escolher por minha própria conta; e sim, aquela arma que vai sendo esculpida enquanto estou orando; arma própria para aquele tipo de combate. Então, aprendi que a melhor arma de guerra é a forjada no lugar de oração; cujas brasas que lhe dão calor e forma, são acesas por minhas orações.
 
Chorei ainda mais, ao ouvir, de novo, que Deus me ama além do mérito; e, que, preciso estar em atitude de louvor e de santidade em Sua presença - não para que Ele me ame mais - mas, para que eu me sinta melhor; e me torne capaz de auscultar Sua voz e de sentir o Seu calor, quando Ele fala e se aproxima. Assim, pude entender que - em meu "guarda-roupas espiritual" - preciso ter duas peças insuperáveis: A vestidura de louvor e a vestidura de santidade. E, ficou muito claro para mim que ambas se completam! De tal modo, que: Veste de louvor sem veste de santidade é imprópria; e, veste de santidade sem louvor é insossa. Quando eu louvo sem santidade, posso até agradar a mim mesmo e aos que me rodeiam; assim como, quando sou um santo despido de louvor, me torno frio e indiferente. Mas, quando estou com ambas, consigo agradar a Deus!
 
Tenho aprendido que a Palavra de Deus não é para ser apenas lida; mas, sobretudo, entendida. Preciso tanto ler quanto entender esta Palavra: "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo; Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus." (Efésios 5.15-21). Como é importante entender, pelo Espírito, as Escrituras! Pois, sem entendê-la; não conseguiremos aplicá-la corretamente em nossa vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário