segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Viver ou morrer


Pai, sinto prazer envolto em temor por poder me aproximar de Ti; prostrado e contrito, no lugar de oração. Não consigo conter as lágrimas; pois, Tua presença não é apenas um alvo que procuro alcançar; mas, uma experiência à que me habituei a ter. Sou feliz por Te pertencer e não desejo esconder isso de ninguém! Porém, preciso estar atento ao que Tu queres falar; pois, isso faz a diferença entre o que preciso dizer e o que não devo dizer. Mas, para perceber a diferença, preciso estar cheio do Teu Espírito; pois, em momento de desatenção, posso ferir alguém a quem amo com palavras que não devo proferir ou atitudes que não devo tomar. Ainda bem que tenho a presença do Espírito para me conduzir pelo corredor imaginário da escolha entre o o que se deve e o que não se deve dizer, entre o que se deve e o que não se deve fazer; pois eu não saberia como escolher, sem esta presença sobrenatural me tangendo.
 
Não é de hoje, sei que sigo em meio à uma geração enlouquecida pela ambição de prosperar e pelo uso abusivo da tecnologia, consumida por venenos apelidados de alimento e armadilhas chamadas de diversão; e, que caminho ao lado de uma geração esmagada sob o peso dos exploradores que vivem do seu esforço e suor enquanto promovem suas festas de gala; aterrorizada por crescente violência e miséria, esquecida pelo descaso daqueles que poderiam remover sua dor e não o fazem. Ainda bem que faço parte de uma geração amorosa, crédula e esperançosa; geração eleita por Ti, mediante sua decisão de seguir Jesus a qualquer preço - como se tivesse encontrado um tesouro escondido - firme o bastante para resistir ao mal que tenta demove-la do Caminho; e, perseverante ao ponto de sequer pensar desistir. Obrigado, Pai, por valores que me legaste; valores pelos quais, alguém como eu pode viver ou morrer!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário