sábado, 5 de outubro de 2013

Viagem missionária


A dias atrás, estavamos terminando uma noite de repouso na cidade de Gurupi, à margem da estrada Belém-Brasília. Quanto chegamos, por volta das 23 horas do dia anterior, fomos recebidos com um delicioso jantar em casa do Pastor Adair; preparado por sua esposa, irmã Alaíde. Cada vez que chego em sua casa,encontro o Junior e a Pryscyla (seus filhos) mais desenvolvidos. Louvo a Deus por esta querida família e por seu ministério nesta cidade! Enquanto Maria Célia descansava - assim como o casal Pastor Sidenilson e Márcia - da cansativa viagem da véspera;  eu refletia sobre a obra missionária.
 
Nnaquela manhã, iniciariamos o nosso terceiro dia de viagem; pois, pretendíamos chegar em Curionópolis - cidade no sul do Pará - onde estaremos em um culto muito especial; pois o mesmo representa a revitalização daquele trabalho. No entanto, até lá, tínhamos um longo percurso ser percorrer, por todo o Estado de Tocantins. Todavia, Deus permitindo, era nossa intenção cruzar o Rio Araguaia; pois pretendíamos passar primeiro na casa do Pastor Ernane e sua esposa Nelly; responsáveis pelo rebanho wesleyano na cidade paraense de Marabá. E eu considerava o esforço a ser feito.
 
Sei o quão desgastante é uma viagem missionária ao nível desta; todavia, também sei que precisamos cumprir o "ide" do Senhor Jesus. Não sou melhor (nem mesmo igual) aos que me antecederam no curso do propósito de Deus. Então, se o Apóstolo Paulo sentiu necessidade de dizer: "Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (Atos 20.24); Quem sou eu para pensar ou agir de modo diferente? Portanto, se Cristo comigo vai, eu vou seguir com fé!
 
Preciso ler com frequência textos como este: "Mas eu de nenhuma destas coisas usei, e não escrevi isto para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer, do que alguém fazer vã esta minha glória. Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada." (Atos 9.15-17). Pois, mesmo que já os conheça bem; preciso manter sempre gravado em meu espírito o real sentido do meu ministério!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário