sábado, 12 de outubro de 2013

Enquanto andamos


Ainda a pouco, enquanto eu orava, o meu espírito foi levado a refletir sobre a caminhada de um cristão por este mundo perverso. Enquanto refletia, fui me apercebendo que a jornada do crente pelo mundo afora é cheia de ventura e desventura, sem que isso nem sempre tenha alguma coisa a ver com proximidade ou distanciamento de Deus. Notei que, enquanto andamos, intercalamos alegria e tristeza, júbilo e gemido; e também, que, muitas vezes, um sorriso aberto pode camuflar as dores de um coração golpeado e ferido; sem que isso signifique que haja inverdade no sorriso estampado no rosto... Pois o semblante alegre pode também traduzir a capacidade do coração fiel a Deus, de ignorar a dor e optar por se manter feliz em meio ao sofrimento, com os olhos postos no Autor da Vida.
 
E assim, lágrimas correram em minha face; por saber que um cristão de verdade tem os seus pés plantados em um rochedo íngreme, de onde tem uma visão ampliada de tudo. No entanto, caso haja irreverência ou distração; ele pode tropeçar e cair, sendo grande a sua queda. E me dei conta de que o caminho de volta ao topo exige uma escalada tão longa e difícil, que a maioria desiste enquanto tenta subir; ou, nem mesmo chega a tentar voltar ao ponto de onde caiu. Enquanto eu chorava, me convenci de que a dor é companheira de viagem do cristão; e que o inimigo insiste em se manter por perto, enquanto andamos pelo caminho da vida. Então, constatei que o adversário se torna muito mais perigoso quando nos oferece mimos e vantagens, do que quando nos fustiga e ofende enquanto caminhamos.
 
Logo após refletir sobre a jornada do Cristão por este mundo perverso; senti desejo de ler esta experiência de Paulo: "Sobrevieram, porém, uns judeus de Antioquia e de Icônio que, tendo convencido a multidão, apedrejaram a Paulo e o arrastaram para fora da cidade, cuidando que estava morto. Mas, rodeando-o os discípulos, levantou-se, e entrou na cidade, e no dia seguinte saiu com Barnabé para Derbe. E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus." (Atos 14.19-22). Logo me convenci de que o essencial mesmo é termos o nosso animo confirmado e a nossa fé perseverante.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário