sábado, 21 de setembro de 2013

Vida incoerente


Nesta manhã, enquanto eu orava ao Deus eterno, buscando unção e direção para a viagem que farei dentro de alguns minutos; o meu espírito se afligiu por um modo de agir que vai crescendo e se tornando comum entre muitos cristãos; mesmo entre cristãos bem intencionados. Pois é... Vejo crescer o número de crentes, que, mesmo tendo um modo certo de crer; todavia, exibem uma maneira errada de falar e proceder. Posso até dar exemplos: 1) Existem cristãos que crêem em Jesus segundo as Escrituras, sendo até mesmo capazes de pregar a Seu respeito; mas, que proferem palavras destoantes com sua fé (palavras chulas, murmuração, ofensas ao próximo e até blasfêmias); inclusive, defendendo sua atitude com alegação de que uma coisa nada a ver com a outra; que o importante é ter Jesus.
 
2) Também existem crentes que marcam presença na igreja, participando com visível alegria dos cultos; chegando mesmo a genuíno quebrantamento ao cantarem louvores, ao receberem orações em seu favor; demonstrando assim o valor que dão aos momentos passados na presença de Deus. No entanto, com a mesma alegria com que vão à casa de Deus; vão também a lugares movidos a festas e danças profanas, como se uma coisa nada tivesse a ver com a outra. E não são poucos os cristãos que trocam de cônjuge, como quem troca de sapato; alegando motivos fúteis para desfazer seu casamento. Vai também se tornando comum, crentes praticarem sexo assim que iniciam um relacionamento com alguém; agindo como se o sexo fora do casamento não fosse uma grave violação da Palavra de Deus.
 
Enfim, são muitos os que crêem do modo certo e bíblico; mas cujo procedimento destoa completamente dos ensinamentos da Bíblia. Em meu espírito, penso que este modo contraditório de ser e de agir tem tudo a ver com os novos focos das mensagens cristãs pregadas nos púlpitos e em muitos programas de TV. E, digo mais: Não são poucos os líderes cristãos (alguns de renome nos meios evangélicos) que agem exatamente deste modo; como se o fato de serem líderes carismáticos e populares lhes desse o direito de manter um padrão de conduta divorciado da Palavra de Deus. Talvez alguns até digam: "Mas Deus me usa assim mesmo." Lamentável engano! Pois, o fato de Deus ter usado diversos homens e mulheres da Bíblia, não significa que os mesmos tenham sido salvos da perdição eterna.

Se examinarmos as Escrituras, veremos diversos textos nos advertindo quanto a possibilidade de nos perdermos, caso abandonemos os fundamentos da fé. E, dentre eles, temos esta advertência do Senhor Jesus: "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mateus 7.21-23). Portanto, aquilo que aqui afirmo, não é fruto de um conceito humano e religioso; e sim, a repetição do que é ensinado nas Escrituras Sagradas. Vigiemos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário: