quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Minha posição em Cristo


Querido Pai; valorizo muito a necessidade que sinto de estar, prostrado aos teus pés, no lugar de oração. Sei que existe a possibilidade envolta em risco, de eu não sentir tal necessidade. E também sei que, caso isso acontecesse, eu estaria entregue a mim mesmo - aos meus próprios pensamentos e opiniões - correndo sério risco de fracassar. Mas... Isto é apenas possibilidade, que espero nunca se concretizar. Realmente; é algo que não pode ser medido no sentimento ou explicado em palavras, aquilo que tenho experimentado no lugar de oração. No entanto, de uma coisa eu tenho absoluta certeza: Mesmo não sabendo o real alcance dos efeitos de minha presença no lugar de oração; eu sei muito bem o quanto é importante que eu ali esteja, prostrado diante do Senhor, buscando Sua face.
 
E hoje então, foi maravilhoso! Pois, pude aprender que a minha posição em Cristo é muito mais importante do que a minha posição no mundo; ou mesmo na Igreja. Pude ouvir novamente que a minha posição em Cristo - se por mim levada em alta conta - define o bom desempenho de minha posição em qualquer outro lugar. Entendi perfeitamente que, mediante minha consciência daquilo que sou em Cristo, poderei presidir ou ser presidido, servir ou ser servido, consciente e convicto de que sou devedor ao Deus a Quem sirvo e aos homens aos quais sou enviado para servir. Então, minha posição na Igreja - seja de servo, seja de líder - será exercida depurada de vaidade, ambição e arrogância. É verdade! Somente assim, poderei ser instrumento para a glória de Deus e para edificação de vidas.
 
Não é de hoje que venho notando; que muitos cristãos, especialmente líderes, dão muito mais valor à sua posição na Igreja do que à sua posição em Cristo. Vejamos o que a Palavra diz sobre os princípios que devem pautar os verdadeiros cristãos: "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus." (Filipenses 2.3-6). Infelizmente, alguns só vão perceber o gosto amargo desta inversão de valores ao final de tudo; quando o preço do engano poderá custar sua vida futura.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário