domingo, 8 de setembro de 2013

Abundante redenção

 
Querido Pai... Nesta manhã, ao me estender no lugar de oração, estou tentando entender o sentimento de Davi, expresso no salmo 130. Percebo neste salmo, que, o homem de Deus estava afligido com os pecados do seu próprio povo. Nos versos 1 e 2, sua oração denuncia o seu tormento, como se estivesse em uma profunda cova, desejando ser ouvido por Ti. Nos versos 3 e 4, ele demonstra angústia mesclada com esperança. Nos versos 5 e 6, ele revela o nível de carência espiritual em que sofria, chegando às raias do desespero, deprimido com o estado de seu povo. Todavia, nos versos 7 e 8 - contemplado com a Graça e com a Voz em meio às sombras - ele ministra ao seu povo em crise, a mensagem de esperança e de redenção que o Senhor plantou em seu espírito. Muitas vezes eu me sinto assim, Senhor; sem saber como lidar com este sentimento, ao pensar em pastores e ovelhas.
 
Em dias assim, a noite parece interminável e as orações parecem impedidas... A batalha parece perdida; com pastores e ovelhas afligidos pelo mesmo Mal que tenta destruí-los. Enfim, não há como conter os gritos do espírito inerte e da alma transtornada. Intercalamos sentimentos contraditórios; não conseguindo conciliar o sono, quando precisamos repousar; ou, não conseguindo despertar, quando precisamos orar. É como se nossa própria vida andasse pelo vale da sombra da morte (ainda bem que este abençoado salmista - no salmo 23 - nos ensinou a andar por ele). Enfim, quando a batalha parece perdida; em meio à escuridão de uma noite que parece não ter fim, os primeiros clarões da alvorada chegam; e, então, a alegria chega juntamente com o amanhecer do novo dia. Te louvo, Senhor; pois lá no íntimo eu sei que jamais estarei sozinho. Pois Tu, Senhor, estás comigo!
 
E assim, amado Pai; vejo neste salmo uma espécie de alerta balsâmico para todo aquele que procura servir ao Senhor com retidão: "Das profundezas a ti clamo, ó SENHOR. Senhor, escuta a minha voz; sejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas. Se tu, SENHOR, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. Aguardo ao SENHOR; a minha alma o aguarda, e espero na sua palavra. A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pela manhã, mais do que aqueles que guardam pela manhã. Espere Israel no SENHOR, porque no SENHOR há misericórdia, e nele há abundante redenção. E ele remirá a Israel de todas as suas iniqüidades." (Salmo 130). Nele, percebo que Davi expressa a sua firme convicção de que o perdão do Senhor tem muito mais a ver com Sua misericórdia, do que com os nossos méritos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário