segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Verdadeira força


Durante os últimos dias, tenho experimentado mais uma vez que retornar a um melhor estado anterior, não é algo tão simples como parece. É verdade; alguns males que nos afligem, chegam com rapidez; mas, para sair, precisam ser retirados a força! Ainda bem que - no meu caso - se trata tão somente de males físicos, não morais; pois isso seria bem pior. É que o retorno a um bom estado anterior é como escalar uma grande montanha; e isso implica em sacrifício. Ao refletir sobre isso, procurei pensar nos possíveis benefícios da fraqueza... Então, aprendi muito enquanto pensava a respeito disso.
 
É comum, nos dias de hoje, vermos pessoas valorizarem exageradamente a força física e até mesmo a força espiritual que afirmam possuir. E agem deste modo, como se uma simples declaração de força fosse suficiente para torna-las semelhantes aos super-heróis imaginários das antigas histórias em quadrinhos, ou, aos super-heróis de carne e osso (me refiro àqueles que são produzidos pelo market e pela Mídia) exibidos nas telas de cinema e de TV; os quais vivem em seu castelo, em uma espécie de redoma de vidro, como se fossem seres de um mundo distante. E não são poucos os que pensam assim.
 
No entanto, aprendi que a verdadeira força de um crente reside justamente em sua fraqueza; pois, em sua fraqueza, o poder de Deus pode se manifestar e produzir uma força interior de grande amplitude. Sansão pensou que sua força poderia compensar o seu afastamento de Deus, livrando-o em grande estilo de seus inimigos. Enganou-se e foi vencido! Já em outro quadro, Paulo, afligido por sentimento de fraqueza, buscou a Deus intensamente; ouvindo do próprio Deus que a verdadeira força vem tão somente Dele; em resposta ao clamor do crente, ante sua reconhecida impotência frente às lutas da vida.
 
"E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte."
(II Coríntios 12:7-10).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário