sábado, 31 de agosto de 2013

Vaso e livro

 
Alguns dias atrás, recebi uma mensagem de uma irmã, com uma pergunta interessante: "olá paz do senhor , vai uma perguntinha ai. O Senhor prefere estar na mão do oleiro ou em uma estante sendo admirado." Sem entender exatamente o que a irmã pretendia com a pergunta, achei por bem lhe dar a seguinte resposta: "Se eu fosse barro (como de fato sou) iria preferir estar nas mãos do oleiro; se eu fosse um livro (como de fato sou) iria preferir estar aberto sobre uma estante de biblioteca. E assim, em ambos os casos, eu seria útil naquilo para o que fui formado." E assim, dei por encerrado o episódio, ao responder àquela querida irmã.
 
E hoje, ao pensar no assunto, reforço a minha convicção de que todo crente é uma espécie de vaso e uma espécie de livro. Enquanto, em nosso perfil de vaso, devemos estar cheios do óleo do Espírito, nos tornando instrumentos para despertar e avivar pessoas; em nosso perfil de livro, devemos estar cheios da Palavra - gravada em nossas páginas - para ensinar e fortalecer as pessoas no conhecimento de Deus. Portanto, em ambos os casos - em nossa condição de vaso e em nossa condição de livro - devemos estar abertos e prontos a projetar aquilo que Deus nos concedeu em Cristo Jesus; sendo instrumentos de Deus para abençoar vidas.
 
Veja o que a Palavra de Deus nos ensina: "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;" (Efésios 5.18); portanto, somos vasos! Mas, ela também diz sobre nós: "Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração." (II Coríntios 3.3); logo, também somos livros! Então, devemos nos deixar encher do Espírito e ser lavrados com a Palavra: "Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós." (II Coríntios 4.7).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário