quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Necessidades fundamentais


De quando em vez, retornam ao nosso consciente, antigas canções evangélicas que foram sendo sucedidas pelo fluxo constante das novas canções evangélicas que vão chegando à praia da vida cristã. E hoje lembrei-me de uma delas - bastante cantada em sua época - que me fez chorar e sorrir muitas vezes: "Há momentos que, na vida, pensamos em olhar pra trás; é preciso pedir ajuda para poder continuar. E clamamos o nome de Jesus; e clamamos o nome de Jesus; e clamamos o nome de Jesus! Ele nos ajuda a carregar a cruz!" Eu mesmo posso afirmar que a lembrança desta canção me inspirou e motivou inúmeras vezes, desde que a ouvi pela primeira vez.
 
Penso que, mesmo com os novos enfoques dados por um grande número de pregadores ao conceito de vida cristã triunfante e próspera - chegando as vezes às raias de um triunfalismo sem conteúdo - sem compromisso com os fundamentos e práticas da doutrina cristã; isso não supre as necessidades fundamentais de um verdadeiro crente, que vão muito além daquilo que estão oferecendo por aí. E, devido a isso, muitos cristãos - mesmo entre os que alcançaram tais conquistas - ao perceberem que não conseguiram preencher o vazio que sempre os inquietou; pensam até em desistir de seguir a Jesus. E, infelizmente, alguns chegam mesmo a desistir!
 
Todavia, se atentarmos ao que o Evangelho de fato nos propõe; vamos perceber que - mesmo sem nos negar acesso a algumas das vantagens prometidas em muitos púlpitos - a Palavra de Deus nos adverte sobre os riscos que corremos ao seguirmos a Cristo: Risco de ser discriminado e incompreendido; risco de ser perseguido; risco de perder alguns valores; chegando até mesmo ao risco de morrer por causa da fé. Precisamos entender que a Promessa do Pai sempre destaca o alvo, não a jornada. Ela nos assegura que aquilo que nos espera ao final de tudo, compensa qualquer sacrifício ou perda que aqui soframos. Daí a necessidade de clamarmos o nome de Jesus!
 
Acho por bem indicar este texto, que precisa ser melhor entendido e ensinado: "Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." (Mateus 6.19-21). Ele não nos proíbe desfrutar de bens materiais; antes, aponta o único tesouro ao qual o nosso coração deve estar definitivamente ligado; pois, o tesouro ao qual nos deixarmos prender - seja ele mau ou bom - irá definir de que lado estaremos na eternidade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário