sábado, 13 de julho de 2013

Pecado disfarçado

 

Meu Deus e meu Pai; antes de sair para mais uma viagem, venho me estender no lugar de oração. O meu corpo, mais uma vez, tentou me convencer de que merecia descansar um pouco mais; no entanto, prevaleceu a voz do meu espírito, me instando a orar ao Senhor. Sinto alegria em poder dar ouvidos à voz do espírito; pois sei que enquanto este conflito pessoal terminar deste modo, haverá segurança e paz em minha curta ou longa jornada. Sinto-me bem em descansar em Teus braços, querido Pai; pois, sei que enquanto eu oro e descanso; aprendo sobre valores e verdades que eu não conseguiria conhecer em outro lugar ou em outra companhia. Sou tão grato a Ti, meu Senhor!
 
E, mais uma vez, aprendo algo novo diante do Senhor: Que o pecado, tão insistente em seu objetivo de nos dominar, se torna ainda mais perigoso e letal quando tenta nos enganar, disfarçando-se de algo bom. E hoje, eu pude aprender que o pecado disfarçado de justiça e o pecado disfarçado de amor, são aqueles que mais vítimas tem feito entre crentes de boa fé. E deste modo, homens de bem - alguns de grande relevo em Tua obra - acabaram por se tornar cativos de Satã; quando deixaram de investigar na fonte, mediante a oração, a origem de tão estranho "amor" ou de tão estranha "justiça"; que, num instante, os envolveu e dominou. É realmente uma pena quando termina assim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário