terça-feira, 23 de julho de 2013

Imoralidade mesclada com religiosidade


Alguns dias atrás, senti necessidade de orar um pouco mais cedo; pois, Maria Célia & eu teríamos que viajar para a cidade de Itabira; onde tínhamos uma agenda a cumprir (e cumprimos integralmente, graças a Deus). E pelo fato de que esta visita nos levava ao encontro do Pastor Isaque dos Santos e do Pastor Adriano Silva; comecei a refletir sobre a importância de termos homens de Deus - de caráter e reputação ilibada - ao nosso lado, enquanto caminhamos e trabalhamos na obra de Deus. Sou grato a Deus por estes, e por tantos outros homens de Deus que militam conosco nas fileiras wesleyanas. Em minha convivência com os obreiros, sinto-me feliz e fortalecido por aqueles que se preservam e realizam um trabalho coerente e edificante. Realmente... O mundo precisa tanto de homens assim.
 
E, por falar em coerência... Fico a pensar na necessidade urgente, nos dias de hoje, da sintonia que deve existir entre os ensinamentos e o comportamento de um verdadeiro homem de Deus. Digo isso, porque é muito comum convivermos com pessoas que demonstram grande facilidade para ensinar sobre conceitos e valores - tanto morais como espirituais - entretanto, vivendo em total dissonância com aquilo que ensinam com tanta eloquência. Infelizmente, como resultado desta incoerência, cresce o número daqueles que - atraídos por discurso fácil, pleno de carisma e triunfalismo dos que assim procedem - se tornam vítimas da decepção resultante do conflito entre a prédica e a prática. Penso que cada formador de opinião deve rever seu modo de ser e de viver, antes que seja tarde demais.
 
Deixo para a meditação de todos nós este texto do Evangelho de Mateus; que traz severa advertência quanto ao ato de ensinar sem que haja um testemunho cristão correspondente: "Então falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos, Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;" (Mateus 23.1-3). Aproveito o ensejo para recomendar a leitura de todo o capítulo 23 de Mateus (são apenas 39 versículos). Recomendo isso, pois em dias perniciosos como os de hoje - de tanta imoralidade mesclada com religiosidade - precisamos estar atentos às solenes advertências da Palavra de Deus.
 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário