segunda-feira, 6 de maio de 2013

Rotina sagrada


Nesta manhã, depois de passar um bom período em oração, comecei a pensar na rotina da vida; procurando atentar ao conceito desenvolvido pelo Pregador, no livro de Eclesiastes.É é bom que se diga que eu não estou me referindo à rotina comum vivida de modo geral pelas pessoas. Na verdade, estou refletindo em um tipo de rotina que se demarca, desde o seu princípio, das demais rotinas desta vida. Ao examinar os livros de Provérbios e Eclesiastes, não posso deixar de notar que Salomão catalogou a inevitabilidade das rotinas; até ao ponto de concluir que "O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol." (Eclesiastes 1.9). Mas minha rotina é diferente; então, eu resolvi chama-la de rotina sagrada.
 
Pois é... Se eu me ponho a pensar nas atividades do meu dia-a-dia, como as que desenvolvi ao longo desta semana, ao longo deste mês e ao longo de todo este tempo em que tenho conhecido a Jesus como meu Senhor e Salvador; chego a conclusão de que os passos que tenho dado e o trabalho que tenho feito, se constituem em algo previsível e rotineiro. Todavia, percebo que existe um toque de ventura e romantismo naquilo que faço... Mesmo tendo feito aquelas coisas que eu sabia de antemão que faria; ou, intentando fazer coisas que, se Deus permitir, tornarei a fazer. Na verdade, eu poderia relacionar muitas coisas que preciso fazer - desde atitudes corriqueiras até assuntos pautados - e, deixar a casa e a família para ir ao encontro do rebanho é uma delas.
 
Também tenho percebido que - após prolongadas viagens de rotina, em visita a pastores e igrejas - retornar ao lar e beijar a esposa é outra destas rotinas; e... Que abençoada rotina! E a prática da oração? Pois é; estar em solo sagrado, buscando a presença do Pai também é uma abençoada rotina; assim como sair do lugar de oração para refletir e apontar coisas que ouço da parte de Deus também se constitui em atividade rotineira. Tenho ouvido falar de homens e mulheres de Deus que acabam por se enfadar daquilo que fazem para Deus, a ponto de se embrutecerem (Jer. 10.21). Todavia, penso não existir rotina melhor do que servir a Deus em tudo o que faço; buscando fazer tudo para a glória do Senhor (I Cor. 10.31). Portanto, não abro mão de minha rotina!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário