terça-feira, 21 de maio de 2013

Niver de Maria Célia e Elizeu

 
Hoje, ao me levantar e orar, senti o meu coração cantar diante do Senhor. Nunca consigo pronunciar as melhores palavras para demonstrar minha gratidão a Deus por minha família - por minha esposa; por meus três filhos; por minha filha; por minhas duas noras, por meu genro; por minhas cinco netas e por meus dois netos. Sinto-me tão grato a Deus... Sinto em meu espírito que eu não conseguiria ver deste modo a minha família se Deus não me ajudasse a ver o seu valor; independente das imperfeições de cada um deles. Todavia, o que senti nesta manhã é diferente dos dias comuns; não que hoje seja dia incomum. É que num dia como este, embora em anos diferentes, nasceram: Maria Célia, minha querida esposa; e Elizeu, meu querido filho.
 

 O meu querido filho Elizeu Calegari, desde menino, foi sempre uma pessoa de perfil contemplativo; era comum ve-lo voltado para as pessoas e as coisas que estavam a sua volta, com ares de quem quer entender e ajudar de algum modo. Desde cedo comecei a perceber que ele estava sempre a procura de fórmulas que o ajudassem a entender e a explicar o significado das coisas. Raras vezes o vi despido da razão e emoção que influenciam suas ações. Creio que conheço meu filho bem mais do que ele seja capaz de se conhecer; assim como conheço muito bem os meus outros filhos. Nesta manhã, já orei por ele e por sua (e minha) querida família. Pois é, Elizeu: Neste dia do teu "niver", quero que você saiba do grande amor que eu te dedico!
 

Quanto a minha esposa Maria Célia Calegari... Quero compartilhar que, desde criança, sempre sonhei com uma garota especial. Esta garota tinha belas formas; mas... Não tinha rosto. Então, eu procurava lhe dar rostos provisórios. Em uma ocasião, dei-lhe o rosto de minha professora; depois dei-lhe o rosto de uma artista famosa; cheguei até a dar-lhe o rosto de uma vizinha. todavia, rosto algum que eu lhe dava combinava com suas belas formas. Um dia, já pregador, fui buscar e levar a presença de Deus ao povo nilopolitano, a convite do Pastor Antonio Faleiro. Então, dentre as pessoas que lotavam o templo provisório da IMW de Nilópolis; ví o rosto de Maria Célia... Enfim, o rosto que cabia no corpo da garota dos meus sonhos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário