quinta-feira, 16 de maio de 2013

Dias de Sodoma e Gomorra


Ao pensar nos dias atuais, tenho a nítida impressão de que as profecias mais trágicas, concernentes aos últimos dias neste planeta, estão se cumprindo em seus mínimos detalhes. As medidas e decisões de governantes, legisladores e magistrados do mundo inteiro são inquietantes e até mesmo assustadoras. Atos belicosos e restritivos à fé cristã, se processam no mundo inteiro - com raríssimas exceções - como se partissem de uma orquestração humana. No entanto, sabemos que não é bem assim: A grande e triste verdade é que os homens estão colhendo os frutos de escolhas infelizes que fizeram ao longo do tempo. Antigas e novas religiões - destoantes da Bíblia sagrada - prosperam e proliferam no mundo inteiro. No entanto, recrudesce a intolerância e o ódio contra o povo chamado cristão; enquanto a grande mídia insiste em manter um estranho silêncio.
 
No dias de Sodoma e Gomorra, a sociedade de então se omitiu e abriu espaço para a ação de grupos desordeiros que promoviam saques, estupros e assassinatos em plena noite, pelas ruas da cidade. Enfim... Naquela sociedade condenada por Deus e pelos homens de bem; toda a sorte de infâmia e barbárie era permitida em nome da liberdade - liberdade que premiava o torpe e escandaloso e penalizava a ordem e os bons costumes - como se a liberdade em si mesma pudesse justificar a quebra de valores morais e espirituais que todo o ser humano tem o dever de respeitar e praticar. É triste sabermos que seus governantes engendraram as políticas públicas destituídas de bom senso e valor moral - em nome da defesa dos direitos sem deveres e da liberdade sem responsabilidade - que mergulharam aquela civilização na ruína.
 
E o que hoje nos preocupa e agrava a nossa condição; é que nosso país segue esta mesma tendência mundial, rumo ao seu trágico destino. Pois, em meio a desordem e violência crescente; governantes, legisladores e magistrados se revelam perdidos em suas ações. E assim, vemos governantes promoverem políticas públicas destituídas de bom senso e qualidade moral; tudo em nome da defesa do direito das minorias - mal sabendo notar a diferença entre minorias & minorias - premiando regiamente minorias destoantes com a ordem e os bons costumes. E vemos legisladores criando leis que absolvem delinquentes e desordeiros, em detrimento de uma sociedade entregue à própria sorte. Enquanto isso, magistrados julgam sem fazer justiça; condicionados por leis que incentivam o crime e a desordem, ao absolver criminosos e desordeiros.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário