terça-feira, 9 de abril de 2013

Dívida impagável


Na semana passada - estando em Xerém - fiz esta oração: Pai de amor; nesta manhã, o Teu Espírito me traz perante a Tua face; para buscar graça e direção para a vida que me tens concedido viver neste mundo. Sei muito bem que sou um devedor; no entanto, não me sinto assustado ou incomodado com esta dívida gigantesca e impagável... Pois, em minha condição de devedor ao Senhor e aos homens, sinto-me privilegiado por ter aprendido que esta dívida não é para ser paga integralmente; e sim, amortizada à medida em que os dias forem passando.
 
Portanto, querido Pai de amor; vou continuar amortizando a minha dívida impagável em meu dia-a-dia, sem medo de amar ao meu Deus e ao meu próximo; ainda que em algumas ocasiões - frente às injustiças sofridas por parte do meu próximo - os meus sentimentos e instintos tentem me convencer de que não vale a pena ser compassivo e amoroso com quem procura o meu mal. Todavia, sei que devo amar... Até porque, ao final de tudo, o Senhor saberá compensar toda a injustiça sofrida neste mundo; por amor do Teu santo e bendito Nome. Aleluia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário