sábado, 9 de março de 2013

Rendição e intercessão


Pai, nesta manhã eu venho me prostrar aos Teus pés; para me render e interceder em favor daquelas vidas por quem costumo orar (como rendição e intercessão são exaustivas). Sei eu tivesse que optar entre uma das duas ocupações, não saberia dizer qual delas é a mais difícil de praticar. Digo isso, Pai, porque tenho descoberto que cantar e adorar a Ti - ou mesmo orar - são tarefas menos penosas do que uma rendição verdadeira e uma intercessão eficaz. Fico a pensar que, para muitos de nós que Te servimos, o ministério parece ser muito mais uma distração ou uma diversão, do que um genuíno sacrifício de amor.
 
Desde muito cedo, aprendi que a finalidade mais importante e urgente do ministério deve ser: Amar e servir ao Senhor e ao Seu povo, não à si mesmo. No entanto, descobri desde cedo que não é tão simples entender e praticar esta finalidade sem fugir aos seus reais objetivos. Pelo que vejo, parece ser algo bem comum incorrermos no erro de fazer concessões perigosas e ir mudando o foco aos poucos... Até chegarmos ao ponto de nos vermos como "estrelas de um espetáculo" (Alguns chegam inclusive a chamar eventos que deveriam ser para louvor e adoração a Ti, de "show gospel" e "espetáculo de fé").
 
Pai, por mais que eu procure fechar os olhos, continuo a ver u'a multidão sem forma e sem rosto seguindo pela estrada da vida - transbordante de esperança e fé - intercalando momentos de esfuziante alegria com espasmos angustiantes e depressivos; parecendo caminhar sem noção de norte ou sul, sem saber se estão indo ou voltando. E enquanto anda... Encontra ao longo do caminho, certos pregadores e libertadores de plantão; a oferecerem os mais diversos produtos rotulados de evangélicos, sem que se saiba ao certo qual sua real finalidade. Enfim, vejo pastores, ovelhas e... Lobos entre eles.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário