sexta-feira, 1 de março de 2013

Afligidos de dois modos


Pai querido, nesta manhã em que me prostro no lugar de oração; venho trazer diante de Ti uma situação que é bem comum na vida dos crentes, minha inclusive. É que me preocupa e incomoda a tendência natural de procurarmos trazer para nós a "glória" das nossas boas realizações, como se elas fossem fruto exclusivo do nosso esforço. E, deste modo, ouvimos com freqüência expressões do gênero: "Consegui com meu esforço"; e, "Eu ralei muito para alcançar este resultado e agora preciso desfrutar dele".
 
Outra questão ainda mais preocupante - tão danosa quanto a primeira - é a que nos leva a manter sempre na lembrança as injustiças que sofremos aqui-e-ali; lamentando o mal que alguém nos fez, sem a menor disposição de perdoar e esquecer. E, agindo assim, somos afligidos de dois modos: Sofremos pela dor infligida no momento da ofensa; e também sofremos sob o peso da mágoa que passamos a carregar a partir de então. E eu penso, Pai, que um grande número de crentes padece destes dois males.
 
Pai amado, sinto em meu espírito que quando agimos assim, cometemos dois pecados: Deixamos de transferir para o Senhor a glória resultante dos nossos feitos, cujo sucesso se deveu ao Teu agir em nosso favor, roubando assim a glória que somente a Ti pertence. E deixamos de transferir para o Senhor as dores produzidas pelas injustiças que julgamos ter sofrido; sem ao menos tentarmos tirar lições espirituais das mesmas. E assim, nos tornamos infelizes em dose dupla. Ajuda-nos, Pai, a corrigir tamanho desatino!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário