quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Turbilhão de sensações

 

Amado Pai celestial; venho nesta manhã me prostrar a Teus pés. É que, as vezes, o meu sentimento me diz que devo parar. Na verdade, sinto-me tentado a parar; não por não ter prazer naquilo que faço; ou, por não me sentir realizado; ou, por não me sentir recompensado pelo meu trabalho. Sei que parece simples; mas, tudo isso acontece sempre que penso em quem sou e nos meus limites. Então... Me recordo de Quem Tu és! E tudo continua como sempre. Então, eu percebo que - mesmo me sentindo abatido por fora - sinto-me feliz; pois sei que a graça é suficiente para manter a chama da visão acesa.
 
Em momentos assim, quando sinto minhas forças faltarem e meu espírito se abater; tento imaginar aquilo que poderia ser a minha vida, longe de Tua presença. Mas, sinceramente, nem consigo ter ideia! A verdade é que eu não saberia viver sem Ti. Como viver sem o ar que respiro e sem a água que bebo? É... Não há como viver sem Tua presença. Por isso, prefiro estar em Tua presença! É onde eu falo sobre tudo e ouço tudo aquilo que preciso. E sinto um turbilhão de sensações! Choro, riso, queixa, gratidão... Meu Deus, é bom demais! Estou convencido de que minha vida sem Ti seria dor e... Só tu sabes!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário