terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Poder e dever


Pai! Como é bom e importante buscar Tua face! Como me faz bem derramar o coração diante de Ti em oração, ainda que haja oposição da natureza humana e de seus cúmplices. Como é bom poder contar com Tua ajuda, no momento em que me disponho a estar prostrado no lugar de oração; ainda que contrarie a vontade da razão e do sentimento. Sei muito bem que um dos motivos do conforto que eu sinto no lugar de oração; é que ali não preciso temer o poder dos horrores e afrontas de quem quer que seja; pois... Neste lugar, estou diante do Poder que a tudo e a todos sobrepuja!
 
Pai! Como é bom e importante Te buscar e aprender Contigo! E neste momento, estou aprendendo a conjugar corretamente os verbos "poder" e "dever". Eu não havia ainda pensado nas tremendas implicações de ambos em minha vida. Como me conforta saber que nem tudo que eu posso fazer, eu devo fazer; e, que nem tudo que eu posso dizer, eu devo dizer. Se por um lado - tenho o poder de ferir, magoar, humilhar, injuriar, cobiçar e arruinar pessoas; por outro lado - não devo fazer tais coisas; pois, sei que amar é um ato mais nobre; e o dever de amar e perdoar me impede tal loucura.
 
Pai! Como é bom e importante saber que o "dever" precisa estar acima do "poder", determinando os seus limites. E assim, prostrado e rendido em Tua presença no lugar de oração, fui novamente lembrado que o "poder" embriaga, corrompe e enlouquece, quando emancipado do "dever". Aprendi também que todo aquele que se deixa inebriar pelo "poder", irá aos poucos se distanciando do "dever", até perde-lo de vista. E então, quando apenas o "poder" dominá-lo; ele se tornará seu escravo, até ser totalmente destruído por ele. Finalmente será destituído do "poder" que tanto amou.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário