quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Nivel de descanso


Em uma dessas manhãs, procurei manter minha presença no lugar de oração; mas percebo que é uma missão difícil... Até porque, se manter uma vida de oração fosse tarefa fácil, a grande maioria dos crentes teria uma maravihosa vida de oração; pois é isso que a maioria quer. Sei que existem momentos em que a oração é um verdadeiro descanso; mas... Em momentos como o que experimentei, orar é um trabalho que leva à exaustão. Não estou dizendo que falar com o Pai é cansativo; o que estou querendo dizer é que, em tais ocasiões, uma grande luta precisa ser travada para se permanecer no lugar de oração.
 
Todavia, ainda não foi desta vez que os adversários da oração me impediram de permanecer na presença do Pai em oração. Louvo a Deus, porque - mesmo que eu não tenha chegado ao nível do descanso - me senti bem a vontade no nível da intercessão. Então, disposto a me manter em oração, comecei a interceder por minha esposa e por meus filhos; e também intercedi por meus demais familiares. Enquanto eu me mantinha intercedendo, o Espírito Santo me levou a orar também pela Liderança Geral e por todos os pastores da 2ª Região (devo ter esquecido o nome de um ou outro, pois são mais de duzentos pastores).
 
No entanto, a dificuldade sobre a qual me referi no primeiro parágrafo não está relacionada com a intercessão; e sim com a comunhão com Deus, que estabelece o nível de descanso. Não sei se consigo me fazer entender; todavia, o que estou tentando dizer é que o ingresso no nível sobrenatural da oração - quando a distância de Deus diminui consideravelmente - resulta na abertura do coração ao pranto e gemidos do espírito em adoração; e também na anulação da interferência da mente e seus desvios. E este nível de oração é o que eu chamo de nível de descanso; pois é quando realmente descansamos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário