terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Aparência do mal

 

Existem dias em que fico a pensar nos gostos do ser humano; gostos que abrangem e afetam todos os nossos sentidos - do paladar à visão - definindo preferências díspares entre si, tal e qual água e óleo que não se misturam; e que influenciam desde a devoção até a diversão e lazer. É como alguém já formulou: Gosto não se discute... Lamenta-se. E o famigerado carnaval - festa que atrai e arrasta em seus cordões os mais diversos tipos de pessoas - me faz pensar nos sentimentos que submergem muita gente no limiar da insanidade. São dias de transformismo e de loucura coletiva; muito mais do que pura diversão.
 
E vejo com preocupação, igrejas ou grupos evangélicos que decidem "botar o bloco na rua", a pretexto de evangelizar; não que eu ache errado evangelizar em dias de tanta confusão e fantasia; pois sei muito bem que o evangelho deve ser pregado a tempo e fora de tempo. Todavia, não me sinto juiz de ninguém; estou apenas "pensando" alto. Porém, em dias assim, prefiro os edificantes retiros espirituais; que a 2ª Região decidiu chamar de "RESPIRE" (Retiro Espiritual de Renovação). É que vejo mais coerência entre os retiros e os ensinos das Escrituras sobre "afastar-se da aparência do mal". Também creio que, em dias assim, as igrejas devem manter suas portas abertas; tanto ao culto como à evangelização.
 
Mas minha maior preocupação não é com a escolha dos grupos cristãos que procuram evangelizar deste modo; pois, como eu já disse, apenas formulei minha opinião, "pensando alto", sobre sua opção. Na verdade, minha grande preocupação está nas freqüentes tentativas de alguns segmentos cristãos - se bem ou mau intencionados não sei - em procurar estabelecer vínculo e harmonia entre o autêntico espírito cristão definido nas Escrituras com algumas festas e celebrações de caráter nitidamente mundano. E isso tem sido tão comum, que fico a pensar se alguns não estão indo longe demais nesta aproximação. É que não consigo ver o Deus das Escrituras ditando tais normas ou inspirando tais interesses.
 
Outro ponto que aumenta a minha apreensão; é o fato de alguns, dentre os defensores deste tipo de proximidade, ficarem bastante irritados quando uma opinião divergente e denunciante deste sistema mundano é formulada. Todavia, o que eu posso dizer aos que se sentem "incomodados" por acharem que estamos tentando desqualificar sua escolha; é que não devem ficar tão agitados por palavras de advertência; pois... São apenas palavras. Basta aos tais continuarem na vida que levam. Afinal de contas, o livre arbítrio lhes dá este direito. No entanto, cada um de nós responderá diante de Deus por nossas escolhas - pelos atos que praticarmos e pelas palavras que proferirmos - disso tenho absoluta certeza!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário